segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

O TOCANTINS INTEIRO PARA ELA

A maior surpresa do show de Lady Gaga no Super Bowl? Não houve surpresas. Nenhum convidado especial, nenhuma música fora de seu repertório, nenhum momento ultrajante. Nada de dedo médio levantado para a câmera ou "wardrobe malfunction". Mas não dá para reclamar (muito). A performance foi impecável, confirmando que a Germanotta é mesmo uma das maiores "entertainers" da atualidade. Também é assombroso o apuro técnico: juro que eu pensei que aqueles 300 drones flutuando atrás delas durante a abertura no topo do estádio eram um efeito digital. Gaga preferiu unir a plateia global ao invés de dividi-la ainda mais com uma diatribe contra Donald Trump, e Deus sabe como estamos precisando de união. Mas será que perdeu a oportunidade de protestar contra o banimento dos muçulmanos, a desregulamentação do mercado financeiro e a construçnao do muro na fronteira mexicana? Foi ridícula no sentido da ESPN, ou no sentido original? Leia mais sobre o assunto na minha coluna de hoje no F5.

11 comentários:

  1. Boa tarde, Tony. Texto cirúrgico. Dúvida atroz. Entretenimento é uma coisa, expressão política é outra. O encontro das duas é sempre louvável quando adequado ao mérito. Acho que o recado político foi dado do lado de fora do estádio. Gaga não optou por iniciar o show daquela maneira por acaso. Estava fora do estádio, fora do alcance da massa vermelha dos eleitores de Trump.

    Gaga foi genialmente política no detalhe. Artista na performance. O recado foi dado na exatidão.

    O Pot-pourri agradou e fez dançar. Não foi a melhor apresentação de Gaga mas, o que fazer em mínimos 13 minutos de apresentação?

    Não conheço todas as performances de intervalo do Super Bowl, das que assisti, Madonna foi a que melhor ritmo impôs ao espetáculo. Sem politizar a apresentação ela soube entreter e "Divar" como poucas.

    Gaga, após a noite de ontem, seguirá sendo o que já é... nada mais... nada menos... do que uma das maiores e mais autênticas artistas de nosso tempo.

    Vamos acompanhar os próximos capítulos dela na luta contra o Estado Autocrático de Trump.

    ResponderExcluir
  2. Sim, houve uma mensagem política bem clara:
    "The Grammy winner kicked off her fiery halftime show at the top of Houston's NRG Stadium singing "God Bless America" before transitioning into "This Land Is Your Land."
    Then, before Gaga jumped from the roof, she concluded her emotional intro by quoting from the Pledge of Allegiance: "One Nation under God, indivisible, with liberty and justice for all," with a clear emphasis on the "for all" part." - Fonte CNN.

    This Land is Your Land é um resposta crítica a God Bless America, de Irving Berlin, e é um dos mais famosos folk songs americanos seguindo o estilo de canção de protesto com conteúdo fortemente politico. A escolha do Pledge of Allegiance é ao mesmo tempo um pouco ironica.

    ResponderExcluir
  3. Pra quem se acha a maior estrela do universo, ainda acho que a Gaga deve alguma coisa ao mundo pop. Coisa que Madonna, Michael Jackson, Elvis, Beyonce e Beatles conseguiram.
    Na apresentação de ontem ficou claro isso. Vi mais uma diva pop talentosa mas com pouca importância para o mundo. A Katy Perry tb fez um trabalho impressionante ano passado.
    Então, nada novo e mais do mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Tinha muito republicano por lá. Preferiram apaziguar os ânimos invés de algo que pudesse gerar conflitos.

    ResponderExcluir
  5. Como adição ao texto, adorei a inclusão de grande parte da letra (toda?) de Born this way, principalmente por isso aqui:

    No matter gay, straight, or bi
    Lesbian, transgendered life
    I'm on the right track, baby
    I was born to survive
    No matter black, white or beige
    Chola or orient made
    I'm on the right track, baby
    I was born to be brave

    Se Gaga comprou briga? Também acho que não. Mas uma letra dessas nesse espaço e nos dias que correm foi massa de ouvir.

    ResponderExcluir
  6. ufa. ainda bem que encontrei leitores que captaram a ironia do "liberty and justice for all". Achei que ia encontrar a tradicional giletada de bichas brigando por diva.

    ResponderExcluir
  7. O mio babbino caro
    Surpreendentemente, precisamente, competentemente hipnotizante. O poder das Gays. Vamos aguardar a versão Arouche, qualquer domingo à tarde rs happy

    ResponderExcluir
  8. Por vários momentos achei q fosse Joelma.

    ResponderExcluir
  9. Gaga preferiu unir a plateia global ao invés de dividi-la ainda mais com uma diatribe contra Donald Trump+1

    ResponderExcluir
  10. Leia mais sobre o.... Ah ta! Pode deixar que eu vou ler sim....get a life!!!

    ResponderExcluir