quinta-feira, 27 de outubro de 2016

SUANDO FRIO

Trabalhei anos com a Procter & Gamble, e a propaganda da empresa não podia ser mais careta. O ambiente corporativo, não: a P&G foi uma das pioneiras na aceitação de maridos e esposas gays como dependentes de seus funcionários. Essa modernidade finalmente chegou à comunicação, e a P&G vem se destacando - pelo menos nos Estados Unidos - por alguns dos comerciais mais ousados dos últimos tempos. Como este do desodorante Secret: vem prêmio aí.

36 comentários:

  1. Comercial lérbico que nojoooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc VIU o comercial? Não tem lésbica alguma...

      Excluir
  2. Tony, mesmo que as empresas tenham políticas rigorosas contra homofobia no ambiente corporativo, eu não conheço um amigo que nunca tenha passado pelo constrangimento de ouvir piadas sobre gays no escritório. Presenciei várias vezes piadas contra colegas homossexuais e tenho certeza que gays tem o desenvolvimento profissional prejudicado. O ambiente dentro de multinacionais é tão competitivo que qualquer motivo serve para exclusão: gays, mulheres, negros e nordestinos são sempre visto com outros olhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na P&G não é assim. Lá tem executivos de alto escalão abertamente gays, mulheres poderosíssimas, negros em várias áreas. Inclusive no Brasil.

      Excluir
    2. Risos. Tony, esses executivos dão as costas e a piadinha entre héteros começam. Não é assim tão liberal mesmo! Héteros se reconhecem e fazem quase que um pacto de silêncio para continuarem a piada dentro do clube do bolinha.
      Eu digo isso em empresas multinacionais. Imagine como acontece em empresas pequenas!

      Excluir
    3. Olha o coitadismo ocultando a falta de competência.

      Excluir
    4. 12:57 Assim como é muito difícil convencer pobre de que eles são pobres, tb é muito difícil convencer alguns gays de que eles são vítimas de preconceito. Muito pq ser vítima de qualquer coisa no Brasil é coisa de pobre e todo gay no brasil é rico, vip e exclusivo.

      Excluir
    5. Gente, piada nas costas acontece com todo mundo. Vocês querem controlar até fofoca agora? Aposto que quem reclama não se furta a comentar da colega fora de forma, do colega corno, da encalhada, do enrustido...

      Excluir
    6. Aaainn. Arre égua! é foda, viu? Nao me diga q nunca risse de corno, de pobre, de bicha louca, dos sem-loção? Entenda, criatura do pantano, vc bicha burra e miadora é ridícula.

      Excluir
    7. Rio de todos eles. Rio dos viados também. Rio de você. Rio de mim. E certamente riem da mim. E não perco um segundo com isso, nem venho pra internet fazer mimimi.

      Excluir
  3. O mio babbino caro
    Ok! Mas vivemos, a "cultura da hipocrisia" e quando viramos as costas, viado continua a ser viado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! 10 pra vc babu!

      Excluir
    2. Mas viado é viado! Qual é o problema?

      Excluir
    3. 19:10 Jura que você não sabe?

      Excluir
    4. 19:10 vc é menina zz? que dificuldade....

      Excluir
    5. "quando viramos as costas, viado continua a ser viado..."

      E?

      Excluir
  4. Ruby foi a primeira criança negra a ir para a escola, com o fim da política de segregação racial nos EUA, em Nova Orleans, em 1960.

    Seu primeiro dia de aula foi marcado por xingamentos, medo, racismo. A escola, pasmem, estava vazia, pois os pais não deixaram seus filhos frequentarem o ano escolar com a presença de Ruby. Também não havia professores, apenas um educador quis dar aula para Ruby. Seus pais foram severamente ameaçados. E, durante meses, ela teve que ir e voltar da escola acompanhada por 4 policiais.

    E mesmo quando objetos e xingamentos eram jogados contra seu corpo, com 6 anos de idade, Ruby não desistiu, não chorou, sequer fraquejou. Era uma pequena soldada - palavras de Charles Burks, um dos quatro policiais que a escoltavam.

    No ano seguinte, Ruby não estava mais sozinha na escola. Inspirados por sua coragem e pela de sua família outras crianças negras foram matriculadas.

    Parabéns Ruby por seus 60 anos de vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, ainda falta muito... porém são essas lutas que nos motivam

      Excluir
    2. falta lenços!! É triste saber de uma história assim e saber que um ser humano criança ou adulto é tratado assim , quem faz isso não é ser humano !! Mas mesmo sendo triste a história achei linda pela força de vontade de ser alguém na vida e lutar pelo seus sonhos porque todos temos nossas dificuldades e devemos lutar para realizarmos

      Excluir
    3. Parabéns para a Ruby... e parabéns para os pais dessa menina que, hoje, é uma mulher e, ativista! Que a fortaleceram, educaram fazendo com que a filha acreditasse que podemos e devemos ser a mudança que queremos no mundo!

      Excluir
    4. parabéns viada negra, o melhor comentário em séculos aqui nesse blog.

      Excluir
    5. Incrível a história e como vc escreveu viada negra
      O comercial é o máximo, já me senti assim em banheiro público tbm

      Excluir
    6. Falou a viada branca.

      Excluir
  5. Ta na hora de colocar um comercial desses nas TVs do Brasil também! Quero ver os evanjas boicotarem desodorante. A missa vai ser uma beleza kkkkk

    ResponderExcluir
  6. Post super comentado!!!

    ResponderExcluir
  7. Amooooo gay classe média alta falando de preconceito, aí a beezinha feinha pobrinha marronzinha afeminadinha vai um dia por acaso numa festa das lindas e ricas e fica invisível ou vira piada entre as pheenas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se as pheenas são tão repugnantes, por que vcs querem tanto a aceitação delas?

      Excluir
    2. 19:12 Pronto, apareceu uma repugnante que acredita do fundo de sua alma que é realmente pheena, me poupe donzela.

      Excluir
    3. 20:10 Sou repugnante mesmo rs. Newsflash: você também é! Mas sou feliz e me sinto encaixado. Vc não pode dizer o mesmo rs. Vc eh a beezinha feinha pobrinha marronzinha afeminadinha mas empoderada que demanda ser amada pelos bonitos ricos brancos másculos. Vc eh aquela gorda que só come porcaria e não malha, mas vive reclamando do preconceito dos malhados e acusando a superficialidade deles. Pegar outro gordo, claro, você não quer rs. Não percebe a vergonha alheia de ficar implorando aceitação de um grupo que finge menosprezar. Vai morrer barrada tentando entrar no camarote enquanto grita "odeio camarote" rs.

      Excluir
    4. Nossa deu pra perceber o enorme vazio emocional que alguns estão tentando preencher com o sentimento de aceitação que acham que tem ao tentar defender o seu grupo favorito

      Excluir
    5. a beezinha feinha pobrinha marronzinha afeminadinha gordo e os bonitos ricos brancos másculos são tudo bichas rejeitadas pela sociedade brasileira homofobica .

      Excluir
    6. 20:10 Prometo que te visitarei no hospício!

      Excluir
    7. 23:07 23:07 23:07
      Prometo que te visitarei no hospício!

      Excluir
    8. Estarei no camarote, onde vc não consegue entrar rs.

      Excluir
    9. "a beezinha feinha pobrinha marronzinha afeminadinha gordo e os bonitos ricos brancos másculos são tudo bichas rejeitadas pela sociedade brasileira homofobica"

      Sim! Todo ser humano é alvo de piada quando sai da sala. Mas uns vivem sua vida. Outros querem ser elevados à categoria de intocáveis. Morrerão amargurados.

      Excluir
  8. P&G parceira olímpica, né? Tem que estar em pé de igualdade com os jogos olímpicos com a maior visibilidade de atletas assumidos de todos os tempos.

    ResponderExcluir