quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

O RESTO É MAR


Em 2007, Teresa Salgueiro - então ainda vocalista da banda Madredeus - gravou um álbum-solo só com músicas brasileiras. Escolheu um repertório sensacional mas o cantou com o sotaque daqui, não o de lá. Ou seja: perdeu toda a graça. Ainda bem que o dela é um caso raro entre os cantores portugueses que se debruçam sobre o nosso cancioneiro. António Zambujo continuou luso como sempre no recente "Até Pensei que Fosse Minha", dedicado a Chico Buarque. Agora é a vez de Carminho, talvez a fadista mais conhecida da atualidade (pelo menos, no Brasil). A convite da gravadora Biscoito Fino, a rapariga cometeu "Carminho Canta Tom Jobim", escolhendo pérolas de todas as fases do nosso maior compositor popular. Nenhuma delas é obscura, e vai ver que por isto mesmo o disco tenha ficado tão bom. Porque é revelador ouvir essas letras manjadas na prosódia d'além-mar. Os versos ganham dramaticidade e as melodias expõem parentescos insuspeitos. Talvez o melhor exemplo seja "Wave", que era bossa nova em estado puro até ser levada para a Alfama por Carminho (ouça um trecho no vídeo lá em cima). A própria cantora diz que escolheu as faixas levando em conta as que soariam melhor em português de Portugal, por vezes até trocando o nosso "você" pelo "tu" deles. Por isto mesmo, é estranha a inclusão de "Don't Ever Go Away", a versão em inglês de "Por Causa de Você". Nesse momento, Carminho dá uma teresada.

4 comentários:

  1. Um dia ele chegou tão diferente
    Do seu jeito de sempre chegar
    Olhou-a de um jeito muito mais quente
    Do que sempre costumava olhar
    E não maldisse a vida tanto
    Quanto era seu jeito de sempre falar
    E nem deixou-a só num canto
    Pra seu grande espanto, convidou-a pra rodar

    E então ela se fez bonita
    Como há muito tempo não queria ousar
    Com seu vestido decotado
    Cheirando a guardado de tanto esperar
    Depois os dois deram-se os braços
    Como há muito tempo não se usava dar
    E cheios de ternura e graça
    Foram para a praça e começaram a se abraçar

    E ali dançaram tanta dança
    Que a vizinhança toda despertou
    E foi tanta felicidade
    Que toda cidade se iluminou
    E foram tantos beijos loucos
    Tantos gritos roucos como não se ouvia mais
    Que o mundo compreendeu
    E o dia amanheceu em paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fala de Chico aqui que pega mal.

      Excluir
  2. É estranho escutar bossa com vocalizações carregadas. Maria Bethânia é uma das poucas intérpretes que tem competência pra isso.

    ResponderExcluir