sexta-feira, 14 de outubro de 2016

O PILOTO SUMIU


Os "voos da morte" são a página mais horripilante da história das ditaduras militares que dominaram o Cone Sul na década de 1970. Brasil, Argentina, Chile e Uruguai mandavam presos políticos darem uma voltinha de avião; lá de cima, os coitados eram atirados no mar. "Kóblic" conta a história (fictícia) de um piloto que se recusa a abrir a porta da aeronave durante um desses voos, e que por isto cai em desgraça. Ele então vai se esconder numa cidadezinha nos pampas, mas sua verdadeira identidade é descoberta com facilidade - um buraco enorme no roteiro, que de resto é bem amarrado. Ricardo Darín mostra mais uma vez porque é o deus do cinema argentino, e não param de acontecer coisas durante pouco mais de hora e meia. "Kóblic" talvez não agrade quem prefira as comédias urbanas dos nossos vizinhos, mas é um bom thriller político. E um lembrete, nesse momento em que a extrema-direita ressurge, de que o tempo dos milicos era muito, mas muito pior.

2 comentários:

  1. Crivella será eleito no Rio com folga. Quero só saber se agora vão chamar essa cidade de progressista. No Brasil ser progressista é dar esmola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou gay, bem de vida, moro no Leblon e votarei no Crivella pra não votar no Freixo. Prefeitura não é ideologia, é gestão. Freixo não me convence. E o erro não é meu, é dele. Se ele não consegue convencer nem quem em tese seria o público dele, algo está errado em sua caminhada.

      Excluir