terça-feira, 21 de junho de 2016

ORA TOCA A NOI

A eleição de Virginia Raggi para prefeita de Roma me fez pensar. O clima de saco cheio com a política tradicional não é exclusivo do Brasil. O mundo inteiro vive essa crise, e às vezes as saídas são mesquinhas como Donald Trump ou o Brexit. Mas também existem novidades, como os partidos Syriza (da Grécia), Ciudadanos e Podemos (da Espanha). O Movimento Cinque Stelle da Itália também faz parte dessa onda, mas é difícil dizer se ele é de direita ou esquerda. O slogan "ora toca a noi" (em tradução livre, "agora é com a gente") serve para qualquer lado. As cinco estrelas do nome sugerem progressismo: água pública, transporte sustentável, desenvolvimento sustentável, livre acesso à internet e ambientalismo. Mas o partido não chegou a um acordo sobre o apoio à união estável entre pessoas do mesmo sexo, e acabou liberando seus deputados para votar como quisessem (e isto apesar de seu fundador, o comediante Beppe Grillo, ter se manifestado há muito tempo em prol do casamento gay). Outras propostas são bem interessantes: todos os candidatos têm que ter ficha limpa, e ninguém pode se reeleger mais de uma vez. Isto mesmo: tem que abandonar a vida pública e voltar a fazer o que fazia antes, pois "política não é profissão". Apoiadíssimo, mas será que dá certo? Raggi tem apenas 37 anos e cara de estrela de cinema, e promete livrar os romanos da corrupção. Tomara. E tomara que surjam novas legendas por aqui também, apesar do nosso excesso de partidos. A Rede é bacana, a Raiz de Luiza Erundina promete ser, e o Partido Novo já tem uma militância aguerrida, apesar de nunca ter lançado candidato. Uma amiga minha insiste para eu me filiar, mas, além de ser um pouco à direita demais para o meu gosto, o Novo ainda não se definiu quanto ao aborto, às drogas e aos direitos igualitários. Enquanto não disserem sim para tudo isso, não passo nem na porta.

12 comentários:

  1. Comassim você não sabe se a Vagina Raggi é de esquerda ou direita? Direitíssima conservadora e eurocética.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só por ser de direita e eurocética ela merece ser chamada pelo seu órgão sexual, de preferência com tom pejorativo. Olha, me considero de esquerda, mas às vezes é difícil conviver com essa esquerda misógina.

      Excluir
  2. Nojo da Rede, só tem petista que fugiu antes do barco afundar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E Marina flutua, incapaz de se posicionar sobre o caos que vem reinando.

      Excluir
  3. depois do golpe vc ainda acredita na democracia? E outra...perdemos a soberania, pouco importa quem governa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Golpe? Soberania? Sai daê.

      Excluir
    2. Perdemos o restinho de valores que tínhamos. O país deu uma lição de que não é preciso mais ter vergonha na cara. Cada um faz o que quiser. A zona continua.

      Excluir
  4. Pedir melhoras como água pública, transporte eficiente ao mesmo tempo que é eurocética, e de um partido xenófobo a faz apenas uma coisa: uma populista à la Trump.

    Isso mesmo. Trump pode usar retórica xenófoba e excludente, mas perceba que ele é super a favor da expansão do Obamacare (em choque com a ortodoxia do partido Republicano) e ainda tem um viés isolacionista como se vê na oposição dele aos tratados de comércio internacional e na proposição de fechar as bases militares americanas no Japão e de fechar as fronteiras aos muçulmanos e árabes.

    Ou seja, a Raggi bebeu da fonte trumpiana ao desenhar sua plataforma etnocentrista, nacionalista e isolacionista.

    Ela quer água pública, transporte sustentável, desenvolvimento sustentável, livre acesso à internet e ambientalismo em Roma? Quer. Mas apenas para os romanos. Qualquer outro com pele mais escurinha ou que não é da área, de preferência que caia fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que sim. A plataforma dessa nova prefeita lembra muito o populismo do UKIP, Trump, das novas direitas austríaca e alemã. Benefícios só para os de raca pura e parecidos conosco. E especialistas, professores de universidade? Eles odeiam opinião de especialista. A voz da maioria vale mais, custe o que custar.

      Excluir
    2. Dependendo do especialista, melhor ouvir o tio da padaria. Vide Marilena Chauí.

      Excluir
  5. Exatamente! Eles odeiam opiniao de especialistas! As pontes de agora em diante serao construidas por bebados, as familias vao mandar seus filhos estudarem na cracolandia e quando vc estiver com cancer o cabelereiro vai te tratar! Assim! Presto!

    ResponderExcluir
  6. O mio babbino caro
    Bom mesmo era o partido Radical.
    "Pra seguir a sua direção
    Vou na praia e todos são iguais
    Queimados ou não
    Sempre a procurar sem direção
    Aturdido sem sentido
    Não sei onde vou
    Toda hora é como agora"
    O mundo se tornou qualquer coisa. 'Só que o Trump é maluco.' E aqui, é o império da piada com dor.

    ResponderExcluir