terça-feira, 24 de janeiro de 2017

VAI, ISABELLE!

Ufa. Isabelle Huppert foi indicada ao Oscar. Isto compensa o fato de Amy Adams (excelente em "A Chegada") e Annette Bening (que eu ainda nem vi em "20th Century Women", mas sei que está fantástica) terem sido esnobadas pela Academia. na verdade, não tenho muito do que reclamar. As indicacões deste ano se concentram em obras de diretores jovens, com poucos títulos no currículo - um sinal de que até a Academia está buscando se rejuvenescer (apear do ultrarreacionário, racista, antissemita, etc. Mel Gibson ter sido lembrado para melhor diretor). Comento mais sobre o assunto na minha coluna de hoje no F5.
Apesar de seu ar de mulher mais blasé do mundo, o fato é que La Huppert há anos vêm investindo no mercado americano. Fez até participação num final de temporada de "Law and Order - SVU" alguns anos atrás, apontando uma arma para Sharon Stone. Mas só esta última é identificada pelo locutor da chamada, inclusive como "indicada ao prêmio da Academia". Hmm, vão ter que atualizar.

13 comentários:

  1. Engraçado como a Academia aguenta caladinha o Mel Gibson, quanta desfaçatez. Ele pode tudo, esse é o recado que os acadêmicos passaram ao indicá-lo. Se alguém de ascendência judia (Natalie Portman é) ou qualquer outra pessoa ofendida por este senhor vencer em alguma categoria, espero que não se cale e fale o que ele é de verdade, para o próprio Gibson, para pessoas ultrareacionárias como ele e para a Academia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que haver um representante da estupidez que estamos vivendo no momento. A minha felicidade é que essa gente não vai durar muito tempo. A história não conta a favor deles.
      Deixemos eles fazerem a festinha deles por enquanto.

      Excluir
  2. finalmente concordo com tudo neste post ATÉ AGORA

    ResponderExcluir
  3. Goste ou não do casal Smith mas ele deram uma boa sacudida ano passado, e acabaram forçando a Academia mudar algumas de suas regras. Tudo bem, Will fez tudo aquilo porque não conseguiu ser indicado a "Melhor Ator em um Papel Principal", mas o moço (que possui um ego imenso) provocou mudanças. Na presidência de uma pessoa de cor a Academia por dois anos seguidos praticamente não incluiu negros/hispânicos/mestiços na premiação, indo de contra às expectativas que a chegada de Cheryl Boone na presidência da instituição representava.

    ResponderExcluir
  4. Ela está maravilhosa mas não tem a menor chance. No Globo de Ouro são apenas 100 votantes, jornalistas... pro SAG que é a mesma categoria que vota no Oscar ela não foi indicada. Eles são caretas demais pra apreciar o trabalho dela em Elle

    ResponderExcluir
  5. E a indicação de Mel Gibson traz à tona a velha questão: julgar somente pelo trabalho ou também incluir no julgamento os posicionamentos da vida pública/privada. Uma linha muito tênue e que propicia discussão longa. Agora, já que a Academia resolveu dar um recado a Trump pelo conjunto da obra, essa indicação de Mel Gibson mina esse recado. Com Trump uma posição, e com Mel Gibson um fascista como Trump outro de tipo de posicionamento. Cola não, viu. Não mesmo. Um óleo de peroba para a Academia.

    ResponderExcluir
  6. Gays adoram esses prêmios idiotas.

    ResponderExcluir
  7. Não sei o que vc vê na sem sal da Annette, aff!!!!

    ResponderExcluir
  8. Annette Bening sempre fez grande lobby para ter uma estatueta, no entanto sem sucesso, em parte porque concorreu com interpretações mais sedutoras que as sua. Amy Adams se fosse indicada não venceria. Bening faria um poderoso lobby como sempre mas sem sucesso como é de praxe, e Amy apenas estaria completando a lista. Então talvez tenha sido melhor para ambas não terem sido indicadas.

    ResponderExcluir
  9. Partilho do seu incômodo pela ausência da Amy Adams! A chegada recebeu oito indicações...E o filme é ela! Não faz sentido sem aquela atuação que dá todo o tom do filme, ela é o filme.
    Vou ficar descrente se a Emma Stone levar o prêmio frente à Isabelle Huppert.
    Torço para Viola Davis, mas, não ficarei chateado se a Michelle Williams levar.
    E na expectativa para ver se Animais fantásticos rompe com a sina da saga Harry Potter que no total levou 12 indicações e nunca ganhou nada.
    *La la land é ótimo, divertido, dá vontade de cantar dentro do cinema, etc, etc, etc. Mas o filme não é isso tudo.

    ResponderExcluir
  10. Qual a medida que a Academia usa para mensurar o caráter de determinados indicados? Nate Parker viu seu filme ser deixado de lado porque é suspeito de um caso de estupro quando era estudante universitário. Mas Roman Polanski não é suspeito, muito pelo contrário, é um foragido que não pode pôr os pés nos Estados Unidos, e um sujeito desses que abusou de uma adolescente possui Oscar. Daí vem a Academia querendo dar recado a Donald Trump e indica Mel Gibson a "Melhor Direção" e dá ao filme dirigido por ele seis indicações. Ah, podemos falar de Elia Kazan também, dentre outros. Ridículo essa postura altamente hipócrita da Academia. Se condenam Donald Trump, que condenem Mel Gibson que é parecidíssimo com Donald. Seletivismo é por si só uma bosta.

    ResponderExcluir
  11. O mio babbino caro
    Veremos se a premiação de "Moonlight", confirma esse rejuvenescimento que a academia está buscando.

    ResponderExcluir