sexta-feira, 26 de maio de 2017

REFORMA JÁ

Digamos que o povo saia mesmo às ruas pedindo Diretas-Já. Três milhões de pessoas na Av. Paulista, outras tantas em Copacabana, na Savassi, na Esplanada dos Ministérios. Coxinhas e mortadelas juntos numa avalanche irresistível, que não só provoca a renúncia (ou cassação, ou vaporização) de Temer, como força o nosso querido Congresso a alterar a Constituição e a convocar eleições presidenciais para - digamos - meados de julho.


E aí, sem tempo para uma campanha muito elaborada nem debates profundos, um novo presidente é escolhido pelo povo. Em segundo turno, é claro: divididos do jeito que estamos, nem Nosso Senhor Jesus Cristo leva no primeiro. Mesmo assim, o novo mandatário da nação vai ter quase tanta gente contra ele como tem a favor. E não nos deixemos enganar: não vai ser nenhum Emmanuel Macron tropical, que estava aí dando sopa o tempo todo e nem nos dávamos conta. Será um dos usual suspects: Lula, ou seja lá quem conseguir concorrer pelo PSDB.

Bom, mas pelo menos agora temos um presidente eleito pelo povo! Podemos retomar nossas vidas e voltar a brigar só por besteiras? Podemos, mas vai ser por pouco tempo. Primeiro, porque o novo ocupante do Alvorada não vai adiantar de nada se a Câmara e o Senado continuarem os mesmos. Segundo, porque o sistema que possibilitou que a Petrobras fosse carcomida por cupins, e que transformou empresas como a JBS e a Odebrecht em poderes paralelos, permanecerá de pé. Não vai dar dois meses para estourar um novo escândalo.

É por isto que eu não ergo a bandeira das diretas neste momento. Além do mais, porque boa parte da campanha atual não passa de uma gambiarra para Lula ser eleito no tranco, antes de uma condenação em segunda instância. E, uma vez de volta ao poder, adivinhem se ele vai corrigir os "malfeitos" do passado? Ahã.

O Brasil precisa urgentemente de uma reforma política, ainda mais do que da trabalhista ou da previdenciária. Só que ela não será feita pelos nossos atuais parlamentares, é óbvio. Dilma até propôs uma em 2013, e a ideia foi morta no berço. O que fazer, então? Não sei. Mas por esta causa eu vou para a rua.

32 comentários:

  1. Vai chover petista aqui louvando o ladrão. Nojo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensa que até pra votar no seu Bolsomito, você precisará de eleições diretas.

      Excluir
    2. Que polarizacao é essa??? Quem não vota no Lula vota no Bolsonaro??? Acho os dois tenebrosos e ponto!!!!

      Excluir
    3. Se as duas apanharem na saída da buati adivinha que vai gostar.

      Excluir
  2. Olha não sei qual a melhor solução, só sei que assim não da pra continuar ... acho que tirar Temer, não colocar Lula de novo, que precisamos é de novos ares, propostas, pessoas e que sejam ao menos um pouco, honestas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pode ser lula, pode ser dilma, pode ser a puta que pariu. todos se juntaram com corruptores doadores de campanhas políticas.

      Excluir
    2. Kkkk doadores de campanha, vai se enganando que politico pegou sobrinha de campanha, estão todo riquíssimos lá fora e vc achando que é troco do banner.

      Excluir
  3. Ótima análise; seguir a constituição e tirar um ladrão por vez ( no caso do executivo) e o maior número que pudermos nas eleições de 2018. Só não me conformo com o pessoal que tem ladrão favorito , ou perdoável, ou menos pior...eca!

    ResponderExcluir
  4. Só pra eu entender Tony: você continuaria com a mesma opinião contrária às diretas se o Lula não fosse candidato (por qualquer motivo, inclusive jurídico)?
    Confesso que tenho medo de só poder voltar a votar para presidente nesse país depois que o Lula morrer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, continuo contra as diretas antes da reforma política. Senão não vai mudar nada.

      Excluir
  5. O mio babbino caro
    Devemos seguir o rito legalista, enquanto as máscaras continuam a cair e mostremos em 2018 o que aprendemos de toda essa lição.
    Um gesto de grandeza, para amenizar o calvário, seria este Senhor renunciar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo quem te garante que vai ter novas eleições em 2018?

      Excluir
    2. Da última vez ficaram 25 anos prometendo eleições também

      Excluir
    3. 21:29 É isso mesmo “quem sabe faz agora não espera acontecer “

      Excluir
    4. Se não houver eleições em 2018. Aí acrédito que aquela guerra civil catártica, sempre adiada, que o BRASIL precisa ter. Eclodirá.

      Excluir
    5. Como tem bucha dramática inventando cenário, meu deus. No fundo, vcs adorariam ditadura pra terem pelo que lutar nessa vida vazia que vivem.

      Excluir
    6. 09:22 Pena que a realidade dá de dez na imaginação ou seja a vida imita a arte melhor que...

      Excluir
  6. Não sei o que fizeram. Mas a galera ta ensinadinha a repetir PT/Lula em tudo. Escândalos com tucanos e mesmo assim querem falar de lula pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe 14 anos de PT na presidência? Só vcs petistas que querem fingir que esses anos não aconteceram.

      Excluir
    2. Esquece pt Mona. O Brasil tem 500 anos vc aí com essa obsessão.

      Excluir
    3. Elas querem que esqueçamos do pt para... nos enfiar o lula pela goela.

      Nananinanão, queridinha! Primeiro o líder da OCRIM deve se preso, depois conversamos.

      Excluir
  7. ladrão é ladrão.Na época votei no Aecio, nao por ele, mas por ser de mta BURRICE da minha parte votar no PT. e pensar q tem gnt q os defende

    ResponderExcluir
  8. As manifestações anti-Dilma deixaram um exemplo errado para essa geração: de que ela caiu pelo protesto e não pela vontade política
    Regime Militar caiu pelo confronto ? caiu por vontade política dentro e fora do Regime e empresarial. Não foi por protesto, foi?

    E lembrem-se: Deputado não vive de voto. Vive de apoio das empresas. Todas essas investigações já provaram isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 21:56 Aprende a escrever depois vc volta.

      Excluir
  9. A gentaglia ainda não aprendeu a diferença entre Executivo e Legislativo, esse país tem os representantes que merecemos.

    ResponderExcluir
  10. ISSO MERECE UM POST ESPECIAL26 de maio de 2017 22:29

    O marido do primeiro-ministro luxemburguês, Xavier Bettel, o primeiro líder gay da União Europeia a casar-se, foi desta vez o único homem na fotografia de grupo das mulheres e maridos dos líderes da NATO, antes do jantar oficial no Castelo de Laeken, um evento paralelo da cimeira da NATO em Bruxelas.

    Gauthier Destenay, casado com Bettel desde 2015, pouco depois de o Luxemburgo aprovar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, era o único homem na fotografia das primeiras damas com a rainha Matilde da Bélgica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eleição no prazo devido só dá merda, imagine eleição precipitada.

      Excluir
    2. Se o Lula vai corrigir os malfeitos do passado? Que maldade a sua! Simplesmente não houve malfeitos nos governos petistas. Houve sim distribuição de renda entre os necessitados, Lulinha, Rosemary, Vargas, Dirceu, Valdemar, Silvinho, Edinho, Pallocci, 247, Carta Capital, JBF, Eike, Miss Bumbum, Erecira, Fabio Lula, Bumlai...

      Excluir
  11. Precisamos mesmo é cortar o país ao meio. Vocês sulistas terceirizariam a Presidência pra FIESP e tá tudo certo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkk única divisão possível

      Excluir
  12. Com esse povinho que abunda aqui, fundo do poço tem alçapão.

    ResponderExcluir