terça-feira, 24 de janeiro de 2017

O CANTO DESSA CIDADE SOU EU


Nunca tive coragem de pular carnaval na Bahia. Isto não me impediu de ter uma fase, ali pelo final dos anos 1980, em que eu ouvi muito Olodum. Aquela batida sincopada não se parecia com nada e ao mesmo tempo soava primitiva, primordial. Agora, com um certo distanciamento, dá para perceber que a explosão de ritmos baianos foi a coisa mais bacana da música brasileira nos últimos 30 anos. Até os hits mais bobos e pornográficos ("vamos abrir a roda...") ganharam a pátina de clássicos, ainda mais se comparados com a indigência do sertanejo. "Axé - O Canto do Povo de um Lugar" é um bom retrato desse movimento, que na verdade reúne estilos muito diferentes que têm só Salvador como denominador comum. O documentário traça uma linha cronológica desde o surgimento dos trios elétricos até a relativa decadência dos dias de hoje, apesar de umas emboladas (timbaladas?) aqui e ali. Mas não responde a pergunta que me carcome há nos: como é que a cidade mais negra do Brasil tem como suas maiores porta-vozes três cantoras brancas? Daniela, Ivete e Claudinha são talentosíssimas, claro, mas como é que nenhuma cantora negra chegou ao mesmo patamar que elas?

51 comentários:

  1. E de novo o bloguista caindo na armadilha de ver apenas a cor das pessoas, como se cor garantisse algo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai interpretar texto bem assim na casa do caralho.

      Excluir
    2. Tony, o nome disso é desonestidade intelectual.

      Excluir
  2. Margareth Menezes é phodona, hein! Olha lá 🙃

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda vez que eu toco nesse assunto vem alguém citando a Margareth Menezes. Sim, ela é phodona, mas não faz um décimo do sucesso comercial que suas colegas brancas. Queria entender por quê (e a explicação óbiva é que o grand público é racista).

      Excluir
    2. Se grande público fosse racista, como explicar Preta Gil e Beyoncé?

      Excluir
    3. Preta Gil não é uma superstar. É cult e olhe lá.

      E Beyoncé, não sei se você sabe, não é brasileira.

      Excluir
    4. Preta leva milhões às ruas no seu bloco no Rio, se isso não é ser star...
      Beyoncé pode não ser brazica, mas é amada aqui.

      Excluir
    5. PUTAQEOPARIU


      Preta Gil vende milhões de discos? NÃO

      Beyoncé é brasileira? NÃO

      Excluir
    6. Preta Gil cult???? Vcs fumaram um hoje. Só pode ser...vc quis dizer fenômeno trash, talvez? Mesmo assim não encaixa.
      Preta é cantora pop, mainstream, longe de ser famosa como Ivete, Annita, sertanejos e a Joelma.

      Excluir
    7. " mas como é que nenhuma cantora negra chegou ao mesmo patamar que elas?"ESSO SE CHAMA DOMINAÇÃO RACIAL QUE COMEÇA NA INFÂNCIA E VOU DESENHAR PARA VOCÊ TONY: NAS LOJAS DE BRINQUEDOS INFANTIL EM SALVADOR E DE TODA BAHIA, NORTE , NORDESTE, SUL SUDESTE, CENTRO E CENTRO OESTE DO BRASIL , SÓ TEM BONECAS LOIRAS DE OLHOS AZUIS.

      Excluir
    8. Preta Gil é só uma celebridade de nicho. Quase ninguém fora do mundinho sabe cantar qualquer canção dela.

      Excluir
    9. Tony, o que será que aconteceu com boa parte dos seus leitores. Meu único medo é que em um acesso de cólera você não suporte mais e deixe de nos brindar com seus textos. Mas suporte firme há gente boa que está contigo. Adoro música mas não saberia citar uma única da Preta Gil e não tenho empatia com a mesma, saberia se muito dizer o título de uma "Sinais de Fogo" é isso?... no mais deixa queto. Sobre a pergunta, responderia que é a velha história de querer a cultura do Negro mas sem o Negro. É. Sofremos de esquizofrenia mesmo.

      Excluir
  3. Interessante. Mas para responder sua pergunta, acho que um expressão que começa com "rascis", termina com "ático" e tem "mo sistem" no meio pode explicar.

    ResponderExcluir
  4. Ivete Sangalo branca? Caucasiana? Sério?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Bahia é quase albina. Acredite.

      Excluir
  5. Acho que você realmente precisa assistir um carnaval de rua em Salvador e perceber que negros não fazem parte do elenco comum das ruas. Muito menos dos camarotes. É um carnaval BEM BRANCO e coxinha. Você verá negros nos instrumentos de percussão e nada mais. O próprio negro baiano não se identifica com o tal axé, e quando passam os grupos afro, a multidão branca das ruas para de dançar ou vira-se se costas. NUNCA MAIS PRETENDO IR!!!

    ResponderExcluir
  6. Claudjinha Milk é baiana onde?

    ResponderExcluir
  7. Carnaval em Salvador é tão cafona que o camarote vip se mudou pra lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que assim você se mantenha bem longe daqui.

      Excluir
    2. Cultura musical negra na Bahia só serve pra vender musica e abadá. Sequer mencionam os autores. Negros à margem de sua própria produção musical, por isso você não vê divas negras baianas Tony, elas cantam nos blocos da periferia e não sobem para o Olimpo. Sou negro e de fora do contexto (não sou baiano0, assim pude perceber e me escandalizar com esse cenário. Me recuso a consumir!!! Agora que se vê Mariane de Castro ter algum brilho no showbiz, mas não canta axé, canta samba de roda e é atriz. Buscou outros meios para se fazer notada.

      Excluir
  8. Concordo total! Também me faltou coragem para vestir o abadá! Kkkkk Nesse cenário Cláudia Leite é antidiva, brilho zero.

    ResponderExcluir
  9. Sempre odiei axé. Agora que surgiu o sertanejo, sinto falta do axé. What is next?
    Mas fico bestializado como a classe média da zona sul do rio endeusa Ivete Sangalo. Sinal de que vc não deve gostar.

    ResponderExcluir
  10. Sou do tempo que se chamava fricote.


    Quanto à negritude, tem que ir pro norte pra ver Gaby e afins.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante que a maior diva do norte tb é branca. A Joelma;

      Excluir
    2. Branca, branca, branca a xoelma não é. Ela tem um pé na taba.

      Excluir
    3. Mas não é negra.

      Excluir
  11. O racismo é universal! Até as divas pop americanas que fazem bilhões de dólares, todas passaram por um processo de branqueamento. Mariah Carey reclama até hoje que não é reconhecida como negra, mas não deixa de alisar as madeixas, Beyonce loira?, não se trata de tendência!, isso pra não falar das mais antigas como Diana Ross, etc. Aqui, onde o negro não lutou nadinha por direitos civis, não podia ser melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Topas passaram por processo de despigmentação da pele. Ficam com a pela menos escura e com um tom marrom claro quase ocre. A Beyoncé e a Niki Minaj são casos mais que óbvios.

      Excluir
  12. O mio babbino caro
    Com todo respeito. Jura que você não sabe mesmo o motivo do porquê nenhuma cantora negra chegou ao mesmo patamar que elas? As gravadoras nunca tiveram a menor dúvida.
    "É tão hipnotizante, negão
    O swing dessa banda
    A minha beleza negra
    Aqui é você quem manda
    Vai exalar seu charme, vai
    Para o mundo ver
    Vem mostrar que você é
    A Deusa Negra do Ilê
    E a galera a dizer!"

    ResponderExcluir
  13. O carnaval de Salvador é cafona, hetero, branco (dentro das cordas) e topzera crossfit...Passo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei topzera.

      Excluir
    2. Claro, quem ia dar bola pra bicha feia pobre.

      Excluir
    3. 17:52 Vc deve estar falando do seu país né, seu reflexo.

      Excluir
  14. O incômodo, o racismo já está nos comentários. Que nojo dos gays deste país.

    ResponderExcluir
  15. Você tá certíssimo, Tony!
    Há em Salvador vários blocos afro maravilhosos, mas que ficam à margem da grande mídia, dos grandes blocos, dos camarotes...
    é difícil imaginar que seja só coincidência que haja tão poucas cantoras negras em Salvador.
    Até a Timbalada recentemente optou por contratar uma cantora loira e de fora da Bahia( mas que era do The Voice), o que gerou protestos por aqui...
    http://www.tribunadabahia.com.br/2016/12/05/nova-cantora-da-timbalada-vaiada-tem-que-deixar-palco
    E ao anônimo que disse que o carnaval de Salvador é hetero e branco, só pode ser piada! Até os heteros tão "reclamando" que o Carnaval aqui tem gays em todos os lugares! todos os blocos, especialmente os mais caros, são locais totalmente friendly, pra não dizer gays mesmo...
    O que prejudica as mulheres negras em Salvador é a mais pura falta de oportunidade...
    Racismo mesmo. Não tem outro nome...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, vc é soteropolitano? Legal! Sempre achei que era o único leitor baiano do blog do Tony. rsrs

      P.S. Salvador é racista para caralho, entrar no grindr na cidade mais negra do país, como dito no post, e ler: Não curto negros!

      Espera mais o q? rsrsrs

      Excluir
  16. Se poderia não somente indagar sobre Salvador, como de outras grandes cidades, e do país. O número de pessoas negras (pretos e pardos) no Brasil é muito maior do que nos relata o IBGE, é que muitas pessoas ainda não se identificam como negras, e principalmente na classificação de negros pretos. Se faltam cantoras (es) negros que façam grande sucesso no Brasil, isso diz muito sobre o país. Aqui não é a América. Os negros daqui não possuem consciência racial e não possuirão tão cedo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raça kkkkk.
      Tá precisando estudar mais e descobrir que é apenas cor.
      Raça é humana.

      Excluir
    2. Então a culpa é dos negros?
      Aff

      Excluir
    3. 17:53 Nem me atrevo a indicar a leitura de LILIA MORITZ SCHWARCZ. Essas mulas sonham com um mundo menos complexo.

      Excluir
    4. Raça existe sim anônimo das 17:53. A ESPÉCIE É QUE É HUMANA. Se não fosse assim duas pessoas com fenótipo típico de orientais poderiam ter filhos com biotipo de nórdicos, pigmeus, aborígenes australianos... E não ocorre isso.

      Excluir
  17. Os shoppings centers Do Brasil (pais maioritariamente negro-pardo ) colocam papai noel branco de olhos azuis para trabalhar nas festas de final de ano . Por que não colocam um papai noel preto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque iam achar que era mendigo.

      Excluir
    2. Porque eu sou racista digo brasileiro, digo... sou Ryca.

      Excluir
    3. Pq o Papai noel foi criado com essa imagem. Se um branco representar um personagem negro ou oriental teria chiadeira.

      Excluir
  18. Tony, vc já foi ver o novo filme do iraniano Asghar Farhadi (O Apartamento) ? Vi que já está em cartaz aí em São Paulo, mas aqui na Alemanha ainda não. Vá lá e traga bons comentários pra gente, por favor ;) Todos os filmes anteriores dele valeram a ida ao cinema, o que aumenta minhas expectativas sobre esse também.
    Liebe Grüße

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E oque é legal tem participação do Olodum <>

      Excluir
  19. Tem muitíssimo a ver com gravadoras-empresários-produtoras sei lá quem que substitui alguém que sai de uma banda por alguém sempre branca. Me parece que começa aí.

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. A discografia da Daniela Mercury é maravilhosa. Não é a toa q a mesma está na lista dos maiores artistas brasileiros de todos os tempos feita pela Billboard. Os videoclipes de sua carreira poderiam ser postados oficialmente !
    https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Os_100_Maiores_Artistas_da_M%C3%BAsica_Brasileira_pela_Rolling_Stone_Brasil

    ResponderExcluir