domingo, 5 de fevereiro de 2017

FILME DE MENINO


Dos nove indicados ao Oscar de melhor filme, "A Qualquer Custo" é o único que não foi feito pensando em prêmios. É o mais despretensioso do grupo e um dos dois com mais testosterona (o outro é "Até o Último Homem", que eu estou juntando coragem para ver). Foi lançado em agosto nos Estados Unidos, longe da temporada de prêmios, mas chegou até ela graças ao boca-a-boca e a ótimas críticas. Por causa disso fui esperando uma experiência quase tarantinesca, mas o roteiro é sóbrio e passa longe das piadinhas. Um cara que está prestes a perder a fazenda da família conta com a ajuda do irmão, recém-saído da cadeia, para roubar uma série de agências do banco para o qual eles devem uma fortuna. Aí, um tira às vésperas da aposentadoria - sim, isso mesmo, tiveram coragem - parte ao encalço da dupla. "A Qualquer Custo" até se propõe a ir além do bangue-bangue e meditar sobre o interiorzão americano empobrecido, aquele que achou que um magnata apresentador de reality show iria trazer de volta os bons velhos tempos. Não tem gordura sobrando, mas para mim faltou aquele momento "ooooh" que justificasse as quatro indicações ao Oscar. Talvez seja para menino demais?

2 comentários:

  1. É um filme até monótono, com exceção da perseguição final que tenta levantar o filme. E o personagem do Jeff Bridges é TÃO clichê.

    ResponderExcluir
  2. Eu imaginava vc um coroa gostosão, ativo macho alpha, pura testosterona e ainda por cima um escritor intelectual.
    Depois desse post dei uma leve brochadinha!

    ResponderExcluir