sexta-feira, 27 de outubro de 2017

PUNHO FORTE, ALMA FRACA


Eu nunca tinha ouvido falar no lutador venezuelano Edwin Valero, que venceu por nocaute as 27 lutas profissionais de que participou. O fato de não gostar de boxe ajudou, mas eu devia andar meio desligado em 2010 para não lembrar de seu fim trágico: Valero matou a mulher e se suicidou na prisão. Sua história é contada em "El Inca", em cartaz na Mostra de SP e escolhido pela Venezuela para representá-la no próximo Oscar. Sinto dizer que o filme não está à altura do argumento: é longo demais, com muitas cenas sobrando. Mas o ator Alexander Letterni está convincente no papel principal: além da semelhança física com Valero (que ganhou o apelido de "Inca" por ser parecido com um índio peruano), ele transmite bem a dubiedade do personagem. O cara tinha uma enorme força física, mas era fraco de caráter. Deixou-se contaminar por ciúmes doentios de sua bela esposa, apesar de traí-la, e acabou cortando-lhe a garganta durante uma briga. É impressionante a quantidade de homens que cometem esse tipo de barbaridade, especialmente na América Latina (o Brasil está cheio de casos semelhantes). Diz muito sobre a fragilidade psicológica da nossa cultura machista. Mas "El Inca" não investiga as causas dessa contradição. Fica aquém, assim, do grande filme que poderia ter sido.

Um comentário:

  1. Fala mal de masculinidade não senão a Aut-Right vem buscar seu escalpo!

    ResponderExcluir