segunda-feira, 10 de julho de 2017

EMPAREDADA, SUA LÔCA

A noite gay está em refluxo no mundo inteiro. Londres perdeu cerca de metade de seus bares e boates LGBT nos últimos dez anos. São Paulo viu o fechamento da Flexx no começo deste mês, um dos lugares mais marcantes da última década. As causas deste fenômeno são várias, mas acho que dá para resumi-las em duas. A primeira é a explosão dos aplicativos de pegação: quem está a fim de dar uma bimbada não precisa mais se emperequetar todo e ainda morrer numa grana em transporte + consumação + whatever para talvez descolar alguém para passar o resto da noite. A segunda é que quem está a fim de dançar mesmo não precisa mais ir a um lugar exclusivamente gay. As baladas mistas - com enorme preponderância das bibas, admito - vêm se alastrando feito herpes. É um reflexo da maior aceitação dos homossexuais pelo resto da sociedade: estamos aos poucos ficando juntos e misturados, e isto é ótimo. Tudo isto para dizer que o emparedamento d'Alôca não se encaixa em nenhuma dessas duas hipóteses. Sim, você leu direito: o clássico antro paulistano, onde pelo menos duas gerações perderam vários tipos de cabaço, teve sua entrada coberta por tijolos a mando da subprefeitura local. A desculpa oficial é que o lugar fazia muito barulho e incomodava os vizinhos. Engraçado: Alôca está no mesmo ponto HÁ 22 ANOS e só agora alguém reclamou? Não vou defender a balbúrdia. Acho que a Lei do Silêncio tem mais é que ser respeitada. Mas esta súbita sensibilidade acústica me faz suspeitar da nova administração da cidade. Assim como Marcelo Crivella no Rio já deu um jeito de fechar um ícone como o 00, está parecendo que João Doria - ou algum de seus subalternos - resolveu empreender uma cruzada moralista por aqui também. Talvez seja só um contratempo: em sua página no Facebook, Alôca avisa que já está cuidando dos trâmites para reabrir. Tomara que consiga logo. E, se tiver que morrer algum dia, que seja por causas naturais.

22 comentários:

  1. A bancada da Bíblia e o PSDB são amigos de longa data

    ResponderExcluir
  2. No fim a gente acaba pondo tudo no mesmo saco, e se for apenas um descumprimento à lei do silêncio, pura e simplesmente? Acho que precisamos fazer um exercício de simplificar um pouco as coisas e não ver problema maiores em tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato! Sugiro que os indignados abaixo leiam o post do Pomba no facebook e entendam que até a Marta , na epoca petista, já tinha fechado aquela birosca.

      Excluir

  3. As razões do emparedamento são muito mais prosaicas. Os inúmeros lançamentos imobiliários da região estão encalhados, e quem cometeu a insanidade de comprar não consegue revender. Ou seja; seria uma lufada de ar fresco se as questões morais tivessem realmente qualquer relevância em Pindorama.

    Pagar caro para viver ao lado de uma orda de pós-adolescentes empoderadxs que moram lááá longe e amanhecem jogados na sargeta, praticamente em coma alcoólico, não orna. Capisce?

    A Loca bem que poderia se mudar para o centrão. Seus civilizados frequentadores ficariam melhor ambientados e ainda ajudariam na revitalização da região. Fikadik.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mude você pra Marte criatura!
      Deixemos o povo ser feliz.

      Excluir
  4. Não há esperança. Apenas ex-perança.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde Tony....em primeiro lugar, deixo claro minha admiração por vc, pela coerência em tudo que comenta. Amo seus textos. por isso , tomei a liberdade em escrever para esclarecer algumas coisas a respeito da lôca. Sou morador vizinho a boate a mais ou menos 8 anos, e a 8 anos me arrependo amargamente por ter comprado esse apartamento. O motivo tem nome: ALOCÂ. Deixo claro que tbem sou gay e , portanto, nao se trata de nenhum ataque homofobico, ao contrario: acho ótimo a liberdade que gays tem na regiao.Bem, desde o momento em que me mudei nao sei o que é dormir direito. Faz muuuuuito barulho, de verdade... todos os moradores dormem (ou tentam dormir) com o famoso puts puts na cabeça a noite toda. Fizeram certa vez ,uma solicitação de tratamento acústico na casa, amenizando assim nosso desconforto a acabando de vez com as reclamações referentes a casa. Uma medida perfeita , não é? No entanto, seus ou seu proprietário(s) acusou o predio de homofobia por conta das reclamações...rsrsrsrsrs.Dou risada porque para mim, só pode ser piada. Como assim, vc solicita a diminuição de um barulho horroroso, e o vilão se torna mocinho??? Para terem uma idéia, houve quem morasse no predio por 1 semana, por nao aguentarem o barulho . Só pedimos por RESPEITO , e o que recebemos sempre foi Hostilidade e ameaças...Até a casa ao lado, chamada Terraço do Zé se preocupou com isso, sempre respeitosos, nunca deram nenhum motivo de reclamação. Não espero que ALOCÂ feche definitivamente, mas espero sim, que a volta ao menos traga um pouco de conciência e respeito a quem só quer o direito de dormir tranquilamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha a Beel velha!
      Chata.

      Mude de apto querido!

      Excluir
    2. Chamando de velha a pessoa que só quer poder dormir.
      Tony deve concordar, afinal ele usa o termo velho pra desqualificar.

      Excluir
    3. Velha. As bichas continuam com suas mesmas neuroses. O elixir da eterna juventude.
      Tende piedade!!!

      Excluir
  6. Gueto é ficou fora do moda. É insuportável ir em um local exclusivamente de um segmento social. Quando maior diversidade, mais divertido... Você não precisa ir em boate gay para trepar ou beijar, vá para sauna direto ou use um aplicativo. E ir para uma boate gay para se esconder do resto da sociedade é coisa de uma parcela cada vez mais diminuta da população gay. Quando eu quero dançar e ouvir boa música eu tenho várias opções muito mais bem produzidas e animadas que as boates exclusivamente gays. Se quero uma boa cerveja ou um drink bem-feito, outras tantas opções. A era da boate gay está chegando ao fim é deve nos causar horror tão como outros termos carregados de conotação negativa. Imagine alguém falando boate de negro, boate de pobre, boate de velho, boate de gordo...

    ResponderExcluir
  7. E não duvido em absolutamente nada do que foi exposto. Certamente é esse o motivo. Além do mais o psdb está cheio de reacionários de direita atualmente.

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente, uma das mais usuais modalidades de perseguição à comunidade LGBT se dá através da interdição de casas noturnas e outros "queer spaces". Infelizmente, esse é um assunto pouco abordado pela Academia brasileira, mais preocupada com a violência strictu sensu do que com esse tipo de agressão, ainda visto como algo "burguês".

    ResponderExcluir
  9. A noite gay acabou de vez pra mim qdo eu ouvi um cidadão dizendo que era uma "circuit celebrity" tipo uma "cafonice inception".
    O gueto e seus estereótipos é muito brega mesmo. Além de preconceituoso. Esses camarotes vips evitam a entrada de negros, gordos, travestis ou qualquer pessoa fora do padrão.

    ResponderExcluir
  10. Gosto de espaços gays, acho que ainda exercem uma função. Não me sinto seguro na maioria dos espaços para o público geral. Vou a boate raramente, mas quando vou, gosto muito de me sentir ao lado de minha comunidade. Para mim, é como uma família, que pode se encontrar fora das solidões dos apps (era um bom efeito colateral de sair para querer pegar alguém). Gostaria que os espaços lgbt não se resumissem sempre a álcool e drogas em geral, mas não tenho ideia de como isso seria possível. Uma livraria lgbt com café? Casinha de tortas? Sei lá, soa tão carola, mas eu ia gostar. rs

    ResponderExcluir
  11. O mio babbino caro
    Higienista e Doria, tudo a ver, ou os inocentes do Baixo Augusta achavam que só se resumiria à crakolândia. Negócio seguinte charles, a fila anda...quem gozou curtiu ou quem não curtiu, não goza mais. E tenho dito rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Babuina, vou perdoar sua ignorância, afinal ninguém é obrigado a saber tudo, mas continuo achando vc podre no seus viés político como sempre.
      Pra sua informação, quando a Marta foi prefeita, pelo PT, ela fechou Aloca também.
      Beijinho no ombro.

      Excluir
    2. Oh!
      Esse seu rancor ainda vai te causar muito mal. Isso tudo aqui é só passatempo misturado com você.

      Excluir
    3. Essas meninas tem obsessão com pt

      Excluir
    4. 11:09 Beijinho no ombro????? Consigo imaginar a cena. Se enrole no ridículo e vá pra marte.

      Excluir

  12. Nem com relato de morador da região, sofrendo com o descanso da empresa, e evidências de pressão do setor imobiliário, que gera MILHÕES de empregos e precisa VENDER, as bichas limitadas de sempre deixam de repetir os mantras mofados do "higienismo", da "perseguição à comunidade LGBT", do "preconceito" e, last but not least, da "homofobia" que abrange de um tudo e praticamente não significa mais nada.

    Quem acabou de verdade foi essa militância aparelhada pelos vermelhos. Rés do chão. Chega a dar pena.

    ResponderExcluir