quinta-feira, 13 de outubro de 2016

FASHION WEAK


O diretor dinamarquês Nicolas Winding Refn quer tanto se tornar uma grife que agora assina apenas com suas iniciais: NWR. Também quer ser um cineasta modernex e controverso, mas só consegue ser pretensioso. E chato. "Demônio de Neon", seu último filme, é uma beleza. Parece um editorial de moda de 15 anos atrás. Aliás, aí mora um de seus problemas centrais: um filme sobre top models, a essa altura do campeonato? Ainda se em algum momento elas começassem a cantar "freedooom", mas nem isso. A trama tem um pé no absurdo. Uma maneca recém-chegada a Los Angeles - Elle Fanning, lindinha mas sem borogodó - rouba trabalho de todas as outras, e assim consegue um monte de inimigas que querem matá-la. Sonho, delírio ou só um pretexto para imagens pseudo-chocantes? A trilha é ótima, a fotografia é incrível e a afetação é absoluta. Gostava mais quando o demônio vestia Prada.

3 comentários:

  1. Pretensioso
    Mas com um gosto pra música 👌🏽
    Drive é o Trainspotting dos millenials

    ResponderExcluir
  2. boy neon, demônio de neon
    curtindo essa vibe neon
    #carnavalfeelings

    ResponderExcluir
  3. GOSTEI DO FILME!! mas nao gostei do Keanu

    ResponderExcluir