quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

TOCANDO O TERROR EM TEERÃ


Uma mulher apavorada corre pela rua de madrugada, com a filha pequena no colo. De repente, cruzam com uma patrulha. E o que acontece? A mulher vai em cana, porque está fora de casa sem o véu lhe cobrindo os cabelos. Esta é um dos momentos mais fortes de "À Sombra do Medo", o filme de terror falado em persa que representou a Grã-Bretanha neste Oscar (não ficou nem entre os nove semi-finalistas). E olha que a cena não tem nada de sobrenatural: a trama se passa em Teerã em 1988, no final da guerra entre o Irã e o Iraque. O medo já fazia parte do cotidiano, pois a cidade era bombardeada por mísseis quase todos os dias. Como se não bastasse, a revolução islâmica consolidava a ditadura religiosa que perdura até hoje. A nível pessoal, a protagonista do filme ainda enfrenta dois problemas: não pode voltar para a faculdade de medicina, e seu marido é convocado para o front. Portanto, é bastante razoável que ela comece a ver djinns, uma espécie de espírito maligno, lhe assombrando a casa. Esta produção de baixo custo e muitos sustos já está disponível há meses no Netflix, mas eu só fiquei sabendo disso depois que ela ganhou o prêmio de melhor primeira obra no BAFTA, o Oscar britânico. Nem sou chegado ao gênero, mas não resisto a um terror iraniano.

8 comentários:

  1. Bixa fina. Tony, estou revendo no YouTube a novela dona beija, mal sabia eu (gasp) ela é baseada em fatos reais. E olha a mulher de vdd
    https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Dona_Beja#/media/Ficheiro%3ADona_Beija_Retrato.jpg

    Detalhe de lá pra cá nada mudou só piorou na sociedade brasileira

    ResponderExcluir
  2. O mio babbino caro
    Era uma vez o Xá Rezā Shāh Pahlavi, Soraya Esfandiary e Ayatollah Ruhollah Khomeini...não resisto a um terror iraniano.

    ResponderExcluir
  3. Você viu "The details" na Netflix?

    ResponderExcluir
  4. O filme é bem mais ou menos, apesar de construir bem a tensão. Mas soube fazer muito, em termos de terror, com pouco.

    ResponderExcluir
  5. Adorei! Obrigado pela dica!

    Muito interessante que o "fantasma" tenha forma de um véu (chador) que tenta sufocá-la. E que os espíritos conservadores do mal destruam logo a fita casseta da Jane Fonda. Mais literal que isso, impossível.

    A curiosidade é que ele concorreu ao Oscar pela Grã-Bretanha, apesar de não ter conseguido seguir no páreo. Uma pena!

    ResponderExcluir
  6. Vi hoje, por conta de sua dica. Fraquinho, mas valeu.

    ResponderExcluir