sábado, 30 de setembro de 2017

SOMOS TODAS PROSTITUTAS...

...filhas dumas putas, e queremos dar, lálálálálálá. Perdão se você se ofendeu com essas palavras, que fazem parte da letra alternativa do "Galope Infernal" da ópera "Orfeu nos Infernos" de Offenbach - mais conhecida como a música que embala as dançarinas de can-can desde a Belle Époque. Foi esta trilha sonora que tocou sem parar na minha cabeça enquanto visitei a exposição "Tolouse-Lautrec em Vermelho", em cartaz no MASP até amanhã. A mostra é formidável: uma reunião nunca vista de trabalhos do artista, incluindo - é claro - seus muitos retratos de prostitutas, bailarinas e atrizes (na época era quase que tudo a mesma coisa). Toulouse-Lautrec frequentava tanto as "maisons closes" (bordéis) que criou intimidade com as moças a ponto de registrar momentos super íntimos. Tipo elas jantando, ou se despindo, ou mesmo fazendo sexo oral uma na outra, como na tela acima. Muito me espantam os asnos ainda não terem urrado "pedofilia", "estupro" ou "isto não é arte!". Mas quem disse que eles costumam frequentar museus? Depois ficam todos magoadinhos quando eu digo que são asnos.

A retrospectiva de Tolouse-Lautrec dialoga diretamente com outra exposição em cartaz no MASP: as fotos de prostitutas baianas de Miguel Rio Branco, instaladas numa sala com aviso na porta quanto ao teor das imagens (mulheres nuas...). Também há uma coleção de cartazes das ativistas do grupo Guerrilla Girls, denunciando a ausência de artistas mulheres em museus e galerias onde abundam os nus femininos (inclusive o próprio MASP, numa tela criada especialmente para esta ocasião). É uma discussão importante, mas foi um pouco cansativo ver tanta agitação política junta. Finalmente, tudo isso conversa com a mostra do pintor Pedro Correia de Araújo, chamada - ta-dá! - "Erótica". A maioria das obras expostas são telas que lembram as mulatas de Di Cavalcanti. Mas há toda uma ala de aquarelas cobertas por capas de veludo negro, que o visitante precisa levantar para ver. Também há o aviso sobre o teor das imagens, este novo componente do mundo moderno. De fato, alguns desenhos são mesmo explícitos, com mão naquilo, aquilo na boca e aquilo naquilo. Não sei de nenhuma reclamação até agora, ufa. Amigos ligados ao museu me juram que as capas não têm nada a ver com censura: são apenas para proteger as frágeis aquarelas da luz do sol. Acredito - mas que ficou com cara de arte com burca, ah, ficou.

E ATENÇÃO: Este post se encheu de comentários sobre o post abaixo, onde eles já não são mais permitidos. Só vou dizer uma coisa: fico PASMO com a quantidade de pessoas, em pleno século 21, que ainda acham que nudez e erotismo são a mesmíssima coisa. Isto é mentalidade do século 19, pré-guerras mundiais, pré-contracultura, pré-feminismo, pré-movimento LGBT, quase pré-histórica. Pela última vez: a menina tocou os pés e as mãos do artista, não o pinto (mole) dele. Isto NÃO é pedofilia, nem violência, nem incitação a nada. Só na cabeça doente de quem acha que é. Honni soit qui mal y pense. Enfim, não vou fechar este post para comentários - mas só aceitarei os que forem especificamente sobre as exposições do MASP, pró ou contra. Beijos de luz.

78 comentários:

  1. Já se sabe que a mãe da garotinha do MAM é petista convicta. Que surpresa, não? Quanto à obra que você usou para ilustrar o post: não há crianças crianças de quatro anos ali. País e mães responsáveis sabem da dificuldade em ensinar crianças a não tocarem adultos desconhecidos e não se deixarem tocar, daí, em nome da arte, vem uma turba de deprevados "que não veem nada de mal" naquele vídeo dantesco e prestam um desserviço imenso às famílias.

    Sabe o efeito colateral dessa sua defesa apaixonada, Tony? Ontem o Gilmar Mendes fez uma enquete no Twitter e 49% dos votantes se demonstraram favoráveis a uma intervenção militar. Isso em uma rede social majoritariamente formada por progressistas. Imagine no mundo real...

    Defender o que ocorreu no MAM é pior que a tese do "golpe": tão equivocado quanto, mas infinitamente mais repugnante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que asno, não foi o Gilmar, foi o Og Fernandes, do STJ. Essa gente é muito desinformada!

      Excluir
    2. Nesses 400anos, os donos da “pena e da tinta”, dos tablóides, jornais, rádios e TV se acharam os donos da verdade absoluta !!! E isso foi uma verdade… até a chegada da Internet e das redes sociais !!! A partir de então, perdem a cada dia força e poder nas mídias … e tambem nas praças, ruas e cidades !!!! Game over, o enfrentamento da esquerdopatia doente e canalha apenas começou…

      Excluir
    3. 14:49 A Grande INCOERÊNCIA é ser Contra a tese do Golpe e Defender o que ocorreu no MAM.

      Excluir
    4. 16:21 para o argumento, isso é irrelevante.

      Excluir
  2. Você viu que o peladão captou R$960.000,00!!!!!, via lei de incentivo à cultura? #PedofiliaNãoÉArte

    ResponderExcluir
  3. Ninguém liga para arte erótica, desde que não se inclua crianças. Precisa desenhar?

    ResponderExcluir
  4. Para os asnos de plantão: a mostra do Toulouse-Lautrec é aberta a todos. Censura livre. Crianças podem ver! Horreur!!

    ResponderExcluir
  5. Homens nus NÃO PODEM interagir com crianças porque é necessário protegê-las, Tony! Se você tirar a venda da ideologia, irá entender. Vou aproveitar o anonimato e dizer: sofri abuso quando era bem novo e começou da mesma forma, com um toque. Sou o maior entusiasta da expressão artística, meu mestrado foi sobre as Varguardas do século XX, mas aquela cena ultrapassou o limite do aceitável. Você é uma pessoa boa, e concordo que muita gente do mal vai instrumentalizar essa história para impor agendas obscuras, mas seja razoável e guarde munição para defender algo justo. Não faltará oportunidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com a pequena diferença de que quem tocou em você QUERIA te molestar, o que não era o caso da performance do MAM.

      Excluir
    2. E quem acha que toda nudez é erótica não saiu do século 19.

      Excluir
    3. PQP Tony precisamos ensinar as crianças que tocar adultos nus não é algo certo, para que elas contém aos pais se algo acontecer. Como isso será possível, se elas normalizarem essa ação em um museu? Assume logo que errou e muda o disco PLEASE!

      Excluir
    4. Numa cultura de matriz judaico-cristã, qualquer nudez sempre terá alguma conotação erótica. Negar isso é estar em delírio psicótico, ou escolher o mal propositalmente.

      Excluir
    5. A performance do MAM abre um precedente pavoroso. Você viu as imagens das outras exposições do artistas? São sempre meninas e muito muito jovens. Não há como defender aquilo sem flertar com a barbárie.

      Excluir
  6. É só ler os comments desse blog para se ter uma noção de quem são os gays do brasil. Mais era óbvio que mesmo depois da liberação da "cura gay" eles não descansariam um só minuto. Se por acaso vierem, algum dia, a ser perseguidos pela direita que tanto amam, é que essas monas direitistas vão gritar e implorar pelo ativismo que tanto criticam. Ai, ai. Que tempos, mas sigamos em frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 16:00 isso não se trata de esquerda X direita. Sou de esquerda e não defendo que menininhas toquem homens desconhecidos e pelados em nenhuma circunstância.

      Excluir
    2. Nós EUA, a terra da liberdade de expressão, TODOS os envolvidos já estariam presos.

      Excluir
    3. @16:00 Não houve nenhuma liberação da "cura gay". Pare de insistir nessa fanfic de esquerda e vá ler a decisão do juiz. Ademais, monas direitistas já imploram e clamam que tipos como você parem de falar em nossos nomes. Vocês não passam de uma minoria barulhenta e não nos representam.

      Excluir
    4. Eu tento ser um pouco mais otimista do que você das 16h. Acho que estes comentários escrotos são quase todos de uma mesma pessoa. Quero crer que isso não representa o pensamento da maioria.

      Excluir
    5. Minha surpresa é outra, você das 18:22, fico passado que alguém defenda esse absurdo. Se você dúvida que a grande maioria é contra aquela imundice, pesquise em qualquer rede social.

      Excluir
    6. Acho que os comentários defendendo o peladão são do mesmo leitor. Difícil acreditar na existência de tantos idiotas.

      Excluir
    7. 18:57 A grande maioria é contra você viada.
      É impossível de você entender isso. Grande maioria...Barão de Itararé que nos salve:
      "Ainda bem que quem faz não pode e quem pode nao faz.

      Excluir
  7. Em NENHUM momento eu vi o artista tocando na menina! Esse zé povinho q se inflama com qualquer post do MBL, ojeriza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Em NENHUM momento eu vi o artista tocando na menina!"

      Você queria o quê? Que ele passasse a rola na cara dela? VSF!!!!!

      Excluir
  8. ... passa, passa vaselina, na sua vagina, pra fuder melhor, lálálálálá (continuação da música)... bom, sobre arte, temos q lutar pela liberdade de expressão, a menos que seja crime. E sobre crime, nossa sociedade delegou ao MP a tarefa de fiscal da lei, com nosso aval para exigir a punição dos que violam a lei. Para isso, os promotores são pagos e estudam justamente para distinguir o que é crime e o que não é, diferentemente das outras pessoas, que devem levar ao conhecimento do MP aquilo que supõem ser crime e então aguardar as providências que a lei determina. Foi assim que a gente combinou a brincadeira, ok? Não sabe brincar, não desce pro play, tá?

    ResponderExcluir
  9. Juro que eu preferia ler uma defesa apaixonada do PT a ver Tony tomar partido favorável a esse absurdo. Será tão difícil entende que seja lá em qual circunstância for, ou alegação inventarem, uma garotinha de seis anos jamais deve ser estimulada a manipular o corpo de um homem adulto pelado e cercado por voyeurs?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqueles comentários absurdos que nos líamos aqui e ali no blog. Agora se tornaram homogêneos, aquelas bichas carolas pronta a demitir suas empregadas humildes sem direito a nada, estão todas aí com sua lógica, ou falta dela. Eram todas analfabetas intelectuais e que agora fazem coro com o pior do Brasil. Além de asnos, aproveitando meu status anônimo de maioria, quero que voces Todos se Fodam.

      Excluir
    2. 19:41 pelo estilo, esse deve ser o seu quinto comentário aqui. ainda bem que você não passa de uma minoria.

      Excluir
    3. "bichas carolas pronta a demitir suas empregadas humildes sem direito a nada"

      Além de cafona, essa imagem está evidentemente baseada numa falsificação histérica.

      Elas estão desesperadas.

      Excluir
    4. 20:09 E quem em sã consciência não ficaria desesperado lendo esses absurdos, estou do lado do Tony e você?

      Excluir
  10. Absolutamente ninguém questionou a existência de arte erótica. O imbróglio é financiarem uma exposição como a do Museuqueer e direcioná-la para escolas, ou defender que um peladão seja tocado por uma menininha. Dá medo pensar que a crítica dos cancervadores tenha fundamento e os movimentos LGBT sejam pró-pedofilia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem escreve conCervadores, revela a incapacidade de opinar sobre o tema. Peloamô!

      Excluir
    2. 19:44 Acho que ele escreveu cAncervadores, de câncer, saca?

      Excluir
  11. CONTEUDOS COM NUDEZ NÃO PODEM SER EXPOSTO A CRIANÇAS. É CRIME E PONTO FINAL, PORRA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dobre a esquina, que dali pra frente. Dar o cu,também pode ser crime.
      Acredito que quem nunca vivenciou uma experiência artística desta tem mais chances de ser um pervertido. Do que aquele que a tenha vivenciado.

      Excluir
  12. O Mio Babbino Caro
    Que pena, estive lá acabei por optar em não ver a exposição...Mas que tempos mais sombrios vivemos. Os oportunistas de todas as matizes se manifestando, aqueles que acreditávamos sensatos, dando show de ignorância, má fé, estupidez, incompreensão canalhice, mau caratismo, conservadorismo, moralismo.
    É sim o fruto da Vitória da Paulista, tudo pode, ensino religioso, maioridade penal, ataque aos cultos Afro, Proibição de Paradas de Exposições, PM Ocupando Legislativo. Taí. Eles venceram e o sinal esta fechado pra nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tchau, babuina. Se for por falta se adeus, já está liberada da sua presença enjoadinha nesses comentários cafonas.

      Excluir
    2. 09:20 oh!
      Ela continua viva nas frestas dos comentários Rs

      Excluir
    3. Moderno é ser Asno kkkkkkkkkk

      Excluir
  13. Não concordo que tudo seja permitido em nome da arte. Bárbaros são aqueles que acreditam que sim.

    ResponderExcluir
  14. O blogueiro traz a letra de uma canção chamada "Galope Infernal" da ópera "Orfeu nos Infernos" e finge que moralidade é um capricho de asnos. Ainda se julga superior por defender a interação entre meninas pré-púberes e homens adultos desnudos. Um acinte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou até começando a achar que é o mesmo comentarista, mas de qualquer forma o Tony esta experimentando o fel de tantos que pouco a pouca fizeram deste espaço palanque de tudo de mais reacionário que vinha ganhando corpo aqui. E ganhou!
      Como bons direitistas, só pensa neles mesmo. Enquanto o blog os atendia ok, foi contra seus princípios, taí. Lembram o Renan



      Excluir
  15. 16:00 Não são os gays do Brasil, são boa parte dos gays que comentam nesse blog, que nos últimos tempos vinham ensaiando isso, que culminou nesse circo dos horrores direitista.

    ResponderExcluir
  16. Se os pedófilos decidirem sair do armário, voltarão para lá a chutes e ponta-pés (e outras coisitas mais). Sem mais.

    ResponderExcluir
  17. Vale a reflexão:

    Estudo: professores de pré-escola são a razão de a maioria das crianças ser heterossexual.

    Um novo estudo sugere que professores de jardim de infância influenciam crianças a se identificarem como heterossexuais ao invés de gays ou transgêneros. Aproximadamente 94% das crianças se identificam como heterossexuais, 5 por cento se identificam como gays enquanto 1% se identifica como transgênero.

    Heidi Gansen, um estudante de doutorado da Universidade de Michigan, culpa a falta de diversidade de gênero em professores da pré-escola, que estariam “promovendo ou encorajando ativamente práticas e discursos heterossexuais” entre crianças.

    Os resultados da pesquisa do estudante de doutorado são baseados em “observações em três pré-escolas (nove classes ao total) e 39 entrevistas com educadores de pré-escola.”

    Ela descreveu ter visto professores encorajando meninos de 2 anos a dar as mãos com meninas, enquanto ao mesmo tempo desencorajavam 2 meninos de darem as mãos um ao outro.

    A pesquisa de Gansen aponta que professores pareciam “bloquear as crianças de explorar completamente os papéis de gênero.”

    Durante suas observações das brincadeiras de faz de conta infantis, Gansen notou que “em nenhuma ocasião os professores de duas das três escolas sugeriram que era apropriado para meninas fazer o papel de pai, ou até mesmo ter um lar com duas mães.”

    Ela adicionou que nenhum dos professores observados sugeriram que dois meninos poderiam se casar entre si.

    O trabalho de pesquisa de Gansen conclui que professores de pré-escola “rompem a sexualidade dos gêneros de diversas formas,” levando a maioria das crianças de pré-escola a se identificarem como heterossexuais.

    O doutor em sociologia quer propor que professores mudem suas interações aos comportamentos sexuais das crianças como “brincadeiras românticas heterossexuais (beijos e relacionamentos)” e que parem de reforçar comportamento heterossexual entre crianças.

    Escolas na Califórnia e em Nova York estão comprometidas a reverter os tradicionais papéis de gênero estudantil.

    Quando os pais em uma escola Californiana fizeram objeção à “cerimônia de transição” de um menino de 5 anos, foi dito aos pais que seus filhos não poderiam deixar de cursar as aulas de “identidade de gênero e expressão” do currículo.

    As aulas de identidade de gênero foram projetadas para normalizar comportamento homossexual e transgênero entre crianças em idade pré-escolar.

    Várias familias decidiram retirar seus filhos da escola.

    Link original (em ingles): http://sandrarose.com/2017/08/paper-kindergarten-teachers-reason-children-heterosexual/

    [Ponto positivo para os comentários, ninguém tá aguentando mais isso calado, nem lá fora]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 19:29 Credo. Essa gente precisa ser parada.

      Excluir
    2. Como assim, e as criancas viadas...

      Excluir
  18. Famílias naturistas existem e convivem entre si há décadas e ninguém faz esse escândalo todo. A maioria das pessoas sequer sabe o que realmente é pedofilia e parece mais preocupada com uma defesa paranoica das crianças de uma ameça que sequer existe. Muito parecido com a histeria que ocorreu em muitos países durante a década de 1980, quando surgiram enxurradas de denúncias ridículas de cultos satânicos atacando criancinhas em creches e escolas. Quando não sabe como argumentar, a mentalidade conservadora habitualmente usa o apelo emocional da pretensa defesa das crianças, utilizando-se muitas vezes de mentiras, se assim for necessário para angariar popularidade. É esse, por exemplo, o artifício usado pela bancada evangélica/conservadora no Brasil e mundo a fora para impedir que colégios promovam aulas de ensino sexual ou programas de respeito à diversidade. A turba, sempre pouco preocupada em pensar mas pronta pra reagir, é facilmente inflamada com boatos e histórias sem fonte, hoje prosperando ainda mais no meio virtual. E pouco adianta médicos, psicólogos, conselhos, entidades e organizações competentes apresentarem todo o seu embasamento para garantir a importância de algumas atividades ou a falta de risco que outras ofereçam aos menores. Ciência e razão são frequentemente negligenciadas por extremistas de direita e de esquerda. E assim vivemos no império das opiniões sem fundamento do grupo que souber mobilizar mais militantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou o senhor da razão e da ciência, às 19:32. Importante lembrar um tal de socialismo "científico" que assassinou dezenas de milhões de pessoas no século XX e segue espalhando o terror por onde passa. Seu discurso baseado em pseudociência não engana mais ninguém. Bem vindo ao novo milênio, miga!

      Excluir
  19. Será por isso que há o trecho de uma canção da Noviça Rebelde aqui no blog?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso o quê? Você sabe o nome da canção? Vou ajudar: "My Favorite Things".

      Excluir
    2. 19:40 Jhon Coltrane????

      Excluir
  20. Engraçado que na Europa, já vi vários homens e mulheres totalmente pelados em praias (praticamente todas da Croácia, Ibiza, Barcelona) cheias de crianças sem nenhum problema. Em Berlim também é muito comum, inclusive no parque central da cidade. Não entendo como o simples corpo nu pode chocar tanto num país onde se usa tão pouca roupa como o Brasil. O certo é educar as crianças para que elas achem que corpo humano é sinônimo de uma máquina sexual apenas? Não deveríamos tratar o nu como algo normal?

    ResponderExcluir
  21. De um antiquíssimo frequentador deste espaço:

    Não há maior satisfação: os gays brasileiros despertam paulatinamente, mas despertam. Ainda é muito difícil enfrentar o establishment, a imprensa aparelhada, os esquerdistas que praticam ativismo judiciário, os desinformantes a soldo e a militância LGBTQ+ que impõe uma mesma narrativa a uma população mais que diversa.

    As pressões ainda são terríveis. Lidar com psicopatas e seus asseclas passa longe de ser uma tarefa das mais fáceis. A resistência segue anônima, salvo os agentes duplos, é claro que curtem no Facebook, mas descem a lenha aqui (risos). Faz parte do jogo.

    A hegemonia, imposta por décadas a fio pelo mesmo grupo, transformou-se em guerra cultural. Os embates só começaram. Particularmente, acho triste a disputa fratricida aqui nos comentários, mas há um lado bom: seja lá qual for o lado vencedor, estaremos lá!

    Obviamente, escolhi minhas trincheiras há tempos, como muitos daqui já o sabem: sou pela família (a tradicional, a da minha origem), pelo respeito à fé cristã, pelo direito dos homens direitos, pelos séculos de tradição e conhecimento acumulados, pela defesa intransigente da criança e da vida, pela ordem, pela segurança e pela liberdade, a verdadeira. Li livros em demasia para acreditar em revolucionários. Conheço bem a história do homem sobre este calhau perdido no espaço e sempre enfrentarei aqueles que tentarem reescrevê-la. Já vivi demais para ser ludibriado por sereias.

    Sou só felicidade, pois há tempos que não estou mais só.

    Meu cu para as esquerdistas acéfalas.

    Um beijo afetuoso aos novos soldados.

    Que Deus nos guarde,

    The Fool (o original)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. S2 S2 S2 S2
      Tamujunto.

      Excluir
    2. Oi? Tem como desler?

      Excluir
    3. Ai defu, so uma coisinha: a senhora mais loka do que nunca!!!

      Excluir
    4. 20:55 "novos soldados", a "DEFU" hitleriana tomou o poder no hospício KKKKKKKKKKK

      Excluir
  22. A histeria coletiva chegou a tal ponto que as pessoas se convenceram, de tanto repetir a mesma coisa a si mesmas, que o mal do Brasil é uma exposição em museu, e que é preciso "proteger as nossas crianças" proibindo exposição. Mas e ir para uma estrada do interior do país e impedir as mães de venderem suas próprias filhas por 5 reais? E ir para a beira do rio em Manaus e denunciar a exploração infantil, inclusive de crianças indígenas? Isso é secundário, né?

    Vocês neoconservadores estão completamente loucos, não sabem mais nem o que atacar. Virou uma agressão gratuita, irracional, sem lógica nem conexão com a realidade. O objetivo é apenas polarizar e ampliar o discurso do "nós contra eles". Ao que tudo indica, vai dar certo, mas eu fico pensando no que vai acontecer depois. Principalmente para os gays que estão defendendo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, a exposição do museu é só o sintoma. Tratá-lo não significa esquecer a doença que o causa.

      Excluir
    2. 21:13 Fernanda Borderline, é você?

      Excluir
    3. E as crianças da Febem?????
      E as crianças abandonadas??????
      as crianças vítimas de bala????

      Excluir
  23. Eu achei essa sua implicância com a capa de proteção das aquarelas meio paranoica, mas entendo o contexto da sua inquietude. Será que deveriam ter usado veludo vermelho?

    ResponderExcluir
  24. Deixem-me ver se entendi.
    Vocês estão dizendo o Tony Goes defende pedofilia ou que o Tony é a favor de pedofilia, é isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual anônimo além de VOCÊ, 21:37, disse isso? Mostra aí!

      Excluir
    2. 21:48 Se fazendo de Sonsa

      Excluir
  25. A essas feministas que querem mais obras de mulheres em museu: produzam algo que valha estar ali, ora bolas!

    ResponderExcluir

  26. “- Que criaturinha graciosa! – disse o Diretor, seguindo-a com os olhos. Depois, dirigindo-se aos estudantes: – O que vou lhes contar, agora, poderá parecer inacreditável. Mas é que, quando não se tem o hábito da História, os fatos relativos ao passado, em geral, parecem mesmo incríveis. – Revelou a espantosa verdade. – Durante um período muito longo antes de Nosso Ford, e até no decurso de algumas gerações ulteriores, os brinquedos eróticos entre as crianças eram considerados anormais (houve uma gargalhada); e não somente anormais, mas positivamente imorais (não!); e eram,
    portanto, rigorosamente reprimidos.
    A fisionomia de seus ouvintes tomou uma expressão de incredulidade espantada.
    O quê? As pobres crianças não tinham o direito de se divertir? Não podiam acreditar.
    – E até mesmo os adolescentes – dizia o D.I.C. – Os adolescentes como os senhores…
    – Não é possível!
    – Salvo um pouco de auto-erotismo e de homossexualidade, às escondidas…absolutamente nada.
    – Nada?
    – Na maioria dos casos até terem mais de vinte anos.
    – Vinte anos? – ecoaram os estudantes, num ruidoso coro de ceticismo.
    – Vinte anos – repetiu o Diretor. – Eu os preveni de que achariam isso incrível.
    – Mas então, que acontecia? – perguntaram. – Quais eram os resultados?
    – Os resultados eram terríveis. – Uma voz profunda e vibrante interpôs-se no diálogo, sobressaltando-os.
    Voltaram-se. À margem do pequeno grupo estava um desconhecido – um homem de estatura média, cabelos pretos, nariz adunco, lábios vermelhos e carnudos, olhos muito escuros e penetrantes.
    – Terríveis – repetiu.”

    Trecho de “Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley

    ResponderExcluir
  27. Existe um debate eterno sobre a natureza e a utilidade da arte. Parece que agora está claro: a arte serve para reprogramar a cabeça do indivíduo ou reforçar pontos de vista. Em certos casos, aceitar o inaceitável.

    ResponderExcluir
  28. Para Refletir:

    "Tudo começou quando você passou a ver a geração anterior com um pouco de desdém. Eles são um pouco arcaicos, você diria. Logo, a mudança começaria e seria tão agradável a tantos, como qualquer droga que se usa pela primeira vez.

    As roupas mudariam, a arquitetura também. São meio feias, mas sabe como é a moda. Então viria a música, um pouco ousada, os assuntos mais fúteis, os programas de tevê mais polêmicos. A educação seria renovada para integrar mais as crianças em vez de ensinar através da hierarquia. Cadeiras em círculo, o professor é apenas um orientador e a criança constrói o próprio aprendizado. Não existem erros, apenas formas diferentes de ver o mundo. As mães estão ocupadas com seus empregos para pagar os novos consumos da casa com roupas, maquiagens, cosméticos e anticoncepcionais. Os pais se divertem com jogos, apostas, bebidas e clubes de mulheres. A liberdade sexual extasiou a família. Dali a pouco os jovens passam a ficar mais rebeldes e mais naturebas. Surgem os punks, os pixadores, os hippies. Eles matriculam seus poucos filhos nas mesmas escolas que há algum tempo já introduziram o ensino sexual para o ensino fundamental. Mas você acha normal falar de sexo para crianças, afinal, escola é pra isso também. Eu acho. Quando você liga a televisão novamente, está passando um grupo dançando "na boquinha da garrafa" para menininhas de 7 anos aprenderem. Você olha para baixo e sua filha está usando o tamanquinho da Carla Perez. Mas ela não sabe de nada, você ri para si. Enquanto dirige pro trabalho, pela rádio descobre que criaram um tal de funk carioca. Os jovens gostam, mas sabe como é essa fase, são os hormônios. De repente, você se depara com funk sendo tocado em uma festinha infantil. No dia seguinte, a escola em que você estudou está ensinando ao seu filho como fazer sexo anal e que ele pode ser uma menina. O banheiro que você usou está com um símbolo de unisex. As excursões da escola são para exposições pornográficas e, quando você vê, a filha do seu colega está apalpando um homem pelado no chão no meio de um museu. Ela não quer, ela tenta sair, mas a moça ri e a traz de volta para perto daquela genitália. Apalpe pelo menos a perna, bonitinha. Ora, vamos.

    Não existe o certo ou o errado, apenas a experiência, lembra?

    E amanhã, isso será só uma opção sexual. Afinal, onde foi que você achou que isso tudo iria parar? Todo mundo sabe o fim de um drogado, por que não saberia o da sociedade que optou por usar todas as drogas de uma vez?

    ----
    Nos anos 30, entre outros intelectuais da Escola de Frankfurt, Willi Muenzenberg disse: “Nós vamos fazer o Ocidente tão corrupto a ponto de feder."

    “Nós vamos destruir o Ocidente, destruindo sua cultura. Vamos nos infiltrar e transformar a sua música, sua arte e sua literatura contra eles próprios.”

    O que nos choca hoje não aconteceu espontaneamente, por acaso e muito menos é um caso isolado. Se para chegar a esse ponto levaram-se décadas, foi porque a sociedade precisaria ser igualmente tão depravada a ponto de hospedar tais horrores dentro de si e até querer relativizar se aquilo é mesmo tão errado, já que, escondida, talvez faça coisas similares. É o mesmo relativismo que aprendemos na escola quando crianças.

    Alguém achou que essa libertinagem toda era a evolução natural das coisas? Ela foi muito bem calculada.

    A evolução sempre levou à maior proteção e sobrevivência, enquanto os resultados da revolução sexual e da nova educação são: mais mortes por aborto do que em guerras e a glamourização dos abusos infantis. Justamente o oposto a sobrevivência e proteção.

    (Mônica Kobayashi)

    ResponderExcluir
  29. neste enfoque eu concordo com vc, tonyah carreiro opressora, e tb acho lautrec genial - beijas de luz de supernova pra vc - assinado gays oprimidas da direita. HAHAHAHAHA

    ResponderExcluir
  30. Depois de ler o post e todos os comentários, que mimetizam 99% do que se falou nos últimos dias, confirmei que o Brasil é profundamente esquizofrênico. Tudo aqui não passa de um emaranhado de opiniões desconexas, carregadas de emoções e circunstancialmente conflitantes. Ninguém mais sabe exatamente o que é arte, por exemplo, nem quem a defende nem quem a acusa, e a discussão segue como a realização desse desconhecimento.
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    Estamos todos perdidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Positivo, objetivo alcançado.
      Missão Cumprida!

      Excluir
  31. Explica tanto esses comentários...

    https://broadly.vice.com/en_us/article/8qwwzp/who-you-hate-depends-on-how-smart-you-are-study-finds

    ResponderExcluir
  32. Por que o nu artístico nem sempre são pessoas com corpos bonitos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque a arte não tem obrigação de ser bonita.

      Excluir
  33. só a título de curiosidade, um dos articuladores do MBL é gay e produtor musical. é um dos criadores da banda uò e do bonde do rolê. Como teve esse triste fim é um mistério...

    ResponderExcluir