terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

MOQUECA CAPIXABA

Há menos de um mês, o Espírito Santo foi apontado como exemplo de estado que soube apaziguar suas prisões, onde não morre ninguém há anos. Há menos de um mês, o Espírito Santo recebeu elogios por manter contas e salários em dia, enquanto que estados mais ricos como Rio de Janeiro ou Minas Gerais afundam na inadimplência. Uma das causas dessa boa situação econômica é o controle dos gastos públicos: servidores estão sem aumento há anos, mas pelo menos são pagos em dia. Agora uma dessas categorias sem aumento resolveu transformar os capixabas em moqueca, em mais uma prova de que não se pode elogiar. A greve da PM (pois é greve, por mais que jurem que são os parentes que não os deixam sair dos quartéis) mostra como é fraca a cola que une a sociedade brasileira. Basta não haver policiamento para que lojas sejam saqueadas até por gente comum - claro, a ocasião faz o ladrão.O Espírito Santo arde, como numa igreja neopentecostal.

10 comentários:

  1. Um absurdo isto, é tirar esta gente de lá e botar os policiais na rua, o trauma que as pessoas estão passando nas ruas de lá é um tremendo absurdo!

    ResponderExcluir
  2. Bastaria os governos seguirem uma regra simples, lógica, justa, prevista expressamente na Constituição, mas desrespeitada a rodo: correção salarial anual pela inflação. Os governos passam anos sem dar qualquer aumento pros servidores. Anos. Quando vai ver, a defasagem em bola de neve chega a 50% do poder de compra rapidinho. Qual pai de família dá conta disso? O que se planta, se colhe.

    ResponderExcluir
  3. Não entendo essa besteira de botar a culpa do que aconteceu em grande parte na "falta de cola social" do brasileiro. Quando a polícia entra em greve, o caos se instala em qualquer lugar do mundo. É uma questão humana, e não brasileira.

    Para provar o que estou dizendo, basta se informar sobre as noites de terror de Montreal no Canadá em 1969, que aconteceram justamente durante uma greve policial. E vejam só, num país desenvolvido e onde supostamente as pessoas são melhores.

    https://en.wikipedia.org/wiki/Murray-Hill_riot

    http://www.cbc.ca/archives/entry/1969-montreals-night-of-terror

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe como é né? Botar a culpa no brasileiro é mais fácil que falar que a situação de desconsideração com os servidores públicos em geral e com os policiais do ES em específico é a causa dessa calamidade.

      Em tempo: o ES é governado pelo PMDB (Paulo Hartung), e dizia-se que era um PMDB diferente, melhor. Fica claro que o melhor PMDB ainda é o pior possível.

      Excluir
  4. E pq n bota p torar nesses fdp q tao fodendoa ppopulação? Cacete e canadura presses porra.

    ResponderExcluir
  5. O homofóbico do Magno Malta vem desse estado. Não há nada de especial no Espírito Santo. Nada.

    ResponderExcluir
  6. Essa é mais uma face da corrupção no Brasil. Se eles não roubassem tanto, seria possível pagar um salário melhor aos PMs(e aos professores, aos médicos...).
    R$2700 pra entrar em favelas e receber tiros de bandidos altamente armados e sem nada a perder?? é uma piada!
    O caos que está aí não é culpa da PM nem da população.
    É dos governos estaduais e Federal.
    Vamos esperar pra ver qual vai ser o próximo Estado a ocupar a mídia(porque em caos todos estão) ...
    E é engraçado ver a cobertura da mídia, que fala da barbárie, fala da PM, fala da população sitiada, mas esquece de dar nome aos políticos que são pagos pra evitar que tudo isso aconteça.

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde, Tony. Triste situação. Destaco um fato que já foi levantado por outros leitores. O Espírito Santo é comandado pelo PMDB e a cobertura da imprensa parece querer descolar o partido de sua responsabilidade direta. O governo se nega a "conversar" com as categorias em greve.

    Prover segurança é responsabilidade de Estados e Municípios. Espero que os cidadãos capixabas acionem legalmente o estado. Uma ação que penalize os reais responsáveis por toda essa estruturante desgraça. É preciso cobrar satisfação de quem deveria, e irresponsavelmente, não tomou TODAS as medidas cabíveis para a resolução do quadro.

    Há muito tempo percebemos que a humanidade está descolada do "Contrato Social" intrínseco ao sistema organizada de convivência e suporte mútuo. Esquecemos as razões que nos levaram a viver em sociedade. Qualquer brecha é utilizada para retornarmos ao estado selvagem. Clã contra clã, homem contra homem. É um pacto universal de nossa inconsequente espécie.

    A ausência do Estado explica mas de forma alguma justifica o que as autoridades policiais estão fazendo no Espírito Santo. Existem responsabilidades legais a serem cumpridas por todos os envolvidos. Faltar com esta responsabilidade é crime. Seja de um lado, seja de outro lado.

    Não há progresso humano no caos. Vivemos todos num abismo político social sem precedentes. Hoje é o ES, amanhã serão outros Estados.



    ResponderExcluir
  8. Gente, vamos ajudar a Tássia Camargo, fazendo uma campanha pra levantar fundos pra ela fazer um tratamento psiquiátrico. Depois de pedir comida para uma pessoa bem de vida como a Dilma Rousseff, Tássia endoidou de vez. Precisamos ajudá-la.

    ResponderExcluir
  9. A greve dos policiais capixabas é um dos efeitos colaterais do chamado "controle de gastos", defendido fervorosamente e sem restrições pela imprensa. Há que se repensar esse controle.

    Embora abaixo do necessário e do desejado, o salário mínimo é reajustado todo ano. Mas servidor público pode ser sacrificado e ficar sem aumento, por amor a um controle de gastos que só interessa aos que menos trabalham.

    Que venham mais greves. E mais barbáries. No Brasil, direito trabalhista só se conquista com sangue.

    ResponderExcluir