quarta-feira, 16 de novembro de 2016

MENOR INFRATOR

Ô glória: a foto aí do lado não é montagem, não é charge, não é fake. É Anthony Garotinho finalmente sendo levado em cana.  Algum tempo atrás, isto não quereria dizer muita coisa: políticos até iam presos (Maluf chegou a ficar mais de um mês no xilindró), mas eram soltos logo, e meio que ficava por isto mesmo. Só que o país mudou. Eduardo Cunha está há quase um mês na PF de Curitiba, fazendo companhia a Antonio Palocci. As tentativas de melar a Lava Jato e diminuir o poder do Judiciário são cada vez mais ostensivas no Congresso, sinal de que os patranhas estão se borrando. Garotinho não foi pego por causa de desvios da Petrobras, mas por algo que sempre acompanhou sua carreira (e a de sua mulher Rosinha): a compra de votos. Que este processo vá longe, pois o ex-governador do Rio é um dos exemplos mais acabados do mau político brasileiro: evangélico de oportunidade, conivente com o crime organizado, envolvido em falcatruas mil. Infelizmente, sua prisão está longe de marcar o fim de seu poder. O vice-prefeito de Marcelo Crivella, Fernando MacDowell, pertence a seu grupo político. Parabéns aos cariocas que se recusaram a votar em Marcelo Freixo.

6 comentários:

  1. Pela lógica deste post, quem votou em Haddad deveria rever sua visão de mundo, pois o almofadinha da São Francisco está ligado ao maior bandido da história "destepaiz"... opa, péra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado anónimo a botar esse pessoal no lugar deles, porque a lógica deles só serve à conveniência deles.

      Excluir
    2. Meu bem, enquanto nao tivermos provas concretas (quero dizer: nao as "fabricadas", sacou?) a unica coisa que lhes resta eh espalhar boatos!!! Como vcs conseguem serem tao ignorantes????

      Excluir
    3. "Como vcs conseguem serem tao ignorantes????"

      Eis uma amostra de quem chama Lula de "herói do povo brasileiro"...

      Excluir
  2. Esse tal desse Rio, de Janeiro, que estado. O povo do Rio se acha. Vivem achando que são o supra-sumo do Brasil. E não é que são mesmo. São o supra-sumo da imoralidade, da promiscuidade, que está fundado este país. O jeito do fluminense, do carioca, está agora estampado na falência desse estado, dessa cidade, que já chegou a querer ser uma espécie de França no Brasil, numa época onde milhões viviam na indigência. Tipo hoje. Ê, Rio!

    ResponderExcluir
  3. Garotinho e Cabral e CIA deveriam ser fuzilados! Enriquecimento ilícito em cima da desgraça alheia!

    ResponderExcluir