quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

PEQUENA OBVIEDADE

Surpresa nenhuma "Pequeno Segredo" não ter sido incluído entre os nove semifinalistas do Oscar de filme em língua estrangeira. O representante brasileiro não estava em nenhuma lista dos mais cotados ao prêmio, e mesmo por aqui seu impacto foi mínimo. Até já saiu de cartaz em São Paulo. Muito mais chocante é a ausência do fenomenal francês "Elle" - tomara que isto não signifique que a semideusa Isabelle Huppert também será esnobada na categoria de melhor atriz. E não é curioso como esse shortlist tende aos brancos de olhos azuis? Nada menos do que seis dos escolhidos mostram gente de frias nações do norte do planeta, e só não são sete porque o concorrente da Suíça é uma animação. Mas não vou reclamar. Desde que inventaram este novo sistema, os resultados ficaram mais justos. Podemos estranhar os indicados, mas o premiado, nos últimos dez anos, tem sido indiscutivelmente um grande filme. Como também parece ser o provável vencedor do ano que vem: o alemão "Toni Erdmann".

17 comentários:

  1. gata, to indo assistir elle por indicação sua!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A revista LGBT italiana PRIDE definiu AQUARIUS seu filme do mês. O filme estreou ontem na Italia.

      Excluir
  2. É show BUSINESS, não show pra premiar país pobre.

    ResponderExcluir
  3. Tony, vc fez péssimas críticas a dois filmes maravilhosos e que foram colocados na lista do New York Times como melhores do ano, Boi Neon e Aquarius. Boi Neon é lindo de doer, muitos críticos adoraram, poucos execraram, como vc, para agradar a platei e leitores medianos. Não levo mais em consideração o q vc escreve até pq acho que vc nunca teve vivência dentro da arte para tal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Boi Neon", de fato, não me agradou. Mas você está enganado quanto à minha opinião sobre "Aquarius". Gostei bastante do filme (embora não o ache perfeito), e ele está entre os meus favoritos de 2016.

      Quanto à "vivência dentro da arte", você sabia que eu sou roteirista de cinema e TV?

      Excluir
    2. Adorei vivência dentro da arte. Podia virar instalação em alguma dessas bienais que ninguém entende bulhufas das idiotices exibidas.

      Excluir
    3. "Arte do cinema".
      Será que a sua relutância em gostar de Boi Neon não tenha sido causada pelo fato de vc ainda criticar com olhos de expectador ao invés de crítico?

      Excluir
    4. Nunca tive olhos de "expectador".

      Excluir
  4. Para início de conversa, primeiro o Brasil faça um bom filme e depois pense em vencer algum Oscar na categoria estrangeira. Ah, principalmente divulgação do filme no exterior, principalmente nos EUA, conta muito também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Brasil fez:"Aquarius", que inclusive foi lançado comercialmente nos EUA e está entrando em muitas listas de melhores do ano dos críticos de lá.

      Mas "Pequeno Segredo" também contou com um forte esquema de divulgação, que custou 127 mil dólares. Não adiantou.

      Excluir
    2. Aquarius é um ótimo filme e teria mais chances ao Oscar do que o Pequeno Segredo que é um filme medíocre mesmo que "lembre" os filmes que são geralmente indicados ao Oscar. Dados as distâncias dos dois filmes da proposta do Oscar, acho ainda que Aquarius está mais próximo.

      Excluir
  5. achei que pequeno segredo fosse ser um sucesso. estreou com o dobro de salas de aquarius e fez metade do público.

    ResponderExcluir
  6. Gentem, cinema brasileiro é nojento de ruim, aceita que magoa menas.

    ResponderExcluir
  7. O fraquinho "Julieta" do Almodóvar também ficou fora da disputa.

    ResponderExcluir
  8. O mio babbino caro
    Meu brasil brasileiro, filme com elenco que faz denuncia não pode ser indicado.

    ResponderExcluir
  9. Sorte também conta. 2004 o Brasil poderia ter saído vitorioso nessa categoria, mas Cidade de Deus nem sequer foi indicado, estranhíssimo, vide que o filme foi indicado em outras quatro categorias e era falado em língua não-inglesa. Era estrangeiro. A Academia tem disso, tem dessas coisas sem noção. Mas foi a partir dessa não-indicação de Cidade que a categoria de filme estrangeiro sofreu modificações.

    ResponderExcluir