segunda-feira, 10 de abril de 2017

IF WE TOOK A HOLIDAY

Meu inocente post de ontem sobre a versão do Pentatonix para "Bohemian Rhapsody" foi sequestrado nos comentários. Alguns leitores reclamam de eu não ter falado do MEC ter excluído orientação sexual e questões de gênero do novo currículo brasileiro. Não falei porque, preguiiiça, né? Como alguns repararam, se o PT, que se diz progressista, abriu as pernas todas as vezes que a bancada religiosa pressionou, imaginem se esse governo conservador não iria fazer pior. Temer precisa de todo o apoio possível para aprovar a impopular reforma da Previdência e, afinal, quanto valem os viados e as sapatas? Se a gente mal consegue eleger um mísero deputado federal e, quando elege, metade de nós fica falando mal dele? Até em São Paulo, essa metrópole tão evoluída, uma das grandes mecas LGBT do mundo inteiro, o único vereador assomadamente gay é uma vergonha para a categoria: o equivocado Fernando Holiday, que eu ainda não entendi se faz marketing ou se é burro mesmo.

37 comentários:

  1. Mas Tony, é difícil querer que todos os gays apóiem Jean Wyllis apenas por ele ser gay... Sim, ele é gay, mas ele é só isso? Ou é também verborrágico, arrogante, maniqueísta, extremista e sem jogo de cintura? Além disso, sou contrário a várias pautas dele não só sobre q causa LGBT mas também em outras, como a da redução da maioridade penal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eis um típico eleitor do holiday...

      Excluir
    2. Anônimo das 23:06 é melhor passarmos por cima de algumas questões, gays no Brasil já são por demais desunidos, e essa desunião só favorece os homofóbicos. O Jean é um exímio defensor dos direitos para pessoas lgbt no âmbito político-partidário brasileiro. E isso é fato. Jean está lá dando a vida (porque é vida mesmo) para defender pautas civis lgbt no Câmara. O que Jean passa muitos gays não passam e queriam passar. Você anônimo das 23:06, teria a coragem de arriscar sua vida como Jean arrisca a dele defendo lgbt's no Congresso Nacional? Lembrando que o Congresso/Câmara dos Deputados é um antro da mais pura homofobia.

      Excluir
    3. Com certeza anônimo das 00:10 esse das 23:06 é um gay do tipo Holiday, fascista. Vamos passar alguns informes ao imbecil do anônimo das 23:06: Fernando Holiday quando procurado pela ABGLT avisou de pronto que não iria defender direito para lgbt coisíssima alguma; Fernando Holiday pertence ao um tal de "movimento" que apoiou Ives Gandra para vaga no STF; Fernando Holiday não dialoga, grita, basta ver algum debate dele no Youtube, o moço visivelmente possui distúrbios psicológicos, deveria cuidar da sua própria saúde mental o Holiday; verborrágico, arrogante, maniqueísta, extremista e sem jogo de cintura anônimo das 23:06 é o Holiday, ele sim é tudo isso, não o Jean. Holiday é fascista e muito mais, agora sobre isso nada você falou anônimo das 23:06. O Jean é o tipo de gay que leva uma lâmpada na cabeça em alguma avenida Brasil afora, já o Holiday é o gay que ri da lâmpada e super apoia o agressor homofóbico. Gays como Holiday e como você anônimo das 23:06 não passam de doentes mentais que demonstram não terem a mínima decência com suas próprias sexualidade, suas próprias condições humanas, gays assim são lixo. E sim, escrevi muito e poderia escrever mais, porque para gays fascistas a resposta é um pouco longa mesmo.

      Excluir
    4. Acho simplista considerar que JW merece reverência imediata apenas por ser gay e lutar por "causas" que alguns, que se consideram mais iluminados que todos e monopolistas da verdade e virtudes, resolveram que são pautas de todos os LGBT. As pessoas não são apenas suas sexualidades. E eu me envergonho de alguém que posa pra capa de revista vestido do homofóbico assassino Che Guevara e que acha que hostilidade se resolve cuspindo nos outros.

      Excluir
    5. Respondendo ao anônimo 01:01: quase todos nós enfrentamos antros de homofobia todos os dias, e sem salários de marajá, verbas de gabinete surreais e reembolso total de quase tudo. Desculpe, mas transformar JW num mártir por estar no Congresso não rola MESMO.

      Para o anônimo de 01:26: Vem cá, e quando foi que virou disputa JW x Holiday? Eu manifestei minha opinião sobre JW, porque foi o que me deu vontade de fazer. Defendi Holiday? Repense no fato de você chamar desconhecidos de doentes mentais baseado apenas numa opinião sobre JW que te incomoda, enquanto você reage a uma agressão que não houve do mesmíssimo jeito que você descreveu Holiday.

      Excluir
    6. 07:04 há muito a "fantasia de Che" se tornou um sinonimo de contestação.Só isso. Vendida em qualquer loja de departamento. Não faz a dramática, depõe contra.

      Excluir
    7. 23:45 Seu linguajar resume a situação. Vocês acham que todos os gays querem purpurinar e falar bichês ("não faz a Fulana", etc). Quem quiser ser assim beleza, mesmo. Mas aceitem que tem quem viva muito bem e é feliz sendo gay sem precisar se enfiar em gueto nem mimetizar um certo estilo de vida. Tem quem conviva com amigos heteros e gays e seja respeitado diariamente. Tem quem não passe a semana esperando a hora de ir pra balada e quem nem goste de divas pop. Não somos poucos. E pra nós, JW faz mais contra os gays que a favor.

      Digo e repito: JW está no Congresso, não num DCE. Política se faz com conversa e persuasão, não com prepotência e extremismo. Jean prega apenas pra convertidos. Sabe quando isso trará algum resultado para os LGBT? NUNCA. Ninguém sequer o cumprimenta no Congresso. E não é por ele ser gay não. É por ser estridente, vitimista, ter aquele ar professoral arrogante de quem se acha superior a todos e por adorar problematizar o que quer que seja. Não se faz política assim, ponto.

      Vamos fazer o seguinte exercício. Parem de imaginar, por um só momento, que vocês são Os Escolhidos, Os Iluminados, os únicos que enxergam as coisas e tentem acreditar que vocês são apenas pessoas com suas opiniões. Não, não são mais especiais que ninguém, apenas mais um brasileiro com sua opinião. Pronto. O resto de nós também: somos pessoas com opiniões. Chamar quem discorda de "burro" e "ignorante" é apenas demonstração de desequilíbrio e de ego inflado. Porque desculpe informar, vocês não são Mensageiros da Verdade. Vocês têm apenas o que todo mundo tem: uma opinião.

      Excluir
  2. O problema da militância brasileira é o binarismo esquerda-direita, esquecendo o eixo conservador-liberal. Se o Fernando Holiday é um liberal de direita, o Jean Wyllys é um conservador de esquerda. Onde ficam os liberais de esquerda? E os conservadores de direita? Quer dizer que se você é a favor do casamento gay necessariamente tem que ser a favor de um estado brasileiro que interfere na economia a cada sinal de fumaça? Ou que se você é contra o aborto, necessariamente você tem que ser a favor das privatizações? Essa é uma jabuticaba advinda da nossa imaturidade política. E os gays de centro que são a maioria? Vai se representar nesses extremos? Nesse caso melhor nos aventurarmos ao bipartidarismo, pelo menos teríamos o exemplo dos americanos para tentar formar uma democracia relativamente estável...

    PS.: Ridicularizar os defensores do Holiday é tão intolerante e ignorante quanto ridicularizar os defensores do Wylly, vcs se merecem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é não. A enorme diferença é q JW defende uma pauta LGBT e o FH defende a pauta de héteros, de preferência, brancos. Isso deveria ser fator a ser considerado por eleitores gays e homofóbicos.

      Excluir
  3. Gays à la Fernando Holiday nos Estados Unidos apoiam o homofobico Neil Gorsuch para o Supremo de lá, aqui apoiaram Ives Gandra. Gays à la Fernando Holiday nos Estados Unidos apoiam Ted Cruz e George W Bush, aqui pelo Brasil apoiam Bolsonaro e Feliciano. Caralho, como são podres gays à la Fernando Holiday. Mermão, gays assim são a escória dentro da comunidade.

    ResponderExcluir
  4. Fernando Feriado conhece a psiquê humana. Procura pelo em casca de ovo, produz polêmica do nada para se manter na boca dos cidadãos da internet. E cria as polêmicas "certas": aquelas que vão aumentar ainda mais a polarização entre esquerda e direita, aquelas que incendiam os dois lados de raiva e ultraje moral. Pesquisadores descobriram que o tipo de conteúdo que mais produz likes e shares na internet são aqueles que causam raiva e indignação, bem a frente daqueles que causam alegria e risos.

    Fernando Feriado é o futuro da política. Uma política memetizada e reduzida a meu lado é melhor que o seu e quero que você morra. Sempre dá certo. Vide Trump e Bolsonaro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá, porque Lula não faz exatamente isso há décadas com o discurso eterno de "nós contra eles"...

      Excluir
  5. Esses do mbl são recrutados treinados para uma finalidade específica eu duvido q ele seja gay. Enfim, não temos futuro no Brasil

    ResponderExcluir
  6. O Rio elegeu o David Miranda.

    "...ai, mas é PSOL, comuna, vermelho, vai pra cuba..."
    [roll eyes in spanish]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse capacho de jornalista estrangeiro só foi eleito pela cota, puxado pela votação no partido. Assim como Jean na primeira eleição.

      Excluir
    2. Se por capacho, você quis dizer marido...

      Sim, entrou pelo coeficiente eleitoral. Se essa regra nefasta existe, que pelo menos usemo-la a nosso favor.

      Excluir
    3. Kirido, é capacho, é garoto de recado, e ele se beneficiou pela lei, mas é a exceção que confirma a regra, gay não vota em gay só pela sexualidade. Eu jamais votaria em gay socialista, durmam com isso.

      Excluir
    4. "Como queríamos demonstrar"

      [ROLL EYES IN TONYGOESISH]

      Excluir
  7. Sobre a patrulha ideológica, nada mais é que uma forma de censura. "Mas você não falou sobre A, não falou sobre B". Nada mais que censura. O blog é seu, você fala o quê quer.

    Eu não me sinto representado nem pelo Jean, nem pelo Holiday. A Vera Magalhães no Estadão fez um texto destacando o autoritarismo dos dois. Será que uma mudança de postura não seria melhor para ambos?

    ResponderExcluir
  8. MEU Deus muito triste o que está acontecendo no Brasil!!! Regredindo 50 anos em 6 meses

    ResponderExcluir
  9. O Holiday apenas achou um nicho de mercado. Uma forma de se promover com base no fato de ser gay e negro. Mas é óbvio que ele não está nem aí para os gays, e é tão representante dos negros quanto o bolsonazi.

    No mais, já está liberado o uso do termo "bicha holiday" como sinônimo de bicha burra, escrota e reaça né?

    ResponderExcluir
  10. Ele é burro mesmo. Ta na cara. Excelente post por sinal. Lgbt não vota em lgbt neste país, nem mesmo em héteros que apoiam nossa causa. Lgbt vota em candidato que não deveria votar. Reclamar do quê então né? Falei uma vez e repito, pegando São Paulo como exemplo, a não eleição de Todd Tomorrow (exímio defensor dos lgbt) e a eleição desse babaca do Holiday, diz muito sobre os lgbt no Brasil. Só isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou seja, só você conhece a luz, e que não concorda é burro. Parabéns.

      Excluir
  11. E esse tal holiday é filiado ao dem, partido cheio de reaça. Mas esperar o que, o cara é um reaça, só poderia estar filiado a um partido reaça mesmo. Não me sinto envergonhado por causa desse holiday pois tenho ciência que ele representa uma minoria de gays.

    ResponderExcluir
  12. "Se a gente mal consegue eleger um mísero deputado federal e, quando elege, metade de nós fica falando mal dele?"

    Achei interessante isso. Imagine se houvesse apenas um candidato gay a câmara dos deputados federais e ele fosse o Fernando Holiday. Vc votaria nele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa situação já aconteceu antes. Em 2006, Clodovil foi o único candidato à Câmara de Deputados assumidamente gay. No entanto, fez campanha dizendo que não ia mexer uma palha pelos gays. Não votei nele, claro.

      Excluir
    2. O QUE SE PODE FAZER É:OS DA ESQUERDA TEM O JEAN WYLLIS PARA DEFENDER NOSSOS INTERESSE LGBT.

      E AS BICHAS DA DIREITA, DO CENTRO E DA EXTREMA-DIREITA QUE NÃO CONCORDAM COM AS PAUTAS DEFENDIDAS POR JEAN , O QUE PODEM FAZER É VESTIR A CAMISA VERDE AMARELO DA CBF E IR PRA RUA EXIGIR QUE SEUS CANDIDATOS DA DIREITA ,CENTRO E EXTREMA DIREITA FAÇAM ALGUMA COISA PARA AVANÇAR OS SEUS DIREITOS LGBTT

      Excluir
  13. Menos Jean e mais Holliday.
    O Fernando Holliday sim representa o pensamento da maioria dos gays do país!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A voz do camarote vip apareceu.

      Excluir
    2. Deus nos livre! Holiday precisa tirar umas férias, esfriar a cabeça.

      Excluir
  14. É difícil viver num país onde a esquerda é burra e a direita idem.

    ResponderExcluir
  15. É marketing Tony é marketing, se ele é uma decepção para os gays imagina para nós negros!!!

    ResponderExcluir
  16. O mio babbino caro
    Esse Holiday é o pobre diabo, morador de Osasco, que aceitou fazer o papel sujo, de interesse dos empurra pato. É usado e será descartado, pelo "Brasil podre/burro".
    "But he can't be blamed
    He's only a pawn in their game."
    (BD)

    ResponderExcluir
  17. Certa vez a psicóloga homofóbica marisa lobo interpelou o ministro da saúde ricardo barros num aeroporto e falou sobre "ideologia de gênero". A psicóloga homofóbica falou que ser contra a "ideologia de gênero" era uma questão de saúde mental (lol). Daí o ministro barros rebateu marisa dizendo o seguinte: "Isso já acabou. O MEC agora é do DEM, somos conservadores". Disse tudo o ministro, precisa falar mais o que.

    ResponderExcluir