quinta-feira, 19 de maio de 2016

FALTA DE CULTURA

MinComoda ver tanta gente educada, tantos amigos queridos, falando besteira na internet sobre os mecanismos de incentivo à cultura. Os colunistas de direita souberam criar, ao longo de anos, a noção de que o governo dá dinheiro para que os artistas amigos continuem a apoiá-lo; dinheiro esse que não iria para obra nenhuma, e sim para a compra de suntuosos apartamentos em Paris. Ignoram que o finado Ministério da Cultura consumia apenas 0,2% do orçamento da União, quando a Unesco recomenda que seja pelo menos 1%. E que essa quantia ínfima vai não só para o cinema e o teatro, mas também para os museus, a conservação do patrimônio histórico, as feiras do livro, os programas de intercâmbio, e por aí afora. Não: o que interessa é reclamar que, se um filme tem potencial comercial, então porque precisaria captar dinheiro pela Lei Rouanet? E, se não tem, então por quê fazê-lo, já que seria total desperdício do dinheiro público? Essa galera ignora que quase todos os países têm órgãos estatais de incentivo à cultura (inclusive os EUA, onde o National Endowment for the Arts conta com um orçamento milionário), e que a França, a Itália e muitos outros TÊM SIM um Ministério da Cultura, ao contrário do que vem sendo espalhado nas redes sociais. Também esquecem que os empréstimos do BNDES e as renúncias fiscais têm vários objetivos. Um deles é fazer a economia girar. Um filme, uma peça, um show, tudo isso dá emprego. E emprego gera salário. E com salário as pessoas compram. E pagam imposto. Aliás, sabia que um "blockbuster" financiado em parte pela Lei Rouanet - digamos, uma comédia do Leandro Hassum - gera impostos diretos e indiretos MUITO MAIORES do que foi captado? Os ingressos do cinema, o estacionamento, a bombonière, o DVD, a venda para a TV aberta, a TV a cabo, o Netflix... Nada disso aconteceria sem o empurrãozinho do governo. "Ah, mas e os filmes que não dão lucro?". Sim, muitas obras financiadas com ajuda do governo não dão lucro. Acontece que governo não é empresa: não tem fins lucrativos. Um dos objetivos dessas políticas públicas é DIVERSIFICAR a cultura nacional. Para que haja de tudo, não só os "blockbusters". E também gerar emprego, renda, imposto, essas coisinhas. Não conheço um único artista que tenha ficado rico graças aos incentivos fiscais ou o BNDES. Chico Buarque, por exemplo, comprou seu famoso apartamento em Paris nos anos 1970, quando ainda era perseguido pela ditadura militar e com recursos próprios. Hoje o cinema brasileiro flutua entre 13 e 19% do mercado interno, o que é muito para qualquer país que não seja a Índia ou os EUA. Sem os incentivos, só haveria novela da Globo e olhe lá. O audiovisual injeta mais dinheiro na economia do que o turismo: é uma indústria, portanto merece proteção oficial. Veja bem, não estou dizendo que nossos mecanismos sejam perfeitos, nem que não ocorram distorções. Mas não existe essa de só beneficiar os apaniguados: Danilo Gentilli, por exemplo, um dos maiores críticos do PT, recebeu autorização para captar uma bolada via Rouanet para um projeto seu. Mas é mais divertido "denunciar" Kléber Mendonça Filho, o diretor de "Aquarius", por ser funcionário público. Ele ganha menos de 4 mil reais por mês como coordenador de cinema da Fundação Joaquim Nabuco, em Recife -  cargo que ocupa desde a era FHC, e onde realiza um trabalho sério e respeitado no setor. Vamos parar com essa histeria coletiva, gente. Cultura gera emprego, aquece a economia, incrementa o turismo e as exportações, cria identidade e "soft power". Em qualquer país sério, ela é tratada como política de estado. Ufa.

71 comentários:

  1. Sempre achei interessante a relação mais amistosa da esquerda com as artes do que a direita. Claro que existe artista de direita (90% dos cantores sertanejos, se vc considerar isso arte), mas a maior parte sempre pareceu cair mais pra esquerda. Não tanto à esquerda também, mas geralmente os artistas são centro-esquerda.

    Acho que isso é ainda mais acentuado na comédia. A direita americana por exemplo nunca teve seu Jon Stewart e hoje ainda está longe de ter seu John Oliver. Imagino quais devem ser as diferenças culturais e psicológias (personalidade) que levam as pessoas de direita a serem mais caretas e os de esquerda, menos caretas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc não sabe quais são as diferenças? Eu te digo: Cristianismo, moralidade e patriarcalismo. Esses três fatores são fundamentais quando comparamos pessoas de esquerda e direita.

      Excluir
    2. Sei lá!

      Quando o nazismo veio ao poder, a sociedade germânica estava toda fetishizada em sado-masochismo!

      Eles são meio doidos! Gostam de apanhar de "autoridades"!

      Mal sabem elas que essas "autoridades" querem MÃO ABERTAS NOS CUS!!

      Excluir
    3. Gostam tanto que foram às ruas em 1989 e derrubaram o governo e reunificaram o país sem derramar uma gota de sangue.

      Excluir
    4. O povo está se vingando da classe artística pelo seu posicionamento politico. Simples assim. Vocês não entenderam a amplitude disso. Não é só no ministério e nas leis. É um boicote geral, de patrocionios, audiência, espaço na mídia e etc. Ter apoiado o Lula foi de graça. Mas ter apoiado a Dilma vai custar caro, muito caro a toda a esquerda das artes.

      Excluir
    5. Anônimo, aqui é o Anônimo-2.
      Está cheio de Cristãos de esquerda. Acho que o próprio Cristo era de esquerda, pois ele pregava o amor a Deus e ao próximo, enquanto a direita prega o amor a si mesmo.
      portanto não fale que a direita herdou o Cristianismo. Ela herdou o fundamentalismo.

      Excluir
    6. Anônimo-2: é isso aí!

      Excluir
    7. Entendam ninguém está querendo que se deixe de investir na cultura, mas que por hora, os cortes ainda que pequenos, mas que somados, totalizam o valor que deve ser economizado. Não é coerente, no cenário atual, faltar leitos em hospitais pra financiar um filme de comédia que pode ou não gerar os retornos defendidos pelo Tony Goes. Entendo que é um segmento que pode ficar sobrestado até que o país saia do buraco.

      Excluir
    8. Bem lembrado, Anônimo-2. É muito didático o que ele tinha a dizer sobre avaros e hipócritas, por um lado, e prostitutas, por outro.

      Excluir
    9. Eu acho o máximo como ele chamava os outros de hipócritas!

      Por isso que acredito que ele realmente existiu!

      (Se bem que satanistas ADORAM falar da hipocrisia dos "cristãos", então vai lá saber se a biblia não foi escrita por Satanistas??? Porque prova da existência dele historicamente não existe! É tudo baseado nos evangelhos!)

      Excluir
  2. A Regina Duarte apunhalou toda a sua classe, juntou-se aos globais Suzanna Vieira, Marcio Garcia, Luciano Huck,Tiaguinho Angélica etc...e anunciou hoje que é a favor do fim do Ministério da Cultura. Disse ela "Sou a favor de manter a cultura no Hospital da Educação"
    Acho que ficou claro para a população qual a diferença entre um artista e um global. As pessoas estão falando para a popularidade e alguns artistas estão no mesmo caminho. Querem dinheiro e fama. Em nada contribuem para o desenvolvimento das artes.
    Por isso da importância de manter-se verbas e políticas culturais. Nem sempre o sistema é justo. Mas vcs conseguem imaginar a cultura sendo dirigida apenas por globais e interesses financeiros?
    O que o Ministério da Cultura e a Lei Rouanet precisam é de uma reforma. Como todo o país precisa começando pela índole e moral dos brasileiros.
    Talvez vc não vá a um teatro, cinema ou exposição conceitual onde muito é exigido da sua inteligência e paciência. Mas vc é impactado indiretamente por quem vai. Como o artista está sempre ligado no que é novo para ser apresentado, terceiros buscam nos artistas inspirações para suas criações e idéias. Existe sempre alguém disposto a mastigar o novo para entregar a população algo intelectualmente e visualmente assimilável. Imagine, vc empresário mbl amarelinho, se seus funcionários pararem de assistir novela e começarem a pensar? Vc vai ter problema. Estando contra a cultura vc está se contrapondo aos seus próprios interesses.
    Estamos brigando por 0,28% do orçamento. O ponto não é o orçamento. Estamos ainda na guerra de classes. A elite crítica de esquerda e seus pobres incomoda muito a nova elite profissional de direita e seus funcionários padrão.

    ResponderExcluir
  3. Vamos voltar a colocar pessoas na balança: Regina Duarte ou Fernanda Montenegro?

    ResponderExcluir
  4. O ministério de políticos oligarcas ao invés de notáveis, o fim do ministério da cultura e a falta de sensibilidade e pluralidade desse novo governo mostra ao que ele veio. A tentativa de retornar o Brasil dos anos 90 para hoje não vai dar certo. Tá claro isso. Não se sustenta a longo prazo.
    A única saída é a redução de privilégios, redistribuição de renda e o aumento dos impostos sobre a renda dos mais ricos.

    ResponderExcluir
  5. Eu nunca vi nenhum artista pobrezinho ou professor de artes e/ou teatro da minha região se beneficiar com a lei Rouanet ou com o Ministério da Cultura. Aqui no interior de SP, os municípios ajudam muito mais do que o Ministério da Cultura, que se preocupa com coisas grandiosas de gente famoso para dar votos ao PT.
    Inclusive te convido a vir em junho assistir o Festival Internacional de Rio Preto (todos os anos mais de 100 peças premiadas com ingressos gratuitos ou a menos de 10 reais), também temos o Festival de Teatro Janeiro Brasileiro de Comédia e o Festival de Teatro Infantil, além do Salão Riopretense de Artes Plásticas com exposição e premiação dos nossos artistas regionais, os cursos gratuitos (teatro, dramaturgia para cãmera, artes plásticas e de música), ao final de cada curso os alunos tem que escrever e apresentar peças em pelo menos um dos vários teatros da cidade ou produzir um conteúdo áudio visual. Falei só de uma cidade, temos outros grandes eventos culturais em Olímpia, Araçatuba e Votuporanga só pra citar algumas cidades.
    Agora pergunte quanto o Ministério da cultura investe aqui e quanto a lei Rouanet traz para esses projetos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Agora pergunte quanto o Ministério da cultura investe aqui e quanto a lei Rouanet traz para esses projetos?" Trabalho em prefeitura e sei que muita verba que vem do governo federal por meio de vários ministérios mas que acabam na fofoca como sendo "verba municipal" ou "a prefeitura quem fez".
      Nick

      Excluir
    2. Não é o caso da maior parte domunicípios do interior de são paulo, despertigiados por esse ministério que trabalhava mais pelos PT do que pelo país. (Como quase tudo no governo Dilma).

      Excluir
    3. Sera??? Estado de Sao Paulo onde roubam merenda e outras coisas que nao sao investigadas, falar que uma verba federal e municipal e bem simples.

      Excluir
    4. Claro que para vc petista as prefeituras de SP são mais corruptas que o petrolão e o mensalão petista (os maiores escândalos de corrupção da história).

      Excluir
    5. Não disse que as prefeituras de sp sao mais corruptas que o petrolão e o mensalão, onde vc leu isso e nem nas entre linhas da pra concluir isso do que eu disse. A única coisa que te falo agora é que petrolão e mensalão foram e estão sendo investigados, o que nao vejo quando se trata do governo do psdb.
      Nick

      Excluir
  6. Esses artistas que estão indignados deveriam então nos contar sobre os trabalhos que ele já fizeram apoiados pelo MinC, explicar a importância real desse apoio, e aproveitar a visibilidade que tem na midia e também mostrar o apoio que é dado a produções artísticas pequenas, locais, sem gente famosa e rica.
    Porque, do contrário, essas manifestações parecem somente contrárias ao Temer, e pró Dilma, já que sabemos que todos são contra o impeachment.
    E, pior, essa falta de clareza, essas palavras de protesto generalizadas, acabam soando, sim, como choro de quem vai perder o dinheiro pros próprios negocios, tipo Marieta, dona de teatro. Por que Marieta não abre os números do teatro publicamente pra gente entender porque precisa de apoio? E, mais ainda, explicar porque temos que financiar projetos que.na bilheteria custa carissimo.
    São questões complexas assim que intrigam as pessoas e demandam mais respostas do que protestos em Cannes.
    Acredito que é assim que se sente quem é contra a mamata da cultura. Cabe a quem usa desse dinheiro vir a público e contar melhor essa historia, quem sabe não convence os céticos cansados de pagar por algo que não vêem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou seja, pelo o que vc descreve. Num país totalmente não democrático como o Brasil, apenas artistas e profissionais de cultura devem o ser. Hipocrisia manda lembranças...não se esqueça que, como vc diz, a mamata não é só na cultura, mas tb nas universidades públicas onde a elite estuda gratuitamente, nos impostos que beneficiam empresários e penalisa a classe média, etc...

      Excluir
    2. Um erro não justifica o outro, portanto a cultura deve ser democrática sim.

      Excluir
    3. Essa palavra, "democrático", não pode ser dita aqui pq assusta muito. Principalmente jornalistas.

      Excluir
    4. Quem quer dinheiro estatal (eu sei que é via renúncia, mas é dinheiro estatal do mesmo jeito) tem SIM que ser transparente. Explicar PQ precisa do incentivo.

      Excluir
  7. A lei é injusta mas é o pouco que tem. Precisa ser revista e democratizada. Se ainda existe gente que mantem o costume de ir ao teatro é por conta da lei. Sem ela teríamos 100% de filmes da Globo filmes, Leandro Hassun, Paulo Gustavo, comédia com Tony Ramos e no teatro teremos apenas comédia stand-up. Olha que desastre.

    ResponderExcluir
  8. Tony meu querido, com a devida venia, temos maiores prioridades que financiamento estatal da cultura. O problema é que deixar esse tipo de verba no estado abre espaço para aparelhamentos, seja de direita ou de esquerda. Na ditadura militar havia financiamento para obras que promovessem o patriotismo ufanista. Quando a esquerda chegou ao poder, fez o mesmo ou ainda pior. Por isso o melhor é não ter nada mesmo. Ao menos até o dia que estivermos mais parecidos com a Itália, Espanha, França, Canadá ou Alemanha, já que nos EUA não há mesmo. Esses países já chegaram a um nível de desenvolvimento que lhes permite ambicionar outros tipos de investimento. Prefiro esse dinheiro investido em saneamento público (nem vou falar de educação). Let's do first things first.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apoiado, assino em baixo!

      Excluir
    2. Até o dia que chegarmos ao nível da Itália, França e Alemanha, vamos estar consumindo produtos americanos e enlatados nacionais. Quando esse dia chegar, toda cultura que se desenvolveu localmente nos últimos séculos não existirá mais e vc não vai conseguir recuperar. Por isso que a UNESCO tomba várias manifestações culturais como bens imateriais da sociedade. O Frevo é um exemplo que foi tombado pela UNESCO. Se não tiver verba pública as pessoas não praticam. Esses verdadeiros artistas, como praticantes de Frevo, são os que mais vão sofrer o fim do MinC e o arrocho fiscal. Seus filhos vão apenas ver Frevo pelo youtube isso lá se tiverem interesse pq pela sua ótica as próximas gerações não devem ter direito a cultura genuinamente brasileira.

      Excluir
    3. Mas frevo cansa só de ver não??

      Sou mais um Gabba!!!

      Elétrico eletrizante!!!

      Excluir
    4. Frevo é um exemplo. O Itaú Cultural acabou de selecionar 200 projetos num total de 15.000 que serão contemplados com apoio financeiro obtidos via Lei Rouanet. A distribuição da verba foi muito democrática.

      Excluir
  9. clap clap clap, primeiro post de política que concordo com o Tony, esses direitistas não respeitam ninguém e ficam inventando mentiras sobre a classe artística!
    Nick

    ResponderExcluir
  10. Isso aí Tony. Voltei a ser seu fã.

    ResponderExcluir
  11. Ah é? E então diz, Tony, porque figuras como Claudia Leitte, Maria Bethânia, MC Guimê, Luan Santana, Detonautas (ícone do "vomitaço" aqui....) e outras bizarrices, que podem e DEVEM se manter com seu público e seu alcance nacional, ser bancado, no todo ou em parte, pelo governo? Isso não é um desvio da lei que tanto se critica? Ou apoiar a cultura é apoiar os graúdos que, com seu alcance, podem bradar em nome do governo podre que estava no poder?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TODOS os governos brasileiros foram PODRES, querida!

      Pergunte as travestis que eram obrigadas a se cortarem com gillette seus corpos!

      INACREDITÁVEL: Casa da Bartô | Aplicação de Silicone Industrial em Travestis | 1987

      https://youtu.be/YQjPfouRaAk

      Os PODRES eram ELES!!!!

      MONA BURRA!!!

      Excluir
    2. Os MESMOS que estão aí agora!

      Só que agora com plásticas efeminadas!

      Excluir
    3. Mono o mundo não está preparado para as suas verdades. Se cuide.

      Excluir
    4. Eu sei!

      Eles estão tentando me pirar faz mais de DEZ anos!!

      Mas, não sei porque, eles tem medo de me matar por alguma razão! Tava falando isso com uma colega de trabalho hoje! O porque que eles tem medo de me matar! Acho que eles tem medo da ira divina, só pode! Já mataram TANTOS nessa nossa História violenta, psicótica e sangrenta! Seria até mais humano se me matassem! Eu não mereço essa palhaçada débil-mental toda!

      Mas acho que o mundo estaria sim! Desde que eles contassem a verdade sobre os extraterrestres! Acho que o mundo aceitaria sim!

      INSTEAD, eles escondem tudo! ***E*** me perseguem que nem débios mentais! Precisa de ver as BOBEIRAS que eles fazem comigo! Quando não causam danos em meus computadores, fazendo eu gastar uma grana em novos, mesmo tendo NO-BREAKS que era para evitar exatamente esses tipos de problemas!

      Excluir
    5. Por que os ET Phone Home não te protegem ou te levam daqui então? E vc trabalha em que, Mono? Adoraria ver vc falando sobre suas perseguições cas colega de escritório.

      Excluir
    6. Mono procure ajuda, mas não aqui, isso aqui vc sabe no que se tornou. Pegue sua nave e vai...

      Excluir
    7. Querida, somos MULTIDIMENSIONAIS!

      Estou aqui numa MISSÃO!!

      Não teria encarnado nessa BOSTA de planeta se não fosse para cumpri-la!!

      E a missão é: espalhar as boas novas... NÃO ESTAMOS SOZINHOS NO UNIVERSO!!

      ISSO É MENTIRA DE REALEZAS E PAPADOS DA IGREJA DE PEDÓFILOS!!!

      É só PEDIR! Que eles ajudarão!!

      Excluir
  12. Foi muito bom acabar outra farra com dinheiro público, os que reclamaram perderam a mamata, vão trabalhar desocupados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vc não leu: "0,2% do orçamento da União, quando a Unesco recomenda que seja pelo menos 1%."
      Nick

      Excluir
    2. Nick, birutinha se estimação do blog, vá na Wikipedia e pesquise as recomendações da Unesco, por exemplo, pra seneamento básico, hospitais e rendimento escolar, e compare com os números brasileiros. Você verá que temos metas muito mais relevantes que estão sendo descumpridas.

      Excluir
    3. Ou seja. TUDO ruim, de cabo a rabo!

      MAS VAMOS TIRAR O PT!!!!

      (NADA È MAIS GRAVE!)

      Excluir
    4. Falou e disse.

      Excluir
    5. Anônimo das 20:59, nao preciso ir a wiki para concluir isso, pois se a cultura está abaixo do recomendado imagine os outros setores. Mas biruta é vc, que vem falar pra eu pesquisar sobre o que o governo deve aplicar em áreas mais "relevantes" e deve ser um dos que dizem que o governo "interfere" muito em coisas que não devia (que a sistema de saúde é insustentável, que a educação universitária tem que ser privatizada como nos países em que "deu certo" esse modelo, etc.). O que eu quis demonstra é que é muita reclamação de opositores que dizem que os artistas estão se esbaldando com o dinheiro público sendo que não é verdade e o governo investe 0,2 POR CENTO e o recomendado é MAIS.
      Nick

      Excluir
    6. Quem escreveu às 20:59 foi vc mesmo, querido Nick...

      Excluir
    7. Puts foi mesmo, mas par bom entendedor meia palavra ou um ping no i já é o suficiente e todos sabem a quem me referia, que é o anônimo das 22:12 ou será que de tanto debater com birutas e doidos estou virando um???
      Nick

      Excluir
  13. Acho que existe um recalque e despeito enorme de ambos os lados das elites.
    De um lado uma nova elite ambiciosa, muito produtiva, conservadora, muito egoísta, empreendedora, pouco afeita ao pensamento crítico e que experimentou pela primeira vez nos últimos 5 anos conheceram a classe A.
    De outro lado uma velha elite tb ambiciosa, intelectualizada, pouco produtiva, demagoga, progressista, muito democrática e afeita a acomodação e que sempre esteve na classe A.
    Ambas se digladiam pelo direito de defenderem os pobres.

    ResponderExcluir
  14. Houve tanta histeria, mas eu queria saber: realmente faz diferença se é ministério ou secretaria (dentro da educação)??? será que o importante mesmo não seria cobrar as políticas públicas de cultura sendo um, ou outro? Mais uma: o povo hoje só grita e repassa equívocos sem refletir sobre o assunto, pensar que é bom...

    ResponderExcluir
  15. Tony, só me responda UMA coisa. PARTE do dinheiro captado realmente vai pra pagar equipe etc. Acredito que sejam pagos salários compatíveis com o mercado. Mas e o cachê do artista principal? Ele mesmo decide. Tá certo isso? Um exemplo. Maria Bethania queria uma bolada pra recitar poesia num blog. Manter um blog, ainda que bem produzido, não custa grandes coisas. O caro ali era pagar o que Bethania achava que merecia pra recitar poesia. É correto que o estado renuncie impostos com esse objetivo?

    ResponderExcluir
  16. O mio babbino caro
    Essa gente educada e amigos queridos, SABEM MUITO BEM que esse dinheiro NÃO vai para a compra de suntuosos apartamentos em Paris. Porém como esse discurso engrossa o golpe, usam-no ao extremo, abraçando essa ideia, pobres inocentes. (1+1=2). Ou de uma hora para outra ficaram assim tão desinformados.

    ResponderExcluir
  17. Já disseram que a verba não vai diminuir, então não há problema em virar uma secretaria, é até melhor, os mesmo valores com menos burocracia, mais economia, menos cargos de confiança e mais agilizado!

    ResponderExcluir
  18. CONTRIBUINTE GOLPEADO
    O projeto Santander Cultural recebeu em 2014 R$ 13,8 milhões, via Lei Rouanet. Pobre contribuinte brasileiro, financiando atividade cultural de um dos maiores bancos do mundo. E nem pode reclamar de “golpe”.

    ARTE DO ARTISTA
    O diretor de teatro Aderbal Freire-Filho tem o direito de ser governista, de difundir a lorota do “golpe” e de achar o Ministério da Cultura o máximo. Ele faturava R$ 91 mil por mês em programa de audiência raquítica, na TV do governo, e captou via Lei Rouanet R$ 2.221.090,00.

    ResponderExcluir
  19. Ah Tony
    Se você soubesse o quanto me faz pensar.
    Obrigado por manter esse blog!

    ResponderExcluir
  20. http://m.oantagonista.com/posts/ate-o-governo-temer-cair

    ResponderExcluir
  21. Deus tá vendo vc pedir o fim da Lei Rouanet mas louca pra ir na próxima super produção musical que vai estrear nos teatros em breve.
    Deus tá vendo vc pedir a redução do estado mas fazendo mestrado e doutorado, com bolsa, em universidade pública.
    Muito sujas. E acham lindo ser assim. Por isso continuo falando do mau caratismo e péssima índole das gays.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro esse povo que confunde opinião diferente com mau-caratismo (sic). A discussão termina antes de começar.

      Excluir
    2. Deus tá vendo você defender cotas pq, admita, nunca enfiou a cara com afinco nos livros.

      Deus tá vendo você se inscrever no Minha Casa Minha Vida e pagar R$ 60 de prestação, mas não abdicar de pagar juros altíssimos pra ter seu carrinho populixo financiado.

      Deus tá vendo você defender o PT pq seu coletivo recebia repasses de alguma pasta, pra "fomentar a problematizacão" de alguma "pauta progressista".

      A visão dEle não é seletiva não. Vê tudo.

      Excluir
    3. Fofa, deus não exite, acorda Alice, ninguém tá vendo porra nenhuma.

      Excluir
    4. Existe sim querida!

      E está vendo TUDO!!!

      Ou me explica aí: como eu faço O SOL emanar raios violetas com meus pensamentos??? As nuvens desaparecer com os mesmos??

      Veja no meu canal, antes de falar merda de que sou "doida":

      www.youtube.com/channel/UCBNRZjJTi5NVakYZ78zSfzg

      Existe e é super justo!!!

      Excluir
  22. Tony, pode me dizer que projeto do Danilo Gentilli é esse que mencionou? E uma fonte, porfavor. Eu procurei e não achei. Compartilhei sua postagem em meu Facebook e me questionaram sobre isso.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o filme "Como se Tornar o Pior Aluno da Escola", baseado num livro do próprio Danilo. Ele é um dos roteiristas.

      Excluir
  23. A que se distinguir cultura e artistas, ou ditos artistas, militantes partidários. O Ministério da Cultura não é necessário. Ele e tantos outros não são necessários. O Governo Federal poderia facilmente funcionar com treze ministérios. Os recursos alocados para a sobrevivência da cultura no país poderia estar dentro de algum órgão ou secretaria de algum Ministério. Como é caso no momento. Todo esse rebuliço de artistas, ou ditos, tem viés explicitamente politiqueiro. Ao invés de se estar defendendo a recriação do ministério, poderia-se estar defendendo a boa gestão nos recursos destinados as manifestações e patrimônios culturais. Isso não vejo. Há inúmeros museus, teatros, e tantos outros equipamentos culturais pelo país em situações de pleno abandonado. Aumentar recursos pra restaurá-los é importantes, mas a boa gerência dos recursos também é. Agora isso quase ninguém defende. Quero um bom cenário cultural no Brasil. Precisamos. Mas dispenso esses militantes partidários travestidos de "defensores da cultura." Esses agora sentem a fúria daqueles que nas últimas três décadas tanto perseguiram e humilharam por simplesmente não comungarem com o marxismo. Com a ditadura Cubana. Com o bolivarianismo. Já senti isso na pele. Assim como tantos outros. Quero cultura. Boa cultura. Que tenhamos. Lutemos pra isso. Entretanto não precisamos de práticas politiqueiras pra tê-la.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "HÁ DE SE DISTINGUIR..." é assim que se escreve.
      Entendeu agora pq o Ministério da Cultura é tão importante agora?

      Excluir
    2. Essa história da Cultura é peixe pequeno na tragédia de todo esse episódio político, vamos deixar de ser hipócritas.

      Excluir
    3. Vc quer tragédia maior do que pessoas que parecem terem passado pela educação universitária tentarem passar atestado de intelectual e escreverem " A que se distinguir cultura e artistas"??? Burrice mata gente. To falando sério.

      Excluir
  24. Tony, permita-me discordar de você. Mas antes, deixa eu te contar uma fábula.

    Imagine uma cidade em que haja grande desemprego entre os vidraceiros e que seu pai seja um deles (apenas imagine). Ai vc tem uma grande ideia, chama alguns amigos e saem atirando pedras nas vidraças aleatoreamente. Qual seria o efeito esperado? Todos os donos das vidraças teriam que chamar profissionais da área, gerando empregos e renda para os vidraceiros, e todos ficariam felizes!

    Se cada dono de janela quebrada gastar R$200, um bairro inteiro poderia gerar um mercado de quase R$100.000, isso não seria incrível? O que acha? O dono da janela fica feliz porque sua janela foi consertada e o vidraceiro fica mais feliz porque ganhou dinheiro e trabalho.

    Qual o grande erro desse tipo de pensamento? O dono da janela gastou R$200 para apenas repor um bem que ele já possuia. Ou seja, antes ele tinha uma janela e R$200 no bolso. Depois do conserto, ele ficou apenas... com uma Janela! Se ele não precisasse chamar o vidraceiro, ele poderia ter gasto os R$200 com um jantar, cinema, combustivel, comprando uma roupa nova, alocando esse recurso no mercado como ele achasse melhor. Mas agora não tem mais essa escolha.

    A Lei Rouanet causa um efeito parecido na sociedade, alias ela é a ponta do Iceberg de uma mentalidade estatista e que ainda acredita em "almoço grátis". Os impostos são tão abusivos que as empresas fazer qualquer negócio para escapar deles e de quebra ter sua imagem vinculada a algum projeto com "famosos".

    Apenas a sociedade e os individuos geram riqueza (e impostos). Questiono a ideia que os incetivos estatais ou culturais "gerem" empregos e impostos, ou façam a economia girar. Impostos tem sempre o efeito contrário, retirar recursos da economia e entregar para o Estado administrar como ele bem entenda, você concordando ou não. Nenhuma ação estatal, apesar de toda a propaganda do governo, tem poder de gerar riqueza. Os incentivos citados estão apenas desviando recursos de um lugar para outro, como nas janelas quebradas. E quem decide como esse desvio se dará? Burocratas em Brasília com sua bola de cristal, capazes de saber - mais do que qualquer um de nós - o que é melhor para mim, para você, e para o país todo. Ao aprovarem verbas para projetos de escolha duvidosa (ou não) eles decidem retirar recursos que estariam na economia alocados em outra coisa, para agora serem usados naquilo que eles acham que é melhor. Ou seja, o dono da vidraça, passa a ser obrigado a financiar não apenas o conserto da sua, mas a dos vizinhos também.

    Além de toda a distorção que isso causa no mercado, há uma pior: a continuidade da nossa mentalidade latina de submissão e dependência de um estado grande e inchado.

    É, meu caro. Não existe ingresso grátis. Nem com a Rouanet.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Indústrias diferentes tem comportamentos tb diferentes. Não se consome vidros como se consome dança. Vc toca na questão do papel do estado, tema este muito discutido no momento. A gente sabe que a sociedade, assim como o estado, tem dificuldades de manter padrões éticos e distribuição igualitária. A cultura define o que somos. Se vc deixa a cultura por conta da iniciativa privada apenas, corremos o risco de perder toda a história da nossa identidade como brasileiros. Certamente as novas gerações não vão resistir e vão adotar a cultura americana como atividade artística. Se necessário, a arte faz uma revolução. Se precisarmos fazer uma revolução nesse país para eliminar a corrupção por exemplo, artistas terão papel fundamental. A lei não é perfeita. Mas eliminá-la será um desastre.

      Excluir
  25. Reclamam de 0,2 do orçamento pra cultura, mas nao reclamam dos 45% q vao pra mão de banqueiros e especuladores.

    ResponderExcluir