sábado, 6 de fevereiro de 2016

TRAVESTI E BAGUNÇA


Comecei meu carnaval com um filme que fez muito braulho no festival de Sundance do ano passado e que arrancou elogios unânimes da crítica americana. Apesar disso e da adequação à data, "Tangerine" estreou no Brasil sem fazer barulho. Só tinha eu e mais um gato pingado na sessão a que fui nessa sexta. Mas esse silêncio fica fora da tela: dentro dela, o que não falta é babado, confusão e tapa na cara. "Tangerine" é inovador tanto na forma como no conteúdo. Foi inteiramente filmado com iPhones 5s, o que dá às cenas um sentido de urgência e palpabilidade. E conta a história de duas trans que se prostituem nas ruas de Los Angeles, o tipo de protagonista que é raro em qualquer lugar do mundo. Uma delas acaba de sair de um mês na prisão por porte de cocaína, e a primeira coisa que sua amiga lhe conta é que o namorado-cafetão não só não foi fiel, como a traiu com um "peixe" (a gíria local para as mulheres). O que segue daí é uma perseguição implacável em plena véspera de Natal, mostrando um mundo sórdido de drogas, sexo e violência. Ah, falei que é uma comédia? Pois é: o diretor Sean Baker não tem peninha de seus personagens, e deixa que a denúncia social aconteça sozinha na cabeça do espectador. Ninguém reclama de sua própria situação. A edição agitada e o ótimo uso da trilha sonora levantam o astral, e o drama humano se manifesta sem firulas. Só não entendi o título do filme, já que não há sombra de tangerina. Talvez seja uma corruptela de "transgender"?

9 comentários:

  1. Acabei de ver! Sensacional! Obrigado pela dica Tony, ate q enfim gostamos de um mesmo filme pq normalmente vc fala mal aqui dos q eu mais gostei de ver.

    ResponderExcluir
  2. Tangerine se refere À cor do céu de L.A. ao entardecer, cuja cor remete à fruta. (Tal informação está na ficha oficial do filme no IMDB).

    ResponderExcluir
  3. Segundo o IMDB,"The title of the movie was chosen as a reference to the striking color of the Los Angeles sky at sunset".

    ResponderExcluir
  4. As for the film’s title, Tangerine was chosen after orange became the dominant colour when the saturation was pumped up in post-production.

    “The world [in the movie] is so colourful and the women are so colourful,” said Baker. “We wanted to match them.” (Independent)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um amigo de Facebook disse o seguinte:

      "O título é por causa daquele 'bom ar' em forma de tangerina que a trans dá de presente pro taxista pra disfarçar o cheiro ruim do vômito no carro. É uma metáfora: tá todo mundo tapando o sol com a peneira ali naquela paisagem plastificada de LA".

      De fato, tem essa cena no filme. Eu nem vi que era uma tangerina...

      Excluir
    2. Confio mais na declaração dada ao Independent.

      Excluir
  5. Nossa, LA tem lugares tao ou ainda mais feios que no brasil. Fiquei chocado. Nenhum vestigio do glamour kardashiano way of life.

    ResponderExcluir
  6. O título do filme faz referência às cores do por do sol de LA. O poster mostra isso.

    ResponderExcluir
  7. Eu lembro de Tangerines, do Flaming Lips hahahahahahahahahahahah

    ResponderExcluir