segunda-feira, 14 de março de 2016

WE MAKE THE TERROR

Terminei ontem a quarta temporada de "House of Cards", um programa mais do que apropriado para o momento turbulento que vivemos. E achei que dessa vez as aventuras de Frank e Claire Underwood foram as mais plausíveis desde o começo da série. Nenhum dos dois precisa matar mais ninguém com as próprias mãos. Agora as maquinações políticas vêm para o primeiro plano, e é nada menos que fascinante. Os Underwood são vilões por quem torcemos, além do mais porque não há bonzinhos ao redor deles. Cabe dizer também que, além de bem escritos, os episódios foram muito bem dirigidos (alguns deles pela própria Robin Wright): os enquadramentos são belíssimos, quase sempre com um abajur aceso num canto. E o que é a cena final, quando finalmente Claire quebra a quarta parede e se dirige, ela também, diretamente ao espectador? Só com o olhar, é verdade, logo depois de Frank soltar a frase que dá nome a este post. Terror vai ser esperar até o ano que vem.

8 comentários:

  1. Ainda bem que também terminei de ver ontem, pq é um baita spoiler. Avisa aos leitores, pfvr.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você acha que é spoiler? Eu nem digo o contexto em que a frase é dita.

      Excluir
    2. Spoiler seria se as pessoas soubessem o contexto. Não é o caso.

      Excluir
  2. Temporada tensa, sombria, nervosa, mais dura que as anteriores. Mas igualmente bem escrita, inteligente, conectada com os assuntos em voga.

    Além das atuações brilhantes que já estamos acostumados, com o brilho maior desse diamante que é a Robin Wright, que atriz sensacional!

    E a honra de ter uma atriz do quilate da Ellen Burstyn na série?

    Enfim, só elogios.

    ResponderExcluir
  3. Essa temporada elevou o seriado a outro patamar. Foi tudo impecável, bem orquestrado. Roteiro, direção, atuações. Robin Wright, dona da temporada (em frente e por trás das câmeras) finalmente quebrou a quarta parede, em uma cena extremamente pungente.

    Adorei os coadjuvantes. Neve Campbell que andava sumida, o Robocob republicano, e claro a Ellen Burstyn foi a cereja do bolo, maravilhosa.

    Imagino que levará tudo nas premiações.

    ResponderExcluir
  4. Pô, não consigo assistir... Não flui, me sinto tão culpado por isso!

    ResponderExcluir
  5. Eu nunca vi tanto abajures em uma so serie.... em cômodo são no mínimo 3. Lindo ;-)

    ResponderExcluir
  6. Que venha logo a quinta temporada. Que venha, logo.

    ResponderExcluir