sexta-feira, 8 de setembro de 2017

NUNCA FUI SANTA

Os rohingya são uma minoria do noroeste de Myanmar, étnica e culturalmente parecidos com os bengali da vizinha Bangladesh. Por serem muçulmanos num país budista, perderam o direito à cidadania na época da ditadura militar - e com ele o acesso a qualquer serviço público, como educação e saúde. Claro que uma opressão desse tamanho iria gerar uma reação. Grupos armados rohingya volta e meia entram em choque com o exército de Myanmar, que desde o final de agosto parece ter optado por uma solução radical: expulsar toda a minoria do país, e matar quem ficar para trás. É a má e velha limpeza étnica. O mais chocante é que Myanmar não é mais uma ditadura: sua governante de facto é Aung San Suu Kyi, que permaneceu presa por décadas, ganhou o Nobel da Paz em 1991 e até inspirou uma música do U2. A chamada "Orquídea de Aço" não está fazendo nada para impedir o massacre dos rohingya, e rebatendo as críticas como "fake news" espalhadas por "terroristas". Ou seja, não é a santa que gostaríamos que fosse. Isso é que dá quando a gente idealiza um político: mais ou cedo ou mais tarde, a máscara cai. Que triste passar por uma desilusão dessas. Já pensou se acontece no Brasil?

17 comentários:

  1. O Nobel da Paz, assim como os outros Nobeis, é como escolha de país sede das Olimpiadas ou da Copa do Mundo.

    ResponderExcluir
  2. A esquerda mundial se aliou aos muçulmanos, e isso não é novidade. Portanto não acho impossível que a tese de fake news seja verdadeira, pois usam descaradamente esse método contra Israel.

    Fiquei curioso! Vou estudar melhor o caso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DeFu prestes a atacar de Myanmar Fake News.

      Excluir
    2. "Investigar" para DeFu = ver o que o Breitbart e o InfoWars acham disso.

      Excluir
    3. Olhem esse perturbado mental que evoca DeFu em TODOS os comentários e reflitam:

      Seria seguro comentar sem estar anônimo?

      Esquerdismo está sempre associado à uma psicopatologia. Eis a prova.

      Excluir
    4. Um anônimo perturbado o das 13:38 falando de outros anônimos. E pra rir mesmo.

      Excluir
    5. É aí, Nick? Tem lido a galera do DCM e do 247? Concorda com a tese da "tortura" do PalóFi? Segue confiante e empoderado, acreditando na OCRIM?

      Excluir
    6. Não leio dcm ou 247. Posso até ter lido algo quando digito algum assunto no Google e aparece tais veículos. Leio carta capital, piaui, veja e vejo a globo. E tudo que vou ler é criticamente. Não engulo nada. Se o o Paloci delatou Lula que mostre as provas. Falar e uma coisa. Quero ver provar. Agora o Brasil e um país "interessante" vale mais a palavra do que provas. Tipo: Bolsonaro já falou barbaridades dos gays e ainda tem pessoas ,inclusive alguns gays, que dizem que ele não é homofóbico e é amigo dos gays. E Aecio que tem tudo em vídeo está solto. Agora porque Paloci falou não vou acreditar só porque ele está falando. Apesar de que sei que Lula não é santo como tenta pintar a esquerda. Mas é muito melhor que a direita pode apostar . Nick

      Excluir
  3. "Já pensou se acontece no Brasil?"
    Sarcastic mode is ON!

    ResponderExcluir
  4. O Mio Babbino Caro
    Tony sendo melhor do que já é.

    ResponderExcluir
  5. Quero ver o povo que diz que faz meditação, que é budista, lendo isso. Aliás, Sri Lanka foi outro país assolado por budistas radicais.

    ResponderExcluir
  6. Mais essa daí merece premio pela cretinice. É uma farsante. Presa política durante mais de uma década, esta senhora agora se mostra uma genocida. Ela poderia servir de exemplo pro Nobel nos critérios de avaliação para quem for dado a partir de agora o premio na categoria paz. E lembrando, o budismo agora vai sendo descortinando, mais olha. Os monges budistas de pacíficos não têm nada. Os horrores que eles cometem em Myanmar são comuns em todos os outros países onde o budismo é religião predominante. Os monges foram pintados de bonzinhos, mas são uns cão na face da terra, cometem perseguição e limpeza étnica-religiosa seja em Myanmar, seja no Sri Lanka, seja no Butão, sejam onde o Budismo for religião da maioria.

    ResponderExcluir
  7. E eu no lugar dos rohingya que enveredam pela luta armada faria o mesmo. Uma opressão dessas merece respostas a altura. A situação deles é um drama sem fim, porque nem mesmo Bangladesh concede cidadania a etnia. Ansiosíssimo para ouvir as vozes dos que glorificaram essa senhora aqui no Ocidente. E a bonita aí ganhadora do Nobel resolveu dar uma de Trump (fake news), kkkk, eita lasqueira, um grande tapa na cara da esquerda ocidental que por anos fez dessa mulher uma santa. kkkkk. Aung San além de se revelar uma mentira, juntou nazismo, Trump, supremacia étnica numa toada só e deu um belo de um tabefe naqueles que a transformaram em imaculada, os humanistas ocidentais. kkkkkk.

    ResponderExcluir
  8. Tony, Tony. Falar mal de um projeto da Bia Lessa? Se a sua praia é ser articulista do F5, parabéns pela coragem. Mas se a sua praia é ser roteirista, você acaba de fechar mais uma porte.

    ResponderExcluir
  9. 14:14, "porte" é linguagem neutra de gênero para "porta"?

    ResponderExcluir
  10. Cuidado Tony! Vcs estão assumindo uma versão como verdadeira porém os fatos indicam outra versão.
    Fomos vizinhos por anos em Park Town/Oxford e assumo com toda certeza que essa senhora é uma Santa!

    ResponderExcluir
  11. meu mundo caiu, venerava essa mulher

    ResponderExcluir