segunda-feira, 14 de março de 2016

THE 2016


1975 foi um bom ano para a música pop. Gerou clássicos que tocam por aí até hoje, de "Lady Marmalade" a "Bohemian Rhapsody". E marcou talvez o final de uma era em que as fronteiras entre os gêneros eram porosas. Todo mundo ouvia de tudo e as misturas eram frequentes. É nesse espírito que a banda inglesa The 1975 se inspirou para escolher seu nome. Mas o som dos caras não tem nada de nostálgico: ao contrário, é pra lá de atual. Eles acabam de lançar seu segundo álbum, com o título catita de "I Like It When You Sleep, For You Are So Beautiful Yet So Unaware of It". Algumas faixas soam como versões modernas de grupos como INXS ou Duran Duran, que ainda não existiam em 1975; outras são delírios instrumentais que beiram o experimentalismo. E uma delas, "The Sound", já tem status de hino, pelo menos no meu hit parade pessoal.  The 1975 está liderando as paradas lá fora, e seu som ecumênico é um bálsamo para esses dias em que andamos tão divididos.

5 comentários:

  1. Achei fraco...tenho escutado Anderson Paak já ouviu falar? Indicação do meu noivo imaginário Giles Peterson

    ResponderExcluir
  2. Triste essa divisão do Brasil, pensei agora a humilhação do Lula não foi pra destruir um partido ou um político mas uma ideologia, essa do socialismo. Não?

    ResponderExcluir
  3. Amei velho chico, home da uol. Ui

    ResponderExcluir
  4. BØRNS é vida
    Tô viciado

    ResponderExcluir
  5. Ouvi por acidente outro dia a "Girls" numa playlist do Spotify... Chamou atenção... mas não entendi esse hype todo neles...

    Me lembram um Friendly Fires mais maquiados...

    ResponderExcluir