quinta-feira, 5 de outubro de 2017

SIM AO IMS

No meio de tanta discussão desgastante sobre o que é arte e o que deixa de ser, há uma notícia boa que merece ser destacada: a nova sede do Instituto Moreira Salles em São Paulo, no comecinho da Paulista. O IMS é uma instituição privada, ligada à família que fundou o Unibanco (hoje fundido com o Itaú), e suas atividades refletem o gosto pessoal de seus donos, com ênfase na fotografia. Seria absolutamente incrível se o prédio recém-inaugurado aceitasse a mostra "Queermuseu", mas a programação já está fechada para os próximos meses. Aberto para a avenida e sem cobrar ingressos para suas exposições, o IMS já é um sucesso de público. Especialmente popular é o filme "The Clock", que fica em cartaz até o fim do ano: um longuíssima-metragem com 24 horas de duração, composto por cenas de outros filmes onde os personagens veem que horas são. A hora da tela é sincronizada com a hora real, o que dá uma sensação de urgência e encantamento. Nos fins de semana, o IMS fica aberto 24 horas: dá para entrar e passar horas assistindo a "The Clock", como fez uma amiga no sábado passado.

20 comentários:

  1. O "debate" sobre a arte no Brasil tá foda. Logo logo só o que for aprovado pelos moralistas evangélicos poderá ser divulgado.

    ResponderExcluir
  2. No final da Paulista. O início da avenida é na outra extremidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, para mim é no comecinho, porque é na ponta perto da minha casa.

      Mas, de fato, a numeração da Paulista sobe na direção Paraíso-Consolação.

      Excluir
    2. Não seria melhor colocar o número do prédio? Pelo texto e comentários não tenho ideia de onde fica.

      Excluir
    3. Av. Paulista, 2424 - entre Consolação e Bela Cintra.

      Excluir
    4. A referência de crescimento da numeração é o Marco Zero da Sé.

      Excluir
    5. Sim, eu sei. O curioso é que a ponta final da Paulista me parece mais próxima da Sé do que a ponta inicial.

      Excluir
    6. Como diz o "ditado", a Avenida Paulista é como o casamento: começa no Paraíso e termina na Consolação.

      Excluir
  3. É a cara de SP. Assim como o IMS do Rio é a cara do Rio.

    ResponderExcluir
  4. To loco pra ir!
    Tava pensando outro dia nas opiniões de que a elite brasileira só é menos ignorante do que a venezuelana na América Latina. Que se a elite brasileira mudasse um pouco o pensamento a região toda se beneficiaria. Eu não discordo. Por isso pensei nos Moreira Salles. Pelo que eu sei eles arrasam na área cultural, o institutos, a Piauí, o cinema e tal; tem a menina da Alana tbm, que é herdeira do Itaú, nas causas sociais. Enfim, só viajando mesmo. Vc tem alguma coisa pra falar a respeito blogueiro daddy?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, só que concordo com você. Nossa elite estaria bem se fosse composta só por gente como os Moreira Salles.

      Excluir
    2. Como assim, os Moreira Salles? É fácil serem mecenas à base de juros escorchantes e tendo a proteção de leis que só beneficiaram os bancos durante décadas. Você sabia que a nobre família Batista, tem uma escola de excelência (salvo engano, começa na quinta série e termina no terceiro colegial), que visa a formação de líderes, chamada Germinare, totalmente gratuita e tem um processo seletivo que dura um ano. Excelente iniciativa. Será que além dos Moreira Salles, a nossa elite estaria bem se fosse composta também por gente como o Joesley? Tony, deixa de ser ridículo, por favor.

      Excluir
    3. Mio Babbino Caro
      Lembrei-me do Mujica falando sobre a elite Paulistana.

      Excluir
    4. Ao anônimo das 16:01: sim, juros escorchantes são um horror - eu que o diga. Mas, até onde eu sei, os Moreira Salles sempre agiram dentro da lei, o que é mais do que se pode dizer sobre muita gente da elite. E não há dúvida que devolvem pelo menos uma ínfima parcela disso em atividades culturais para a sociedade. Também, mais do que muita gente.

      Excluir
    5. A grana grossa dos Moreira Salles não vem do banco, mas da CBMM (Companhia Brasileira de Mineração e Metalurgia). São os maiores processadores de nióbio do mundo, entre outros minérios raros. Eles são detentores de uma tecnologia tão avançada, e única no mundo, que faz com que a margem de lucro deles esteja entre as mais altas do planeta. São metacapitalistas da gema, ou seja, o tipo de elite mais perigosa que existe: aquela que apoia incondicionalmente o socialismo para barrar a livre concorrência por meio de regulações e reservas de mercado. O objetivo é a perpetuação da família no topo da pirâmide social, fundindo-se com a Nomenklatura morena do Bananistão.

      Enquanto isso, os deslumbrados se conformam com as migalhas socializadas...

      Excluir
    6. 01:54 Amigo, venha mais ao blog porque é importante alguém com essa lucidez por aqui.

      Excluir
    7. Tudo invejoso.

      Excluir
    8. 01:54 Não fale de Nióbio aqui, porque a maioria são eleitores do Aécio.

      Excluir
  5. Legal, sim. Imoral, com certeza. Você tem alguma dúvida de que os bancos sempre agiram dentro da lei ou não influenciaram para que nunca tivessem seu poder diminuído? Bancos não correm risco, só ganham. No caso desses Moreira Salles nos devolvem algumas migalhas. E são usados como exemplo de como uma elite deveria ser por caras esclarecidos como você. Pra onde eu corro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos tocar fogo no IMS. Ainda hoje, please.

      Excluir