terça-feira, 15 de agosto de 2017

CHERCHEZ LA FEMME

É duro acreditar que, num mercado onde já existem aplicativos de namoro até para cachorro, só agora surja um para meninas que gostam de meninas. O Femme é do Match Group, a mesma empresa que controla o Tinder e dezenas de outros apps. Mas não vai ser gratuito: as interessadas terão que desembolsar, no mínimo, R$ 21,99 por mês. Nada contra; o que realmente me incomodou foi o tom conservador da divulgação, que estressa termos como "relacionamento sério". Já convivi o suficiente com sapatas para saber que elas curtem uma putaria avulsa tanto como a mais promíscua das bichas.

12 comentários:

  1. Na verdade tinha um chamado Brenda ou algo assim...

    ResponderExcluir
  2. Até existem aspas "promíscuas", mas devem ser pouquíssimas, pois todos os aplicativos mais ousados floparam.

    ResponderExcluir
  3. (Espero muito que você tenha conseguido ver o vídeo do Ideias Radicais até o final. Ele explica o imbróglio de forma clara e honesta. O Rafael só foi escorregadio quando disse no final que "direita e esquerda não importam". Ele fez isso porque, a rigor, a verdadeira extrema-direita é o anarco-capitalismo. Ele, sendo ancap, não quer ser chamado assim, né?

    ResponderExcluir
  4. Tbm convivi muito com lésbicas e tbm acho que elas gostam de putaria, porém a forma delas chegarem ao objetivo é diferente dos gays. Pro gay em geral uma vida pode rolar a partir de uma manjada de rola num banheirão, pra lésbica a coisa evolui a partir de um lance mais natural, elas não saem caçando buceta pelas ruas e pelos lugares de pegação forte (que pra mulher nem existe). Por isso o app, por proporcionar que elas conversem, pode dar certo.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o título, hehe

    ResponderExcluir
  6. Mais é tão estranho isso. Porque lésbicas sofrem menos preconceito que homossexuais. Não, vamos com calma aqui, até porque sei que essa afirmação gera polêmica. Não estou negando que lésbicas não sofram discriminação, elas sofrem sim, no entanto se compararmos com homossexuais, lésbicas sofrem um pouco menos de preconceito. Ora, quem tem oportunidade de conviver tanto com um pé dentro do mundo LGBTQ quanto hétero, pode notar isso. Duas mulheres transando é fantasia recorrente entre homens heterossexuais, que por sua vez não tem fantasias em ver dois homossexuais trepando pro cara hétero chegar junto da transa e participar como ele tanto fantasia com duas mulheres. Mais torcer muito aqui pra que o app pras meninas dê certo, e posteriormente haja gratuidade, como é comum entre apps para homossexuais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 16:01Nada melhor que um comentário honesto e sincero.

      Excluir
    2. Na realidade a sociedade machista, considera lesbianismo como uma "sub sexualidade" aquela coisa de infância, café com leite...

      Excluir
  7. Mais louco é que esse blog nao tem uma única sapatão leitora pra vir falar algo. Não tem jeito, viveremos eternamente em guetos, pois uns não tem menor interesse nos assuntos dos outros.

    ResponderExcluir
  8. Não é gueto, é identidade, tenho amigas Lés que não tem identidade com minhas "emoções sexuais gays" assim como eu não tenho com as delas. Sem problematização...Eu não gosto de buceta e elas não gostam de rôla. Não se resume a isso mas é a partir disso, no mais, tudo bem. Sem drama amigo.

    ResponderExcluir