terça-feira, 4 de outubro de 2016

O BREXIT DA COLÔMBIA

Dá para a gente ficar horas discutindo se o acordo de paz urdido entre as FARC e o presidente Manuel Santos era justo ou não. A mim também parecia excessiva a anistia quase absoluta e as cadeiras no Congresso que o partido que surgirá da guerrilha teria, sem precisar por eleições. Mas eu acabei me convencendo de que o "sim" era a resposta correta ao plebiscito de domingo passado, e fiquei tão desapontado quando o "não" ganhou como fiquei com a aprovação do Brexit pelos britânicos em junho passado. Democracia é uma merda, não é mesmo? É sintomático que o "não" tenha vencido nas áreas mais afetadas pela violência. O povo que perdeu mais não está a fim de deixar barato. Mas o mais triste é que, assim como aconteceu na Grã-Bretanha, a campanha da oposição não visava o bem do país, mas o ganho a curto prazo de um grupo político. O ex-presidente Álvaro Uribe melou o processo para recuperar parte do poder perdido a Santos, seu antigo pupilo, e agora o futuro é incerto. Duvido que as FARC voltem a pegar em armas, ainda mais depois depois de tantas juras de amor e coraçõezinhos com as mãos. Mas a paz neste momento, ainda que abrindo muitas concessões, recolocaria a Colômbia - um país de enorme potencial - de volta ao jogo internacional, atraindo investimentos e incrementando a economia. Depois quando eu digo que o despotismo esclarecido é o melhor sistema de governo, os pessoár manga de eu.

17 comentários:

  1. Todo mundo seria a favor do acordo de paz se ele tivesse um mínimo de justiça para os crimes cometidos e menos poder pras FARC que teriam cadeiras cativas no parlamento. Afinal, quem quer ter como políticos um grupo que sequestrou e matou algum parente ou amigo seu?

    ResponderExcluir
  2. Claro que despotismo esclarecido é o melhor sistema, o problema é achar o déspota de fato esclarecido.

    ResponderExcluir
  3. O não as FARC na Colômbia é como o sim a redução da idade penal no Brasil, o voto no Trump, a voto no Dória e no Flávio Bolsonaro. Todos ganham atraves do voto de vingança do pobre raivoso(pobre de direita) e a classe mêdia que sonha em ser elite.
    Coloque tudo isso no mesmo saco: o crescimento da extrema direita no mundo todo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Tony já deixou claro que não é radical de esquerda, pelo contrário até tem afinidades com algumas idéias de direita (diminuição da carga tributária por exemplo) mesmo assim sempre tem uma outra bicha burra de esquerda que vem aqui vomitar seu ódio e radicalismo.

      Excluir
    2. 13:46 incrível como a direita tem medo da inteligência e da crítica da esquerda.
      em nenhuma momento a pessoa diz qual é o posicionamento do Tony. pq estas tão preocupado em esclarecê-lo?
      culpa pq votou no Dória? tá se sentindo burro e pobre de direita? descobriu finalmente que vc é assalariado e não é elite? qual o problema?
      pense bem sobre quem vem aqui destilar ódio.

      Excluir
    3. 13:46 O Tony votou no Haddad do PT e no Todd Tomorrow do PSOL. Pq vc vem dizer no blog de uma pessoa que votou na esquerda dizer que ela não é de esquerda? Como vc sabe?
      E ainda chamar a bicha de burra de esquerda sendo que o blogueiro votou na esquerda. Ou seja, vc escreve em blog de blogueiro que vc considera burro?
      Adivinhe onde está a burrice aqui.

      Excluir
    4. O Tony já falou que tem afinidades com o PSDB tb... as bichas burras não são leitoras do Tony, elas só lêem os posts que as interessa.

      Excluir
  4. "...os posts que as interessaM."

    Olha a concordância nas agressões gente! Afinidades não quer dizer ser partidário, militante, etc...

    ResponderExcluir
  5. Um detalhe de extrema importância, quando a Suprema Corte colombiana ratificou o acordo disse que ele não precisava passar por votação popular, uma simples sanção presidencial bastava. Mas Juan Manuel Santos quis medir força política com Álvaro Uribe. Esta aí no que deu. E eu continuo convicto que o ser humano é uma grande M. O acordo concedia muito as FARC, mas era a melhor saída, a campanha pelo "Sim" foi desastrosa, já a do "Não" foi de boa de estratégia, e está aí o resultado.

    ResponderExcluir
  6. Como diz em um episódio de "Black Mirror": do quê adianta a democracia se não temos inteligência para usar?

    (E se não assistiu "Black Mirror", corre pro Netflix pois é imperdível).

    ResponderExcluir
  7. Os bolivarianos vão sumindo..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rs. Na Colômbia aconteceu o contrário. O não é um voto pelo bolivarianismo.

      Excluir
  8. Só vou comentar para não ficar apenas 13 comentários.

    ResponderExcluir
  9. e por falar em Brexit... UK esta se fodendo tsq tsq tsq ... e o mm vai acontecer com a Colombia kkkkk quando a cabeca nao ajuda, o corpo eh que padece

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai quanta coisa pra saber que nem dá tempo pra transar.

      Excluir