terça-feira, 26 de janeiro de 2016

THE JOY OF CAPITALISM


Jennifer Lawrence pode estar em vias de se tornar mais um caso de "too much, too soon": alguém que faz sucesso demais, cedo demais. Aos 25 anos de idade, ela já contabiliza uma franquia de sucesso planetário ("Jogos Vorazes"), um Oscar e outras três indicações ao prêmio da Academia. Quase sempre sob a direção de David O. Russell, que vive lhe dando papéis para os quais ela ainda não tem idade. A personagem-título de "Joy" é mais um deles. JLaw está bem, mas não convence totalmente como a mãe divorciada que enriqueceu graças a um esfregão revolucionário (você leu certo). A Joy verdadeira tinha 10 anos a mais quando se passaram os acontecimentos narrados pelo filme, e provavelmente uma carga de vida que Jennifer não consegue transmitir. Além do mais, o roteiro não ajuda muito. É corretinho, acadêmico, uma cena bem encadeada na outra. Mas nunca mergulhamos na cabeça da protagonista, que está em quase todas as cenas. Só ficamos sabendo que ela é "guerreira" e mais nada. O elenco cheio de caras conhecidas ajuda, e não há propriamente um momento chato. No entanto, mesmo com a presença luminosa de Isabella Rossellini, ficou faltando aquele algo mais. "Joy" não passa de um tratado sobre a alegria do capitalismo. A mensagem do filme é só "trabalhe bastante, acredite em si mesmo e fique bem rico". Ahã.

11 comentários:

  1. Jlaw e Bradley Cooper de novo, quem aguenta

    ResponderExcluir
  2. filme que o departamento de RH vai mandar voce assistir para ficar motivado...

    ResponderExcluir
  3. N acho ela bonita, vc acha? acabei de ver um vídeo interessante onde o cara diz que os ricos estão em greve, eles se recusam a pagar impostos, se recusam a produzir riqueza mas são felizes em providenciar armas, polícia e prisões pra jogar os esfomeados no buraco, eles tem um "end game" que é a distopia, temos que lutar pela utopia. Taí o capitalismo pra vc. http://therealnews.com/t2/index.php?option=com_content&task=view&id=31&Itemid=74&jumival=15501

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb não a considero um exemplo de beleza, mas acho que ela tem aquele algo a mais que transformou pessoas como Madonna e Julia Roberts em estrelas do entretenimento.

      Excluir
  4. JLaw is the next Marisa Tomei.

    ResponderExcluir
  5. precisa parar de trabalhar com o david o. russell

    ResponderExcluir
  6. Modelo da Dior. Dinheiro investido. Só isso. Eu não aguento vê-la mais.

    ResponderExcluir
  7. Fiquei surpreso de ver que o Discípulo ainda não veio chiar pelo fato de o post falar que o capitalismo não é lá essas coisas.

    ResponderExcluir
  8. Só eu sinto uma vibe shimbalaiê nela?

    ResponderExcluir
  9. Ela é ídolo de muitas shimbalaiês por aí.

    ResponderExcluir
  10. A eterna mania de brasileiro, de decidir odiar quem tá no auge. Como vcs são tupiniquins!!!

    ResponderExcluir