segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

MEUS FILMES DE 2015

Pronto, passou, passou, começa aqui a minha retrospectiva de 2015. Engole esse choro. Até porque, em termos de indústria cultural, o ano não foi dos piores. O cinema, por exemplo, foi generoso. Aqui estão os meus dez prediletos:


1) UMA NOVA AMIGA
A transexualidade foi um dos temas dominantes de 2015. E o diretor francês François Ozon, há tempos um dos meus favoritos, conseguiu fazer um filme engraçado e emocionante sobre o assunto. Romain Duris está um tesão absoluto, tanto como homem quanto como mulher. Vi no avião que me levou para a Suíça, em junho, e tive que rever quando estreou no Brasil um mês depois. Ainda vou comprar em DVD; enquanto isto, revejo esta cena no YouTube até riscar.



2) YOUTH
Por muito pouco o italiano Paolo Sorrentino não levou o bicampeonato (era dele o melhor filme de 2013, "A Grande Beleza"). Seu novo trabalho é mais focado, mas nem por isto mais facinho: seu estilo ainda é para paladares refinados, com uma certa bagagem de vida. E haja bagagem nessa meditação sobre a passagem do tempo, com trilha sonora impecável e enquadramentos que mereciam molduras. Vi em Cannes, em outubro - ainda não tem data para estrear nos cinemas daqui.

3) FILHO DE SAUL
Outra pérola que só entra em cartaz no Brasil em 2016 (vi na Mostra de SP). Mas virá com pompa, embalado pelo Oscar de melhor filme em língua estrangeira. A estreia de Laszlo Némes na direção de longa-metragem é espantosa. Um tema batidíssimo, o holocausto, ressurge literalmente por um ângulo novo. Planos fechadíssimos, design de som apavorante, o mais próximo que conseguiremos chegar de um campo de concentração. Aviso importante: não é para os fracos.

4) BIRDMAN
Um tour de force do mexicano Alejandro González Iñárritu, que finalmente faturou seu Oscar. Uma comédia ácida sobre os limites da fama e da vida, num aparente único take. Michael Keaton tira sarro de si mesmo e de seu papel mais icônico, o Batman, apoiado por um roteiro afiadíssimo e um elenco primoroso. Sensacional.


5) CAPITAL HUMANO
Indicado pela Itália para o Oscar do ano passado, foi ignorado pela Academia e está fazendo carreira discreta entre nós. Mas é do grande cazzo: egoísmo, diferenças sociais, laços de família, ambição e outros grandes temas afloram pelos pontos de vista de três personagens diferentes da mesma trama. 

6) DIVERTIDA MENTE
O melhor desenho animado para crianças que só os adultos vão entender plenamente de todos os tempos. Uma festa para os olhos e para o cérebro. Muito possivelmente, a obra-prima dos estúdios Pixar, o que não é dizer pouco.

7) WHIPLASH
O professor mais infernal de toda a história do cinema. E que, numa reviravolta surpreendente, não se redime no final. Pelo contrário: o desfecho melodramático tem sabor de vingança. Novelão mexicano temperado com jazz e testosterona.


8) GRANDMA
Só vi dois filmes no festival MixBrasil, mas um deles entrou direto nos meus Top 10. Lily Tomlin ganhou o melhor personagem de sua carreira, uma lésbica viúva e desbocada que precisa arranjar o dinheiro para a neta fazer um aborto. Libertário e divertido, com um toque de amargura. Indicação ao Oscar de atriz à vista.

9) O JOGO DA IMITAÇÃO
Alan Turing, um dos pioneiros da computação e um mártir da causa LGBT, já tinha ganho o perdão do governo britânico. Agora ganhou um filme à altura de sua tragédia e um intérprete do calibre de Benedict Cumberbatch. Um filme para ser esfregado na cara dos fundamentalistas, que hoje desfrutam da internet.

10) CHATÔ, O REI DO BRASIL
Por esta ninguém esperava: quase vinte anos depois do início das filmagens, Guilherme Fontes finalmente deu à luz uma obra-prima. Alegórico, tropicalista, pouco didático e, ainda assim, exuberante. O melhor filme brasileiro de 2015, diretamente dos anos 1990. Ah, e a cenografia é da minha cunhada, hahaha.

E para chegar em vinte, aqui vai o resto da minha lista: 
11) 45 ANOS - sublime Charlotte Rampling!
12) O HOMEM IRRACIONAL - Woody Allen num ano bom
13) PERDIDO EM MARTE - ora, vá plantar batatas
14) AFERIM! - um faroeste na Romênia do século 19
15) CIDADÃO DO ANO - se Tarantino fosse norueguês
16) PECADOS ANTIGOS, LONGAS SOMBRAS - a Espanha pantanosa
17) MACBETH - Shakespeare + Game of Thrones
18) O CLÃ - a Argentina acerta mais uma conta
19) SAMBA - os imigrantes na Europa dançam para não dançar
20) QUE HORAS ELA VOLTA? - um grande filme pela metade

E o pior do ano? Vou fazer uma provocação, porque sei que se trata de um filme que muita gente adora: o alemão PHOENIX. Eu simplesmente não comprei a história da mulher que, tendo o rosto desfigurado durante a 2a. Guerra, só não é reconhecida pelo próprio marido. Uma bobajada pretensiosa. Mas o fato é que vi pouca bombas: aprendi a evitar filmes de super-heróis e comédias com Leandro Hassum. Ah, a sabedoria que só a maturidade pode trazer...

20 comentários:

  1. Odeio Hassum como odeio poucas coisas na vida.

    ResponderExcluir
  2. BIRDMAN NA LISTA DESSE ANO? NAO ENTENDI... ELE NAO ESTAVA NO MESMO OSCAR DE RELATOS SELVAGENS QUE SAIU NA SUA LISTA DO ANO PASSADO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Birdman" e "Relatos Selvagens" concorreram ao Oscar deste ano. Mas eu vi "Relatos" no ano passado, e "Birdman" só em 2014. Por isto entraram em listas diferentes.

      Excluir
    2. não seria 2015?

      Excluir
    3. Vc não quis dizer 2015 não?

      Excluir
  3. Vivi pra ver a Tonya reclamar de um filme pastelão comercial da Globofilmes.

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Tá lá na casa dele. Vi, gostei, mas não o suficiente para que entrasse na minha lista.

      Excluir
    2. Boyhood foi um filme muito melhor q birdman.

      Excluir
    3. "Boyhood" entrou nos meus Top 20 do ano passado. Vi em 2014.

      Excluir
  5. Ótima lista, vi a maioria e concordo.

    Parei faz tempo com super-heróis, que coisa o apelo que esses filmes tem e sempre a mesma história.

    ResponderExcluir
  6. Vc pode ter visto Birdman esse ano, mas ele é um filme de 2014. Para um crítico de cinema sua lista confunde o público.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu considero os filmes como sendo do ano em que os assisto. "Birdman" só estreou por aqui em janeiro, e eu fui ver logo no primeiro dia.

      E eu não sou crítico, sou blogueiro.

      Excluir
    2. Então como blogueiro de cinema, deveria ter colocado Birdman em 2014 junto com Boyhood que realmente era um filme melhor.

      Excluir
    3. Vou repetir ALTO e bem de-va-gar: eu só vi "Birdman" em 2015, quando estreou por aqui. "Boyhood", eu vi aimda em 2014. Anos diferentes, listas diferentes.

      E, mesmo se tivesse visto ambos no mesmo ano, "Birdman" estaria acima de "Boyhood". Este blog ainda é meu.

      Excluir
    4. kkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  7. agora o tony vai ter que esperar todos os filmes estrangeiros de 2015 estrearem no brasil pra poder fazer a lista dele? lembrando que a grande maioria dos filmes de 2015 cotados para o oscar só chegaram aqui em janeiro/fevereiro e o tony nunca baixa pela internet.

    ResponderExcluir