domingo, 8 de maio de 2016

BIOLAYRES


Depois de tantos anos de noivado imaginário (ele nem desconfia da minha existência), Benjamin Biolay e eu hoje desfrutamos de um convívio amadurecido, tranquilo. Mas de vez em quando ainda rolam umas surpresinhas, como "Palermo Hollywood". Eu nem estava esperando um álbum novo em 2016, já que o último - "Trenet", só com canções clássicas do repertório de Charles Trenet - foi lançado há menos de um ano. Só que agora Biolay vem com um trabalho totalmente inédito, e bastante influenciado pela cidade para onde se mudou - Buenos Aires! Pois é, o cara nem para me avisar, mas eu já perdoei coisa pior. O que importa é que "Palermo Hollywood" traz um clima portenho para o universo musical desse francês que é sempre comparado a Serge Gainsbourg. Tango, cumbia e rap argentino permeiam as 14 faixas do disco, já disponível nos bons serviços de streaming do ramo. E eu acabo de renovar meu noivado por mais uma década.


2 comentários:

  1. O mio babbino caro
    E por falar em rap:
    "A história de Luana: mãe, negra, pobre e lésbica, ela morreu após ser espancada por três PMs"
    http://ponte.org/a-historia-de-luana-mae-negra-pobre-e-lesbica-ela-morreu-apos-ser-espancada-por-tres-pms/
    #black lives matter#

    ResponderExcluir
  2. Uai Tony e o Eduardo Noriega? Como fica nessa situação? KKKKKK

    ResponderExcluir