domingo, 25 de setembro de 2016

TOUT LE MONDE ET SON PÈRE


"Belas Famílias" é o tipo de filme que só poderia ter sido feito na França. A história é francesa até a medula: uma família burguesa tenta reaver alguns móveis de um castelo posto à venda, e nesse meio tempo surgem a amante do falecido pai, uma garota que pode ser sua filha bastarda e as revelações de alguns segredos do passado. Tudo sem grandes consequências, mas interpretado por alguns dos maiores nomes do cinema de lá. O diretor Jean-Paul Rappeneau volta à ativa depois de mais de uma década, com uma produção simplezinha que não se compara a trabalhos anteriores como "Cyrano de Bergerac" (que rendeu a única indicação ao Oscar de Gérard Depardieu). "Belas Famílias" é apenas uma comédia saborosa feito um dejeuner sur l'herbe regado a Pouilly Fumé, e seus efeitos passam ainda mais rápido.

22 comentários:

  1. Tony, seu texto está cada vez mais saboroso. C'est magnifique!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Tony continue indicando mais filmes francês e quem sabe as s bichas “PÃO COM OVO” da direita pobre que frequenta o teu blog, aprendem com as FRANCESAS SOCIALISTAS CAVIAR finas e elegantes .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ler livros também ajuda e indico estes :
      A Divina Comédia
      Dom Quixote
      Madame Bovary
      Ensaios, de Montaigne
      O mal estar na civilização, de Freud
      A poesia de Fernando Pessoa

      Excluir
    2. menos Miami e viajar mais na Europa, Ásia e América Latina também ajuda

      Excluir
    3. 10:53, Shakespeare, Clarice, Flaubert e Pessoa sabem tudo da alma humana. Falta tempo pra ler tantos... Madame Bovary e os poemas de Fernando Pessoa e seus heterônimos são demais!

      Excluir
    4. povo de mentalidade pão com ovo e de direita nunca vai ter estilo

      Excluir
    5. A obra do pintor Yves Klein abre caminhos , esperto em arte conceitual. Como artista, era como uma árvore com muitos ramas e tinha uma visão cósmica que abre a cabeça de mentes fechadas.

      Excluir
    6. HAHAHAHA

      A mesma bilu de esquerda flodando os comentários. Tadinha!

      O desespero com o esvaziamento das fileiras comunas é tanto que resolveu dar ares de sofisticação ao velho blablabla, mas só cita autores que não leu ou fotocopiou na escola xexelenta. Tática que até deu certo nos 1970s, só que hoje em dia dá um sonoZZZZzzzzzz.

      Sorry, viado, ser de esquerda virou sinônimo de apoiar roubalheira e ditaduras, estar desinformado e ler a História de forma enviezada. As finas e verdadeiramente cultas já voltaram as costas para a sua ideologia capenga.

      O Kraken foi solto, e não há mais retorno.

      :*

      Excluir
    7. 13:52, deboas mano explica essa nova modinha aê p gringos

      Excluir
    8. 14:39 'deboas', mano, atualize suas informações sobre o europeu e o norte-americanos de hoje em dia, ou fique permanentemente 'decara' com os brexits e os trumps da vida.

      Excluir
    9. Por falar em 'decara', fiquei besta com a (CU)ltura de quem recomendou a lista de leitura, em 10:53.

      Dúvida 1: Alguém ainda não leu isso aí?

      Dúvida 2: Será que essa pessoa sabe o significado da palavra "clichê"?

      Apenas.

      Excluir
    10. miga 16:08 sou coxinha e não conhecia estes livros nem nunca vou ler estes livros pra não virar esquerdista. Adorei a biografia de Justin Bieber e indico... .

      Excluir
    11. 17:20 Não, miga, se você não conhece nenhum desses autores e não gosta de ler, você não é coxinha. No máximo, um enroladinho de salsicha.

      Excluir
  3. O brasileiro do futuro não estuda Arte, Filosofia, Sociologia e Ed. Física.
    O brasileiro do futuro é sem partido.
    O brasileiro do futuro não critica nem protesta.
    O brasileiro do futuro não precisa ter memória social.
    O brasileiro do futuro não discute gênero na escola.
    O brasileiro do futuro vai à escola para aprender a trabalhar.
    O brasileiro do futuro trabalha 12hr por dia durante toda a vida.
    O brasileiro do futuro se aposenta aos 70 anos.
    O brasileiro do futuro morre sem direito ao SUS.
    "Em uma canetada nos matam o corpo (educação física), matam o espírito (filosofia), matam a criatividade (artes), matam as interações sociais (sociologia) e bota todo mundo na máquina de produção (ensino técnico). Não à toa o lema do ilegítimo e golpista é: "NÃO PENSE em crise, TRABALHE!"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. os brasileiros deveriam estudar mais Artes, todo tipo de arte, para deixar de ser tão segregador...

      Excluir
    2. 11:35 Sempre achei o gosto humano pela arte algo curioso. Acho incrível como nos fascinamos pela nossa própria percepção das coisas.

      Excluir
    3. Devido reajustes no ensino médio, daqui a pouco as novas gerações não saberão sobre dadaísmo...O dadaísmo é complexo demais. Quem quer conhecer a arte contemporânea tem que se aprofundar em Duchamp e muitos mais. É um abrir caminho sem fim.

      Excluir

    4. "Duchamp"... Sim, porque chamar uma privada de arte é o máximo do processo civilizatório!

      O resultado disso que os vermelhos da "classe média" (seria a "nova c"?) defendem é a imbecilidade de um sistema que forma iletrados manipulados por sindicatos, "movimentos sociais" e partidos (quadrilhas) de esquerda.

      Excluir
    5. Brasil é um pais isolado que consome sua própria cultura, não faz intercambio cultural nem com países vizinhos da América do Sul, isso empobrece.

      Excluir
    6. Para os desinformados que querem informar-se , Duchamp fazia arte conceitual inconformista, com ironia aguda para com os outros e para consigo mesmo. Sua intenção era provocação e foram os museus que transformaram suas peças provocativas em objetos de culto e celebração

      Excluir
    7. Quando eu via os protestos pro impeachment da paulista, não sei porque eu sempre me lembrava dessa frase : "QUALQUER DIREÇÃO QUE A MULTIDÃO VÁ, CORRA PARA O LADO OPOSTO. ELES SEMPRE ESTÃO ERRADOS."

      Excluir
  4. 14:34 Até meu sobrinho de seis anos sabe quem é Duchamp. 'Menas', colega, bem 'menas', please!
    14:49 Deixa eu advinhar: a multidão só está certa quando marcha pela revolução, pela maconha, por "vadias" e por mais coisas grátis do papai-estado. Sei...

    ResponderExcluir