segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

FILME DE MULHERZONA


A maioria dos homens não irá entender "O Que Está por Vir". Dirá que o filme "não tem história". De fato, a narrativa foge ao convencional - não na forma, mas no conteúdo. O ponto de partida é simples: uma professora de meia idade perde o marido, a mãe e um de seus empregos, tudo na mesma época. Enquanto isto, um ex-aluno bonitão reaparece, e a gente fica esperando pintar um clima entre os dois. Só que não. Não há uma virada, uma volta por cima, uma trajetória de superação. A mulher já era bem resolvida e bem estruturada antes de todas essas perdas, então... Essa aparente monotonia é mais do que compensada pela presença de Isabelle Huppert, que vem emplacando um puta papel atrás do outro. Mas ainda bem que eu tenho uma amiga minha amou o filme (que, no fundo, é "apenas" o estudo de uma personagem). Ela se identificou com todas as cenas, entendeu todas as metáforas, e as explicou para mim, que mesmo gay continuo sendo homem. "O Que Está por Vir" foi escrito e dirigido por outra mulher: Mia Hansen-Løve, que tem apenas 35 anos mas já sabe o que a espera. O que está por vir.

Um comentário:

  1. que mesmo gay continuo sendo homem. QUE RICO, TIO

    ResponderExcluir