domingo, 14 de fevereiro de 2016

ANTONIN SCROTO

Antonin Scalia era bem mais do que o mais poderoso inimigo da causa LGBT nos Estados Unidos. O recém-falecido juiz da Suprema Corte de lá também era radicalmente contra o aborto, as cotas e o aquecimento global. E a favor do financiamento de campanhas por empresas, do redesenho distrital favorável aos republicanos e até mesmo da pena de morte para adolescentes e deficientes mentais. Votou a favor de Bush e contra Al Gore em 2000, e achava que as leis estaduais que proibiam a sodomia eram perfeitamente constitucionais. Num tribunal rachado ao meio e onde um único juiz - Anthony Kennedy - costumava ter o voto de Minerva, nem sempre as opiniões radicais de Scalia prevaleciam. Mas sua influência foi enorme no movimento conservador, que agora se vê privado de uma de suas figuras mais barulhentas. Por isto mesmo que os republicanos já avisaram que vão barrar qualquer candidato indicado por Obama, já que o cargo é vitalício. Querem que o sucessor do escroto-mor seja apontado pelo próximo presidente, e torcem para que seja de seu partido. Vem uma briga feia por aí, mais uma, em pleno ano eleitoral. E, por ironia do destino, uma briga que vai totalmente contra o que pregava esse falecido extra da "Família Soprano". Porque Scalia, apesar do óbvio viés reacionário, se dizia um "originalista". Alguém que interpreta a Constituição à luz do que seria a intenção dos "founding fathers" do século 18, sem levar em conta as mudanças da sociedade. Pois bem: a carta americana diz claramente que cabe ao presidente em exercício apontar um candidato para preencher uma vaga aberta no Supremo. Querer ignorar isto, como prega a oposição, é atropelar a lei.

22 comentários:

  1. Já vai tarde, demônio... Adorei uma "homenagem" que fizeram a ele, ano passado, em "Scream Queens".

    ResponderExcluir
  2. A eleição do George Bush é a prova brutal que o USandA n pode abrir o bico pra falar da Rússia na questão democracia, a eleição obviamente mais roubada da história

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bom é que tem muito republicano que abre a boca pra falar que a eleição foi roubada mesmo. Ótimo. Assim conhecemos bem que tipo de pessoas são.

      Excluir
  3. E a festa na sua casa qdo o FHC falecer? O agente da CIA, que recebeu 1 milhão da fundação Ford em 1969 vendeu sua alma pro Diabo e até hj com seus PSDBinhos contribuem para o atraso destruição do Brasil (MARIANA IMBASSAHY A MULHER QUE ME CHAMOU DE PROSTITUTA NO MEU PRIMEIRO DIA DE TRABALHO NA AGÊNCIA FISCHER) vai ser uma festa maior que a Margareth Tatcher

    ResponderExcluir
  4. Adoro essa narrativa que transforma todos os que não se alinham ao "progressismo" em bicho-papão. Acho bem divertida.

    Pena que ela funciona cada vez menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que a senhora não tenha relevância alguma.

      Excluir
    2. Progressismo é o futuro da civilização.

      Excluir
  5. Mais uma vez observamos que os falsos paladinos republicanos são tão hipócritas que o uso dessa palavra já não suporta mais descrevê-los. Precisamos criar outra. E agora a indicação do substituto de Antonin traz mais uma viva evidência da farsa a que está imersa o ideal republicano. Querem rasgar a constituição. Só porque se acham o umbigo do mundo. Patéticos. Não demorará muito para os republicanos verem seus falsos valores irem se dissipando cada vez mais ao longo das próximas décadas. Chegará o momento em que irão pedir com toda humildade os votos da comunidade LGBT americana. Espero estar vivo para ver isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IMPORTANTE:

      Link de artigo sobre o fenômeno Sanders, a esquerda "liberal" americana e a relação de ambos com o socialismo marxista - aquele mesmo que espalhou miséria, crise, fome, totalitarismo, paredões e suspensão de direitos por onde passou:

      http://sensoincomum.org/2016/02/14/bernie-sanders-e-a-esquerda-americana-que-saiu-do-armario/

      Decidi comentar abaixo do seu comentário, João, para, quem sabe, ajudá-lo a sanar sua confusão (ou ilusão) acerca da origem e pretensões de sua tão estimada "New Left".

      Mas entenderei se você ainda preferir o sorrisinho inclusivo de certos matizes políticos. Entre quem vende frutas e vegetais a preço justo e quem oferece doces de graça, sei bem qual costuma ser a escolha dos mais jovens.

      Abraços de um Liberal (no sentido europeu, que fique claro!)

      Excluir
    2. HAHAHa. Bem que disserem que vinham do Instituto Liberal. "Sobre Alexandre Borges
      Alexandre Borges é diretor do Instituto Liberal".
      Bom mesmo era o capitalismo antes da intromissão dos socialistas fabianos e outra "esquerdices" em que crianças trabalhavam em fábricas, e as famílias não viviam somente para subsistência, e os gayzistas nao queriam impor sua ideias liberais de esquerda, destruindo a família trabalhadora inglesa no progresso econômico liberal da sociedade.
      Nick

      Excluir
    3. Não sou marxista. Sou liberal. Próximo aos liberais americanos, canadenses e liberais sociais europeus. Se morasse nos EUA não votaria no Sanders. E sim na Hillary, que é de longe a melhor candidata dessa eleição que se avizinha. Agora, gostaria de saber qual o incômodo pelo comentário que fiz em relação aos podres republicanos. Não retiro uma vírgula do que disse. Tenho ciência de política americana para saber que tipo de partido é o republicano.

      Excluir

    4. João,

      O sentido da palavra "liberal" no Brasil e na Europa é praticamente o oposto do usado nos EUA. Sanders está para Hillary, como Dilma para Marina, capisce? No fundo, quase uma coisa só (só que ele fora do armário!).

      A propósito, use e abuse do direito de considerar os republicanos feios, chatos e bobos, a questão é que você ainda não se encontrou com a terminologia.

      O texto do Alexandre pode ajudar. Sério.

      *

      Nick,

      Para um economista, você faz confusões um tanto primárias.

      Criticar os primeiros momentos do liberalismo só serve para tumultuar, meu caro. Parece até ter esquecido que, no século XVIII, a fome endêmica ainda era uma realidade no Velho Continente e teses como a de Malthus norteavam o debate de então. Oferecer trabalho em fábricas às pessoas - que durante TODA a História trabalharam desde a mais tenra idade - foi a solução para o problema das populações que já não encontravam lugar no campo. Ou seja, não foi o capitalismo liberal malvadão que fez crianças trabalharem, pois elas SEMPRE trabalharam. Ao contrário, ofereceu condições materiais para que o trabalho fosse cada vez mais restrito a quem tinha mais idade.

      Sinto dizer, mas sua avaliação em 22:20 foi profundamente anacrônica.

      Excluir
    5. Sanders é que nem Dilma? Não lembro da Dilma falar (ou fazer) com que grandes corporações e bilionários pagassem mais imposto para financiar a saúde e educação das classes média e baixa.

      Também não lembro da Dilma condenar o clientelismo que subjaz toda relação entre o poder público e as empreiteiras. Aliás, se vc bem lembrar, foi assim que os esquemas da Lava Jato começaram.

      E por fim, Dilma nunca foi uma defensora da causa LGBT, coisa que Sanders foi. Inclusive muito antes da Hillary, que só teve coragem de dizer que homofobia e discriminação é errado depois que 50% da população americana passou a ser favorável ao casamento gay, como a bela oportunista que é!

      Excluir
    6. Sim, concordo que estou sendo simplista, mas vc também está, porque você fala tanto que somos doutrinados pela esquerda que se esquece que vc está sendo doutrinado pela direita, pois prefere (é o que infiro dos seus comentários) um republicano na casa branca do que um democrata ou Sanders (apesar de sabermos o que este partido pensa dos gays- mas o que importa os gays, né, se a economia e o pensamento "liberal" seja levado adiante). E para sabermos quem está certo é preciso muito estudo e ciência e matemática e dados, por as ideias contrárias e ver os números, pq com números não se discute. Mas isso nem vc, nem eu fazemos. Sim não pode ter sido o capitalismo malvadão que fez as cranças trabalharem, o que vc está certo, vem de muito antes, e caso Brasil: meus pais trabalharamm desde criança. Mas do mesmo modo que você quer moldar um mundo perfeito com políticas econômicas liberais e acha que queremos um mundo ditatorial vermelho de esquerda, o mundo não funciona assim, e sim no equilíbrio, entra o capitalismo e algumas ideias socialistas, entre o individual e o coletivo.
      Nick

      Excluir
    7. Nível de clichês esquerdistas: 100000 plus hard master

      Só mesmo interagindo com a fauna e flora local para entender a razão do Brasil ser o... Brasil!


      E para quem ainda cai no discurso de Sanders, que só fala aquilo que os imbecis de carteirinha querem ouvir, segue um recadinho dos dinamarqueses para o político-amigo-das-bichas-e-das-mulheres-e-dos-pobres-e-de-todos-os-bichinhos-da-floresta:

      http://www.headlinepolitics.com/denmark-tells-bernie-sanders-stop-lying-country/

      Excluir
  6. A constituição americana foi a mais moderna de todos os tempos na época de sua promulgação, com ideais da revolução francesa ANTES mesmo da revolução acontecer.

    Acontece que hoje ela está uns 250 anos desatualizada.

    ResponderExcluir
  7. Era mais fácil dizer, guardando as devidas proporções, que este Scalia era o Gilmar Mendes americano. Até fisicamente se aparecem. Que o Diabo, caso exista, os receba com carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gilmar votou pelo casamento gay. Scalia jamais faria isto.

      Excluir
    2. Gilman é um demônio, mas Scalian conseguia ser pior.

      Por outro lado, não sei se Scalian libertou um médico-estuprador-em-série como fez Gilman.

      Excluir
  8. O mio babbino caro
    "inimigo da causa LGBT, radicalmente contra o aborto, as cotas e o aquecimento global. E a favor do financiamento de campanhas por empresas" Alguém tem dúvida que com esse perfil, ele teria todo apoio por aqui.

    ResponderExcluir
  9. Tinha cara de boqueteiro, como ainda tem Delfim Neto.

    ResponderExcluir
  10. Nossa, quantas qualidades ele tinha.

    ResponderExcluir