sábado, 25 de março de 2017

DISCRETOS TÊM QUE SER OS BURROS

Não vou mais entrar em treta com estranhos no Facebook. Não vou mais entrar em treta com estranhos no Facebook. Não vou mais entrar em tr... epa, alá um estranho falando merda! E assim entrei numa treta logo cedo neste sábado, ainda antes do café da manhã. Minha querida Mariliz Pereira Jorge linkou sua coluna de hoje na Folha, criticando as declarações homofóbicas de Eurico Miranda. O presidente do Vasco defecou que "não tenho nada contra homossexual, mas contra veado", "Sou contra o gay espalhafatoso. Todos têm direito de ter a sua opção. Só não pode agredir o outro" e "O cara espalhafatoso me agride". Coitadinho, não é mesmo? Uma bicha louca deve doer tanto nele quanto uma lampadada na cabeça. Bom, o texto da Mariliz é sobre a quase nenhuma reação que essas barbaridades tiveram, sinal de que muita gente pensa como Eurico. E não é que veio uma fulana dizer que "meio que concorda" com esse troglodita? Para quê, não é mesmo? O sangue me ferveu e eu me meti na discussão, ainda que com mais comedimento do que nos  velhos tempos. A tal da mulher ainda tentou se safar com a clássica "é minha opinião, nem todos são obrigados a gostar de jiló", como se hortaliças e gente que apanha por ser o que é  fossem a mesma coisa. Pois eu não gosto de burros e preconceituosos: eles me agridem, e acho que não deviam deixar sua ignorância transparecer.

12 comentários:

  1. Assediar (no sentindo de flertar e olhar) um hetero é uma agressão?

    ResponderExcluir
  2. Achei que ninguém tinha repercutido sobre a fala do Eurico porque quem é Eurico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cara que se elegeu deputado federal DUAS vezes prometendo dedicar sua atuação parlamentar totalmente ao Vasco. Sim. Essa era a plataforma dele. Defender o Vasco na Câmara dos deputados. Nada mais.

      Excluir
  3. Excelente, Tony. Não há mais espaço para preconceito e não podemos deixar a onda de intolerância falar mais alto. E o que vem da boca desse merda não vale o nosso latim. Péssimo, no entanto, é o silêncio da audiência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso só vale para LGBT ou é Geral?

      Excluir
  4. Um homem hétero assediar (no sentido de flertar e olhar) uma mulher hétero, ou vice-versa é uma agressão? Flerte vc aceita ou nao, independente de quem venha. Na era dos primatas talvez não tivesse escolha mas em 2017...

    ResponderExcluir
  5. Como sempre concordo com você, Tony! Mas tem um ponto que você não levanta, os próprios gays, e são muitos, tratam os gays afeminados e espalhafatosos com desrespeito e grosseria, dá um pulo em qualquer aplicativo de pegação para você ver.
    Então, essa ser uma opinião de um homem hétero e mais velho, de certa forma não me choca tanto.
    E não vou ser hipócrita, sinto atração por caras de aparência masculina, mas acho que preferir não é descambar em um discurso de ódio e exclusão, porque no final para pessoas como esse senhor do post, somos só viadinhos e cidadãos de segunda classe, inclusive os não afeminados.

    ResponderExcluir
  6. Fala mal dos discretos mas a maioria dos seus amigos é discreto, até mesmo seu marido não é escandaloso.
    Até você mesmo não fica dando tanto pinta do jeito que tenta passar a impressão (já te vi em festas andando de jeito sério e masculino).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde que eu falei mal dos discretos? Me mostra aí. estou é falando mal dos preconceituosos.

      Excluir
  7. Eu não gosto de gente que diz palavrão ou vulgaridades, quem fala alto, força intimidade ou conversa com muita proximidade física. Independente de ser gay, hetero, discreto, afeminado, mulher ou homem.
    Se um afeminado for assim vou querer distância dele e isso não é preconceito!

    ResponderExcluir
  8. sou másculo e discreto - procuro discretos - viva a falocracia - próxima reencarnação serei g0y HAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 20:02 Abaixa a bola Mané, porque quando souberem que você é viado, você será somente mais uma bicha e pronto.

      Excluir