segunda-feira, 2 de maio de 2016

NOCHE TRISTE

O uso do automóvel deveria ser proibido, para evitar as mortes no trânsito. A aviação comercial também: assim só morreriam pilotos de combate. Pensando bem, elevadores são outro fator de risco, pois volta e meia alguém não verifica se o mesmo se encontra e cai no poço. Sem falar nas tomadas elétricas, nas escadas rolantes, na comida para bebês e tudo o mais que pode causar, mesmo que remotamente, a morte de alguém. Pois foi este o raciocínio que seguiu um juiz de Buenos Aires. O magistrado soltou uma medida cautelar proibindo "toda actividad comercial de baile con música en vivo o música grabada", depois que cinco jovens morreram de overdose numa rave. A capital argentina já passou por uma trauma sério na noite: em 2005, a boate Cro-Magnon pegou fogo e matou um monte de gente, numa tragédia semelhante à da Kiss em Santa Maria (inclusive a causa do fogo foi a mesma: um gênio achou boa ideia soltar fogos de artifício em ambiente fechado). O resultado foi que Bs. As. ficou quase um ano sem vida noturna. Outros lugares, como Bogotá, já inventaram toque de recolher, e tudo o que conseguiram foi afastar os "boliches" para as cidades vizinhas - e aumentar os acidentes nas estradas. A tal da medida portenha foi logo derrubada por outro juiz, mas a difícil relação do poder público com discotecas e afins permanece. Inclusive por aqui, onde já se fala em proibir megaeventos como o Tomorrowland.

8 comentários:

  1. BsAs tem uma relação estranha com suas festas eletrônicas. No fundo, acontece uma grande rotatividade de nomes. Bastam 6 meses de diferença pra notar que a noite portenha muda radicalmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque não tem tanta propina para abrir novos negócios como no Brasil...

      Excluir
  2. Tony, quero uma vida noturna livre, sem limites. Mas a pergunta que todos fazem: Quando as ações da PF vai chegar nos clubes noturnos? Não estou falando de consumo de drogas que é incontrolável. Mas de lavagem de dinheiro mesmo. Muitas casas noturnas são caixa 2 de grandes empresas. Empresários da noite tornam-se laranjas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vão pra paulista pedir um país melhor mas prestigiam empresários que lavam dinheiro na noite. Não dá pra entender.

      Excluir
    2. Anônimos, vocês estão fazendo acusações graves E genéricas. Patrece tática de MAV do PT. Sejam específicos e apresentem provas. Não vou mais aceitar esse tipo de comentário.

      Excluir
    3. Detefon nessa cambada,Tony!

      Excluir
    4. Isso diz o Tony que na hora do aperto diz que seu blogue não é delegacia de polícia nem vara de tribunal. Quer ser mais seletivo que isso?

      Excluir
  3. Povo agora se acha delegado, detetive, promotor, FBI, STF.
    Mas não passa de fiscal do cu alheio.

    ResponderExcluir