domingo, 15 de maio de 2016

A AUSTRÁLIA FICA NA EUROPA?


O Eurovision não gosta de política. O festival prefere as canções escapistas e alegrinhas, sem maiores consequências. Tanto que, alguns anos atrás, desclassificou a Geórgia por causa de uma música chamada "We Don't Want Put In". Mas a política, em senso amplo, às vezes dá um jeito de entrar em cena. Em 2014 ela encarnou em Conchita Wurst, que ganhou basicamente por ser uma mulher barbada. Isso torna a vitória de "1944", que concorreu pela Ucrânia, ainda mais surpreendente. Porque dessa vez a conotação política está na própria letra, que fala do massacre dos tártaros da Crimeia pelos soldados soviéticos. E é óbvio que se trata de um paralelo entre este fato histórico e a recente anexação da Crimeia pela Rússia. Mas o fato é que essa era mesmo a melhor candidata num ano decididamente fraco. "1944" salvou o Eurovision 2016 da irrelevância total.

Será que os russos irão boicotar o festival do ano que vem, que deve acontecer em Kiev? Ainda mais porque era deles a favorita das casas de apostas, "You Are the Only One". Um número bem pop ao estilo de Justin Timberlake (que, aliás, fez o show do intervalo), e que acabou vencendo no voto popular. Só que não teve pontuação suficiente para desbancar "1944", que ficou em segundo tanto na preferência do público quanto na dos júris nacionais. Esta foi a primeira vez que divulgaram esses resultados em separado; a soma de ambos revelou o vencedor.
Essa nova maneira de divulgar os pontos aumentou o suspense, além da expectativa de que a próxima edição fosse realizada bem longe da Europa. Porque a Austrália ganhou de barbada no voto dos jurados. Cumequié, Austrália?? Pois é: o país dos cangurus garante uma das maiores audiências ao evento, e foi convidado a participar no ano passado, quando o ESC comemorou 60 anos. O sucesso foi tão grande que resolveram efetivá-lo como membro permanente. Legal, bacana, mas Austrália ganhando o Eurovision é golpe, néam?

17 comentários:

  1. Tony, hoje é permitido a um gay estilo "phyna" gostar de Eurovision? O trash caiu ou continua uma tendência de humor para o homossexual de classe média?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beijo na boca é coisa do passado. A moda agora é namorar pelado

      Excluir
  2. Eu achei que a música da Australia ia ganhar. Não entendi como a Ucrânia ganhou com uma coisa tão triste assim.
    A apresentadora da Suécia tinha uma vibe de rainha má de desenho, não?

    ResponderExcluir
  3. Muito mais emocionante a apresentação da Ucrânia. Merecido o prêmio. Quanto à Rússia, como um país tão rico na dança, literatura e música clássica foi se deixar levar pelo comunismo e depois o Putin? O país inteiro foi sequestrado por essa obsessão em querer fazer e acontecer a todo instante. Isso causa uma rejeição imensa em qualquer um. Cruzes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse "comentário" é o que acontece quando uma bixa tenta se fazer de entendida de história. Como se "cultura" fosse preventivo de governos autoritários.. Parace que tem 15 anos essa aí.

      Excluir
    2. Limitadíssima ela. Vai dizer que vc é mortadela comunista e or isso não deve ser escutado.

      Excluir
  4. Minha favorita era a da França, do gatinho Amir (lindo, lindo, gracinha), que ficou bem posicionada.

    Sinceramente não entendi bulhufas do novo sistema de votação, pode até não ser mas ficou com cara de coisa arranjada. No último minuto algum país pode virar o jogo e ficar em primeiro, tudo muito estranho.

    ResponderExcluir
  5. Mas eu gostei mesmo foi do que a apresentadora falou: "Na festa antes do show havia muitos rapazes bonitos mas todos muito respeitadores, nenhum tentou me cantar. Isso também aconteceu com você?" perguntou ela ao apresentador.
    E ele: "Bem, vamos mudar de assunto..."

    Um tapa sutil na cara dos homofóbicos russos que estavam assistindo...

    O cantor gay de Israel sofreu bullying na Rússia pelos funcionários do aeroporto de Moscou, o que gerou protestos de toda a bicharada que assiste o ESC.

    ResponderExcluir
  6. Reportagem do El País que fala sobre o que mais chamou a atenção do show de ontem:
    http://elpais.com/elpais/2016/05/15/icon/1463266675_814994.html

    E sobre a homofobia que ainda contamina o Eurovisión:
    http://elpais.com/elpais/2016/05/11/icon/1462977448_541048.html?rel=mas

    ResponderExcluir
  7. Erro mesmo foi TVE não ter transmitido para a América Latina :\

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado que estava anunciado no site da TVE e na grade de programação da NET. Ainda bem que hoje em dia dá para ver pelo próprio site do Eurovision.

      Excluir
    2. Aiai qdo alguém vai fazer uma música sobre o golpe esse ano

      Excluir
  8. A Dami é vencedora do XFactor Australia e uma das maiores zebras da historia do programa (entrou no lugar de um desistente e acabou ganhando). Não sabia que ela estava no Eurovision! Vou correndo assistir suas performances.

    ResponderExcluir
  9. Que massa os efeitos na apresentação do russo.

    ResponderExcluir
  10. http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/05/1771609-nenhum-direito-e-absoluto-e-pais-precisa-funcionar-diz-ministro-da-justica.shtml
    Nick

    ResponderExcluir
  11. Acho esse Eurovision tão....Joelma Calypso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né não? Prova viva que breguice não só rola aqui!!

      Excluir