terça-feira, 27 de setembro de 2016

HONEY, HONEY, WHAT'S GOING ON?

Ontem as internets entraram em combustão espontânea com o anúncio de que "Will & Grace" estava de volta. Fotos do elenco com scripts na mão, no mesmo cenário de dez anos atrás, fizeram muita gente escalar as paredes - inclusive moi, é óbvio. Mas de volta, como, exatamente? Nova temporada no Netflix? Mesmo com a série tendo terminado com Will e Grace rompidos, só fazendo as pazes 20 anos depois? A verdade veio à tona logo depois do debate em que Hillary humilhou Trump (viram como ele saiu irritadinho?). "Will & Grace" ressuscitou por apenas dez minutos, para um mini-episódio urgindo os americanos a votar. O viés pró-Hillary é evidente, e eu só não estou mais decepcionado com a Karen votar no Trump porque ela fez coisa ainda pior, ao reaparecer magra demais e com o cabelo alaranjado. Mas o texto do esquete é ferino, as interpretacões são precisas e o resultado me lembrou por que eu ainda sou apaixonado pelo formato sitcom.

17 comentários:

  1. Hilary Clinton que parece ter impressionado tanta gente, nunca se apresentou como outra coisa além de uma democrata familiar de centro, mais ou menos nos moldes de Bill Clinton. E para não desapontar os que escolheram se iludir, ela é um porquinho menos pior do que o seu oponente republicano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "ela é um porquinho menos pior do que o seu oponente republicano". Isso é no mundo todo então! Tento votar no menos pior e acho que entre os 2 candidatos, ela é o menor dos males, mas essa polarização boba que temos aqui é uma coisa de outro mundo!
      Nick

      Excluir
    2. OFF:

      Pesquisa mostra HADDAD em primeiro lugar (SP) com 43%, Marta em segundo com 32%.

      https://jornalivre.com/2016/09/27/haddad-esta-isolado-entre-os-mais-rejeitados-marta-celso-e-erundina-vem-atras/

      Huehuehuehue

      Excluir
  2. Cuidado, vai ter um/alguns aqui que vai/vão gritar: LIXO ESQUERDISTA AMERICANO OU MARXISMO CULTURAL!
    Nick

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marxismo cultural é um fato, Nick. Escrever em CAPS não o transforma numa acusação infundada. Melhore.

      Excluir
    2. Melhore você e tente achar alguém de direita faça produtos culturais de nível, como os "lixos esquerdistas americanos" e os "marxistas culturais fazem". A esquerda pode ser mentirosa, como é bem verdade, mas ela ainda "ganha" de vocês porque a diversidade faz parte dela, como vc pode ver nas séries americanas feitas por "esquerdistas lixos"!
      Nick

      Excluir
    3. "A esquerda pode ser mentirosa, como é bem verdade, mas ela ainda "ganha" de vocês porque a diversidade faz parte dela."

      Como argumentar com alguém que pensa assim, Chessus? Tipo são pilantras, mas são legais... Ai, meus sais!

      :*

      Excluir
    4. Me mostre um série de direita que contemple a diversidade e então pode me chamar de pilantra, se existir! Só me vem DH, que foi produzinda por um republicano gay!
      Nick

      Excluir
  3. Ai Tony, mencionou a Hilária Clinton e o Donald Trimp só para esse post explodir de comentários numerosos e raivosos de political junkies se ofendendo mutualmente por conta de suas diferentes ideologias.

    Congrats honny.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Não vamos nos engalfinhar, 13:21. Temos classe.

      Apenas lembro que, segundo quase todos os veículos de comunicação, Killary realmente ganhou o debate (universo que Tony representa). Já as pesquisas de opinião dos eleitores americanos disseram algo ligeiramente diferente...

      O ponto é que esta eleição será a escolha entre o menos pior: ou Trump e seu protensionismo estriônico, ou Hillary e seu belicismo adornado por uma psedo-aura de esquerda.

      No fundo, talvez seja melhor que Hillary vença e seja obrigada a descascar o abacaxi que Obama produziu na economia. Mais ou menos como ocorreu com Dilma.

      A conferir.

      Excluir
    2. *protencionismo (como pude?)

      Excluir
    3. Obama produziu? Viva Bush!

      Excluir
    4. Citar o Bush seria a versão gringa do "a culpa é do FHC"?

      Excluir
  4. Não importa se foi por pouco menos de 10 minutos, vê-los de novo já me deixa emocionado. Meu coração palpitando aqui. Como é bom vê-los reunidos em tempos atuais. "Will and Grace" entrou na minha vida tardiamente, mas deixou marcar. Ver todo esse pessoal que marcou história na TV é me fazer chorar, rir e não quer deixá-los ir nunca mais. Ah, e eu já esperava que a Karen fosse votar no Trump, bem a cara dela mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brincadeira. Beijo de novela me faz chorar ahahah

      Excluir
  5. Não teria graça se Karen não votasse em Trump. ;)

    ResponderExcluir