segunda-feira, 17 de outubro de 2016

O MANUAL DO VIADO-MIRIM

Quem me dera que "Um Livro para Ser Entendido", do Pedro HMC, já existisse quando eu era um efebo assustado com a própria homossexualidade. Teria sido muito mais fácil sair do armário e vencer meu maior inimigo, que era eu mesmo. O livro do criador do Põe na Roda é um compêndio prático sobre a viadagem,  voltado basicamente para a garotada que faz o sucesso de seu canal no YouTube. Os capítulos são didáticos, mas escritos numa linguagem leve e divertida. Pedro conta muito de sua história pessoal enquanto explica que ninguém "opta" pela própria orientação sexual, e que quem irá mesmo para o inferno serão os homofóbicos. Também traz dicas preciosas para amigos e parentes dos LGBT, e links para vídeos do PnR que ilustram os assuntos discutidos. É uma obra tão básica e fundamental, e, no entanto, não me lembro de nada parecido no mercado editorial brasileiro. Até quem já é grandinho e resolvidíssimo vai se entender melhor com esse livro.

15 comentários:

  1. Vou ler esse livro com certeza.
    Pedro salva vidas todos os dias ao fazer o trabalho que faz.
    Imagino que ele nem pense nisso, mas ao se mostrar pro mundo, como um homem normal, inteligente e feliz com a sexualidade(e muito bem sucedido), ele vira um exemplo de que ser gay é apenas uma característica, e que o que te define está muito além...
    Em outras épocas, ser gay era ser doente, ser excluído, ser perseguido.
    Eu mesmo apenas comecei a aceitar existir como gay nesse mundo hétero ao conhecer um amigo no qual eu conseguia me espelhar de forma positiva. Isso aos 20anos.
    E Pedro é pra muitos jovens um espelho no qual eles podem se olhar e ter certeza de que "it gets better."
    Sou fã! Meu crush ;)
    Pedro, e Tony, não imaginam o bem que fazem aos jovens gays do País!
    " Haters gonna hate."

    ResponderExcluir
  2. O que ensina a ser gay é ir pro banheirão e cinemão mamar pirocão. O resto é retórica de gay gourmetizado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cuzão rindo até doisliletrinta rsrsrs

      Excluir
  3. Tony tu é bonito só perde pra LULA

    ResponderExcluir
  4. Hj passei por uma situação horrível. Na empresa que eu trabalho ninguem sabe que eu sou gay. Durante o almoço nesta tarde a quantidade de barbaridades disparadas contra homossexuais foi enorme e constrangedora. Quando os heteros sabem q estão apenas entre eles, a discriminação, piadas, violência e estupidez rolam solta. Voltei pro escritório arrasado pensando que nunca vou conseguir sair do armário na empresa sem medo de futuras retaliações. Vcs sabem como é...o mercado está muito competitivo e qualquer motivo serve para vc ser preterido quando rola aquela vaga nova com promoção.
    Tony, gostaria muito que vc um dia escrevesse na sua coluna sobre a necessidade do ambiente corporativo ser mais inclusivo. Pra piorar misturam tudo com o anti-petismo, etc...pra vc ter uma idéia, na mesa havia um diretor e o CEO. Todos partiparam da grotesca grosseria e eu não pude dizer nada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,
      Nós gays, por causa de tudo o que passamos, adquirimos traços de narcisismo hipervigilante. E em muitos casos, é verdade mesmo, é necessário mesmo estar atento. Entretanto, dentra da bolha de classe média, não precisa tanto. Esse caras que você citou, provavelmente, se muito, vão perder dez minutos do Happy Hour deles sendo homofóbicos... e só. Eles não vão ficar três horas falando coisas deploráveis sobre nós.
      A última vez em que estive em um ambiente claramente homofóbico foi na escola. Depois, na graduação, mestrado, doutorado, trabalho (em trabalho com políticas públicas, eu sei que o ambiente é melhor nesse sentido do que o seria em outros casos), a homofobia virou algo quase externo ao meu dia a dia. Mesmo sabendo que ela existe, não sou alienado, ela deixou de se instrumentalizar na minha vida.
      Recentemente, por causa do trabalho, eu tive que fazer um MBA... é ensino superior, mas parece que o povo é mais careta mesmo. A mesma situação que a sua: parecia que tinha voltado ao ensino médio, com várias brincadeiras sobre gays. Na primeira oportunidade que tive, falei que eu era. Pronto. Eles provavelmente continuam falando as mesmas coisas, mas não na minha frente.
      Quanto ao mercado detrabalho, tenha cuidado com algo: às vezes superdimensionamos medos. Não sei, mas será mesmo que você ficaria mal na empresa por isso? Ou faz mais parte do seu medo que inclui isso como um motivo para não sair do armário?
      Espero mesmo que as coisas melhorem para você e que você, mesmo não se assumindo publicamente, tenha a oportunidade de fazer amizades com gays em sua empresa (outra característica de narcisista hipervigil: achar que só ele tem aquela condição). Pode ter certeza que há outros gays nela, não é só você.
      Abraço.

      Excluir
    2. 20:17 Os preconceitos verdadeiros estão intactos, todos aguardando o momento oportuno de serem manifestados. Presencio a isto diariamente, e oque considerava um laboratório, hoje é somente uma desgraçada constatação da crueldade, hipocrisia e frustração humana. Mas no fundo eu nem ligo, continuo a dar o cu regularmente.

      Excluir
    3. Heteros simpatizantes mesmo são minoria,infelizmente. A maioria, quando não é indiferente, é preconceituosa. Hipócritas e egoístas em alto grau.

      Excluir
  5. Livro pra ensinar como ser gay coxinha?

    So estou perguntando....

    ResponderExcluir
  6. Livrinho pra bichinha-padrão hashitag classe média/shopping/camarote vip/baladinha by Bia Doria e outras drags da modinha... Reflete bem o padrão de vidinha alienado dessa Pedro SQÑ. Esse povo acha que tá inventando alguma coisa e é tudo tão repetitivo, Caceta&Planeta requentado numa visão Capitão Gay com pegada de VJ da MTV pras riquinhas fútil e que morrem se não comprar a nova versão do iPhone. É esse o futuro das gays? Acho deprimente, peraí que vou jogar meu lixo fora, vomitar a coxinha (ou seria o?) que comi now e voltar a ler Caio F. para Maiores e seres pensantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, mas o livro não é MESMO nada disso que você está dizendo. Não tem nada de fútil, muito pelo contrário.

      Aposto que você é desses que não tem acesso à área VIP, e acha que isto é a maior injustiça da história da humanidade. Acertei, né?

      Excluir
    2. "Stop talking and make something of yourself,"

      https://www.youtube.com/watch?v=hQM8UKgt3Qs

      Excluir
    3. Mas quanto recalque, Jesus do céu! Que dó de ti, pessoa! Que espíritos de luz te tirem de toda essa amargura!
      Melhoras!

      Excluir
  7. O mio babbino caro
    Pois é. Nós somos vencedores.
    "...No meu tempo as ruas conduziam aos atoleiros.
    A palavra traiu-me ante o verdugo.
    Era muito pouco o que eu podia. Mas os governantes
    Se sentiam, sem mim, mais seguros, — espero.
    Assim passou o tempo
    que me foi concedido na terra.

    As forças eram escassas. E a meta
    achava-se muito distante.
    Pude divisá-la claramente,
    ainda quando parecia, para mim, inatingível.
    Assim passou o tempo
    que me foi concedido na terra.

    Vós, que surgireis da maré
    em que perecemos,
    lembrai-vos também,
    quando falardes das nossas fraquezas,
    lembrai-vos dos tempos sombrios
    de que pudestes escapar..."
    BB

    ResponderExcluir