segunda-feira, 21 de março de 2016

BOM PRA CACHORRO


De vez em quando surge um filme brasileiro sem a pretensão de virar blockbuster internacional, mas onde tudo funciona direitinho: roteiro, direção, elenco. Foi assim com "Estômago" alguns anos atrás, que levou uma penca de prêmios e me seduziu quando o vi na TV. Agora o diretor Marcos Jorge e o roteirista Lusa Silvestre repetem a parceria e o acerto: "Mundo Cão" não tem um fotograma sobrando, e prende a atenção do começo ao fim. A história tem um parentesco distante com o mexicano "Amores Perros", pois também inclui cães ferozes, bastante violência e um acidente de trânsito absolutamente pavoroso. Mas as semelhanças terminam por aí. Como o trabalho anterior da dupla, esta nova obra não tem similares no panorama nacional. E, por ironia do destino, foi lançada no exato momento em que o país está dividido e nenhum dos lados parece ter razão - igualzinho aos antagonistas da trama, muitíssimo bem vividos por Lázaro Ramos e Babu Santana (e que bom ver atores negros fazendo papéis que não foram necessariamente escritos para negros). Mas quem brilha mesmo é Adriana Esteves, num registro totalmente distinto das vilãs que ela vêm encarnando na TV. "Mundo Cão" poderá chocar as almas mais sensíveis, mas é entretenimento de primeiríssima linha. E é brasileiro feito todos nós, esquindô, esquindô.

17 comentários:

  1. "o país está dividido e nenhum dos lados parece ter razão"

    Choquei!

    Primeiro, não ha "divisão", pois os defensores do partido criminoso são minoritários até nos levantamentos do datafAlha. Segundo que essa é a tese do lado que não tem razão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O país não está dividido em duas metades iguais: uma das partes é bem maior que a outra, que o diga o DataFolha. Mas nnao há o clima de unanimidade que havia contra Collor, por exemplo. E você sabe que eu já escolhi meu lado, mas nem por isto acho que ele esteja 100% correto.

      Excluir
    2. Verdade, não existe 100% de correção em qualquer posição. Nem há hoje a mesma unanimidade que havia contra Collor. Agora entendi seu ponto de vista. O PT tem insistido nessa tese de país dividido sem tocar em números. Foi esta a razão do meu choque, mas já passou.

      Excluir
    3. Tadinho Tony. O Discipulo é seu seguidor e discipulo fiel. Vc feriu o coraçaozinho dele. Para quem tenta entender a vida pela internet e pela Globo , esse mundo já é muito dificil para viver.
      Tony, vc tem responsabilidades com seu público. Nao pode sair expondo seus mais sinceros sentimentos assim, do nada.
      Meus senrimentos caro Discípulo.

      Excluir
    4. "Para quem tenta entender a vida pela internet e pela Globo"
      Tá bom então.
      Meus sentimentos também, caro anônimo das 18:07.

      Excluir
  2. E tem muitos que escolheram outro lado e sabe que ele não está 100% correto. E se vc chama o instituto de "datafAlha", como pode nos garantir que os números do seu "time" (pois vc parece mais um torcedor de um "time" do que um analista imparcial, vc é o mesmo que os "PTralhas que tanto critica, pois isso não é uma partida de futebol) são verdadeiros? Me de um nome, estou pedindo um nome para eu analisar se voto ou nao proximas eleições, no outro post outro critico me deu nome do Caiado(sei quem é e não voto), se quiser me dar outros nomes para analisar estou disposto a ler sobre a pessoa).
    Nick

    ResponderExcluir
  3. Quando barraram a candidatura do Sílvio Santos, foi aí que começou a degringolar a coisa...

    ResponderExcluir
  4. O mio babbino caro
    Nada como um dia após o outro dia.

    ResponderExcluir
  5. Voltando ao filme, que porra de acidente de trânsito foda.
    Muito bem filmado e causa o maior impacto do filme.

    ResponderExcluir
  6. A realidade já é um mundo cão! Não vejo nem assisto tô fora seja nacional ou internacional!

    ResponderExcluir
  7. Acho Lázaro um ator superestimado, a esposa também, fazem sempre o mesmo personagem com aquela pegada de interpretação pra tv, sempre bem rasa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raro vc encontrar um bom artista que te inspire hoje em dias. Todos estão formatados para agradar as camadas com inteligência, como vc diz, rasa.

      Excluir
    2. by anônimas profundas.
      hummmmmmmmmmmmmmmmmmmm

      Excluir
    3. Sempre achei Lázaro e Wagner superestimados.

      Excluir
    4. Discordo. Acho dois grandes (e feios) atores, agora realmente acho que o Lázaro vem se desgastando na TV, sempre interpretando o tipo bobalhão/esperto/gente boa. Tem que diversificar como o Wagner, o Rodrigo e o Selton fazem.
      E acho a deslumbrante Taís Araújo subestimada, precisa interpretar personagens mais densos, mesmo na TV, para dar gás a toda sua beleza e talento.

      Excluir
  8. Desculpa, mas não consigo gostar desse Babu Santana. Desde aquele filme "Rádio Favela FM" que o vejo nas telas, mas não consegue me convencer como ator, sempre o mesmo registro (cara de bravo).
    Como Tim Maia foi ainda pior, não passava aquele bom humor escrachado do Tim.

    ResponderExcluir
  9. Sempre tem umas forçações em filmes nacionais que te tiram do filme. Logo no início o Lázaro manda o Babu calar a boca, com aquele ditado "quando um burro fala...", só que o Lázaro não estava falando, então fica sem sentido. No final ele permanece muito limpinho com cabelo e barba feita, mesmo com o filme indicando que passou um longo tempo acorrentado e comendo ração.

    ResponderExcluir