terça-feira, 11 de abril de 2017

MEIO ASSIM

O Meio é uma newsletter diária com curadoria do jornalista Pedro Doria. Assino desde que foi lançada, no final do ano passado. É a minha primeira leitura do dia, ainda na cama: um resumão das principais notícias, com links para os veículos de onde elas vieram. Hoje tive a grata surpresa de ver minha coluna de ontem no F5 incluída no Meio. Só posso agradecer incentivando mais gente a assinar (é grátis!!): www.canalmeio.com.br

15 comentários:

  1. Os Dilmistas e lulistas que vem aqui vão meter pau em vc por elogiar o Meio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esquece um pouco essa conversa, isso é paranoia.

      Excluir
  2. Lindo!!! Vamos botar esses machistas pra correr!!

    ResponderExcluir
  3. Tem o presidente da maior potência militar do mundo resolvendo treta de guerra nuclear PELO TWITTER

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem guerra, os Estados Unidos da America do Norte arriscam o PIB do Pais cair a pique. Sem guerra, quem e' que gastaria dinheiro em armamento? E os Paises com estabilidade, como poderiam eles - USA, - saquear as materias-primas e comprar empresas estatais, se esses Paises nao estivessem divididos internamente? E o armamento dos USA nao sendo usado, estando em stock, assim nao haveria mais investimento e encomendas para a industria militar e de armamento.

      Excluir
    2. Donald Trump já percebeu que seu "America first" não funciona e trocou por “American Guerra"

      Excluir
    3. Com Trump, o mundo se transformou num barril de pólvora. Alguém tem "bunkers" para alugar?

      Excluir
    4. Todo o presidente americano à procura de popularidade, encontra o seu Vietname ou a sua Somália.

      Excluir
    5. "Vamos resolver o problema por nós próprios", diz o inteligente Trump. Mas que problema causou a Coreia aos EUA? Ah, já sei, o Trump foi apertado para perder o cargo, e nada melhor do que uma guerra para "unir" os americanos.
      Lembram-se de a Iugoslávia ter levado com carradas de bombas para o Clinton fazer esquecer o episódio do bobó da Mónica?

      Excluir
    6. 16:07 comeu merda e agora tá vomitando ideologia de centro acadêmico aqui.

      Excluir
    7. 20:09 O senhor disse alguma coisa para além ter insultado?

      Insulta, quem não tem inteligência para mais: e sobretudo, revela a raiva, por saber que não tem razão.

      E já agora, veja lá, se é capaz, de mostrar que o que o outro disse disse, está errado.

      Excluir
  4. Tony, só vejo um erro na sua análise: resultado de paredão de BBB não reflete necessariamente a opinião da população. Reflete apenas a disposição de uma parcela que se importa o suficiente pra votar em BBB - lembrando que não existe limitação de voto por IP.

    São geralmente adolescentes que formam fã-clubes e que, do mesmo jeito que acampam 6 meses antes pra um show de Justin Bieber, passam os meses do BBB cegamente dedicados apenas a isso.

    ResponderExcluir
  5. O mio babbino caro
    Altamente desconfortável essa constatação, porém é fato. Observo a simpatia e admiração das pessoas pelo tipo machão, quando essa "testosterona" volta-se para si, aí não há muito o que se fazer. É difícil amar aquilo que se odeia ou odiar aquilo que se"ama".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (Querido Tony, não que você tenha que ser o Xerife do Brasil. Mas o que foi aquilo tudo na Hebraica. A Serpente do Ovo. Hitler não faria melhor)

      Excluir