quinta-feira, 10 de março de 2016

WACHOWSKI RELOADED

Um leitor me perguntou o que eu acho da transição de Lilly Wachowski, que até outro dia era conhecida como Andy. Ela e sua irmã Lana são as diretoras da franquia "Matrix" e da série "Sense8", entre muitos outros trabalhos. A homossexualidade é muito frequente entre irmãos: conheço famílias onde todo mundo é gay ou lésbica. Mas Lilly e Lana são o primeiro caso de irmãs trans de que eu ouço falar (elas não são gêmeas). E o que eu acho disso tudo? Acho ótimo. Good for them. Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é. Mais não digo, porque cada vez que eu me atrevo a comentar qualquer coisa sobre os transgêneros, um fenômeno cuja nomenclatura correta para descrevê-lo muda todo mês e com o qual ainda estamos nos familiarizando, as portas do inferno se abrem nos comentários. Então fico por aqui mesmo. Passar bem.

43 comentários:

  1. Parabéns, Tony! De uma boca fechada não saem palavras transfóbicos. Eu já tava pronto para te chamar de Tony Benedito Ruy Barbosa :P Continue assim. E Leia mais. Uma dica de leitura: Longe da árvore, do Andrew Solomon. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TransfóbicOs? Seu machismo heteronormativo faz meus ossos doerem, caro 9:07. Não satisfeito, indica o livro de um ómi cisgênero, branco, norte-americano e membro da autoproclamada "elite" intelectual.

      Bloqueia ele, Tony!

      Excluir
    2. A pessoa vem elogiar a outra por se censurar, fazendo a ressalva de que já estava armada com uma pedra antes mesmo de começar a ler o post, mas e termina o comment com uma amigável dica de livro. Ou será que era uma ameaça? Sinceramente as comunicações de internet estão muito estranhas hoje e eu nem arrisco entender na verdade.

      Excluir
    3. A caixa de comentários desse blog tá virando uma comédia a parte. Acho que o anônimo acima não pescou a ironia do anterior.

      Excluir
    4. Impressionante o fascismo dessa militância. Se não seguir a cartilha, a pessoa automaticamente é tachada como preconceituosa e está ao lado de Bolsonaros e cia.

      Fica a dica de leitura.
      http://mercadopopular.org/2015/06/se-tudo-for-visto-como-agressao-a-vida-em-sociedade-sera-impossivel/

      Excluir
    5. E contra a militância, tome panfletagem! Vergonha na cara, fica para depois. E assim arde o mundo.

      Excluir
    6. Dica de texto pra levar à reflexão, estabelecer diálogo. É muito diferente de intimidar, tentar calar a boca de alguém.

      Excluir
  2. O debate resta na utilização do artigo (o,a) que define o gênero das palavras: (o ou a) travesti ou (o ou a) transexual.
    Chamem os professores de português. De qualquer modo já me acostumei em falar "a travesti" e " a transexual" no caso de transgêneros que hoje são mulheres.

    ResponderExcluir
  3. n entendi. ela era homem e a irmã era mulher e virou homem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. google, bicha!

      Excluir
    2. Quer que desenhe?

      Excluir
    3. As brack deram a cara...

      Excluir
    4. Google ta aí pra isso miga. Já ouviu falar?

      Excluir
    5. Ambos eram homens. Uma já tinha virado mulher em 2012. A surpresa foi o outro irmão que agora virou irmã também.

      Excluir
    6. Meu "querido",
      Saia do camarote black e leia um livro. Pode ser um pocket book de rodoviária mesmo.

      Excluir
    7. As rissoles cada vez mais sequeladas. Muita água que passarinho não bebe no camarote ZZ.

      Excluir
    8. O grau de amargura da moça do rissole é impressionante. Eternamente traumatizada por ser barrada no camarote.

      Excluir
    9. Vcs são piores que adolescentes no Papel Pop

      Excluir
    10. HAHAHAHAHAHA, exato! Obrigado, Anônimo 17:53.

      Excluir
    11. gente eu n sou bicha, posso ser burro. dá licença.

      Excluir
  4. A visibilidade as pessoas transgêneros nos EUA está começando a tomar conta do país. De Laverne Cox a Caitlyn Jenner, questões ligadas as pessoas trans estão começando a ganhar pauta pública. O mesmo que ocorreu a algumas décadas atrás com mulheres lésbicas e homens homossexuais. No início desse mês o governador da Dakota do Sul vetou uma lei que proibia alunos transexuais de somente usarem banheiros e vestiários em escolas públicas que coincidiam com seu sexo de nascimento. Leis desse gênero já começam a pipocar em várias partes nos EUA. Pelo menos lá o debate está se tornando público, enquanto por aqui seguimos a passos largos na direção do atraso. No senado americano já há uma senadora abertamente lésbica, Tammy Baldwin, pelo estado do Wisconsin, o que no Brasil não seria possível. Mas as diferenças entre a nossa sociedade e a americana são enormes. Admito que me bate um desânimo ver que no Brasil os diretos das pessoas LGBT ainda caminha de maneira muito lenta, quase parando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem falar na Thammy Gretchen que se filiou ao partido do Bolsonazi. Tamo bem.

      Excluir
    2. Silêncio total quem não presta é o Jean.

      Excluir
  5. Enjoo do caralho esse negocio de trans. Jah deu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falavam a mesma coisa dos gays. Percebe o que significa o que vc acabou de dizer?

      Excluir
    2. Mas eu tb acho um enjoo do caralho.

      Excluir
    3. anônimo 17:21
      Eles não querem perceber. São os mesmos que dizem aqueles absurdos todos sobre Jean Wyllys, sobre racismo etc. Imaginem se um cara desse fosse hétero, as bichas estavam todas mortas. Eles não tem vergonha não. E se não estiverem na paulista domingo, estarão apoiando, e que se fodam os românticos.

      Excluir
    4. "mimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimimi sou dono da verdade e você é uma racista, homofóbico, filho da puta e merece a morte."

      Excluir
  6. O mio babbino caro
    Trans, vendendo DVD pirata, fazendo programa, na missa, são pessoas. A babel é por nossa conta. E parece-me tudo ter virado babel. Vai fondo fondo [sic]tudo cansa.






    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Orra se vê. Aliás, a grande maioria das trans brasileiras vêm das classe menos favorecidas.

      Excluir
  7. Duas bichonas mal resolvidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbm acho q são duas bichas mal resolvidas. Ridículas!

      Excluir
  8. Odeiem rissoles! Odeiem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Odeie quem você inveja, odeie e chame de coxinha ou rissoles (e não use a pontuação para indicar o vocativo).

      Excluir
  9. Gente com tempo e dinheiro de sobra pra pirar e experimentar o quanto quiser. Só isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc não ve trabalhador q sai de casa 5 da manhã e volta 10 da noite com tempo pra brincar de trans.

      Excluir
    2. Orra se vê. Aliás, a grande maioria das trans brasileiras vêm das classe menos favorecidas.

      Excluir
    3. Tem pesquisa e estatística para comprovar ou é achometro mesmo que vira verdade?

      Excluir
    4. Gente estupida por aqui, imaginem aí fora.
      Deus que proteja as pessoas Trans.

      Excluir
  10. Tony, e o McDonald’s de Taiwan, 71% da população é a favor do casamento igualitário, imagina a gritária aqui no Brasil com esse comercial: http://dezanove.pt/o-filme-do-pai-e-filho-que-esta-a-913073

    ResponderExcluir