sábado, 30 de abril de 2016

SÓ NO SAPATINHO

O musical "Cinderella" tem um problema de origem: as canções do desenho da Disney. Claro que as músicas de Rodgers & Hammerstein são boas (afinal, os caras também compuseram "A Noviça Rebelde"). Mas não conseguem competir com pérolas como "Bibidi-Bóbidi-Bu", pirogravadas em noss'alma desde a mais tenra idade. Dito isto, a montagem que está em cartaz em SP é realmente espetacular. Com os mesmos efeitos especiais que assombraram a Broadway, como o vestido de trapos que se transforma num modelito de luxo diante dos olhos da plateia. Mas para mim o melhor de tudo foi uma atriz que eu ainda não conhecia: Giulia Nadruz, que faz uma das irmãs malvadas. A moça combina voz, beleza, timing cômico e star quality, e só posso apostar que ela ainda irá muito longe. Nem o libreto que anda em círculos conseguiu atrapalhá-la. Nessa versão para o teatro, Cinderela NÃO perde o sapatinho no baile do príncipe, que depois se vê obrigado a oferecer um banquete para rever a amada - e dá-lhe fada madrinha intervindo de novo, num recurso gratuito que só serve para garantir um segundo ato. E fazer com que as criancinhas presentes tombassem de sono, coitadinhas.

9 comentários:

  1. Eu gostaria de assistir, gostei do príncipe quem é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse da foto é o Bruno Narchi. Mas eu vi a peça com o stand-in dele, o Tiago Barbosa.

      Excluir
  2. Senhor, não tenho paciência com com a animação original, nem com a versção live action ... quem dirá com uma peça de teatro.

    porralouquices.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até um post sobre Cinderella se torna oportunidade para coice no pasto.

      Excluir
  3. O mio babbino caro
    Que fofo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não gosto desse "babbino caro".

      Excluir
    2. Nem é obrigado a gostar.

      Excluir
  4. Quero ver, eu amo a Cinderela. Acabei de ver uma foto da Helen Miren, como ela tá linda né?

    ResponderExcluir