sexta-feira, 20 de outubro de 2017

O MAIOR CARTAZ


Vão chover indicações ao Oscar sobre "Três Anúncios para um Crime", que está passando na Mostra de SP mas só estreia em janeiro no Brasil. A mais óbvia é para Frances McDormand, que encontrou nesta mistura de filme policial com comédia negra um papel sob medida para seus traços duros (ela está cada vez mais parecida com William Dafoe) e seu estilo ácido de atuação. E a maior barbada é para o roteiro original do também diretor Martin McDonagh: ele solta um monte de pistas falsas, desafia os clichês e faz o espectador não desgrudar os olhos da tela. A premissa sugere um drama pesadão: sete meses depois do brutal assassinato da filha adolescente, uma mãe inconformada com a lerdeza da polícia cobra resultados em três outdoors à beira de uma estrada em sua cidadezinha no interior dos EUA. Mas o que se segue, bem ao estilo dos irmãos Coen, é um estudo sarcástico das complexas relações entre os habitantes do lugar. Ninguém é santo ou vilão. Todos os personagens são humanos, e a violência explode entre eles muitas vezes em chave cômica. "Três Anúncios..." venceu o último Festival de Toronto, que só tem voto popular, e vai se tornar um fenômeno do boca-a-boca. Que puta filme.

5 comentários:

  1. Tipo Fargo, 20 anos depois?

    ResponderExcluir
  2. Roteiro Original eu aposto em Mother.

    ResponderExcluir
  3. Tony,
    Da umas dicas de filmes clássicos que tenha na Netflix, please?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouviu falar do Google? Siri e Alexa também gostam de fazer buscas pra gente preguiçosa como vc!

      Excluir