segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

X-TUDO

Descobri The xx tarde, quando eles já estavam lançando seu segundo disco. Era 2012, e de repente eu não parava mais de ouvir "Coexist". Também fui atrás do álbum de estreia dos caras, tão influente que até Shakira regravou uma de suas faixas. Em 2015 eu me joguei de cabeça no trabalho solo de Jamie xx, o produtor da banda. "In Colour" expandia o som diáfano de seus colegas para novos horizontes e ganhou um monte de prêmios. Esta foi a senha para o The xx se reinventar em seu terceiro CD, que consegue a proeza de soar igual e diferente a tudo o que eles fizeram antes. Pela primeira vez, há samples de outros artistas em suas músicas (inclusive da hipnotizante "Just" de David Lang, incluída na trilha de "Youth"). Também se arriscam com ritmos e instrumentos variados, como se aquele nerd tímido estivesse criando coragem para se jogar na pista de dança. Enquanto isto não acontece, um bom programa é escutar "I See You" com atenção e perceber suas inúmeras camadas e filigranas. É o primeiro grande lançamento musical de 2017.

Um comentário:

  1. Amo The xx!

    Baixei uns dias atrás e gostei desse novo album!

    ResponderExcluir