domingo, 8 de janeiro de 2017

ADÃO E EVA NO ESPAÇO


Li duas críticas diametralmente opostas de "Passageiros". Uma dizia que o filme era genial. A outra detestava, incomodada com uma falha de caráter de um dos protagonistas. Acontece que essa falha É o filme: sem ela "Passageiros" seria apenas um blockbuster cheio de som e fúria, significando nada. O som e a fúria, vale ressaltar, são espetaculares. Assisti numa tela imensa e me quase me senti viajandão numa nave espacial (destaque para a piscina infinita com vista para o infinito). Só que qualquer filme de ficção científica precisa espelhar um medo contemporâneo, ou uma questão perene que aflija a humanidade. E tem medo mais persistente do que a solidão, o tema subjacente deste longa? Mas não estou dizendo que estejamos diante de uma obra-prima, apesar de eu ter gostado mais do que esperava. "A Chegada", ainda em cartaz nos cinemas, é bem melhor. "Passageiros" não esconde que se dirige especificamente aos adolescentes do sexo masculino: muito do que acontece na tela é a realização das fantasias de um rapaz solitário. Como nesses comerciais de cerveja, onde o cara é levado de repente para uma festa! Num iate! Para lutar MMA! Com a Sabrina Sato!

6 comentários:

  1. Bem, o filme é bom ou ruim? Vale assistir?

    ResponderExcluir
  2. Sei que não presta mas irei ao cinema só pra ficar mesmerizado no Chris Pratt.

    ResponderExcluir
  3. achei o filme excelente. e ainda tem o cris pratt que qdo aparece em close na telona fazendo cara de gatinho do shrek, é de matar qquer serumaninho

    ResponderExcluir
  4. Isso aí. O filme é diversão legal e vale a pena ainda que seja só pra ver o Chris gostoso Pratt tomando banho :)

    ResponderExcluir
  5. Filme interessante, próprio para cinema, assistir na TV perde todo este efeito. Vale apena ver sim.

    ResponderExcluir