quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

MENSAGEM DE FIM DE ANO

Para fechar com chave de ouro, lá vai o vídeo desta semana do Põe na Roda. Com a participação de diversos amigos do canal, inclusive eu. Uma maneira de me redimir: este ano dei muito mais atenção aqui no blog à política geral do que à causa LGBT, mas foda-se. A luta continua. Feliz 2016 para todo mundo, amém.

41 comentários:

  1. Como diz uma sobrinha, "tá de parabéns!" hehe. Feliz 2016.

    ResponderExcluir
  2. A inocência deles e os vídeos a la humor e ativismo americano os tornam pessoas a se ter ternura pelo esforço.

    ResponderExcluir
  3. amei! vc viu esse https://www.youtube.com/watch?v=aZUUSCdHuC0

    ResponderExcluir
  4. Canalzinho ruim esse põe na roda. Não curto as gays midiaticas.

    ResponderExcluir
  5. Bem fraco. Tem YouTubers heteros muito mais interessantes. O fato de ser gay não me interessa. Tenho achado produtos direcionados para público gay cada vez mais chatos. Prefiro produtos generalistas. O põe na roda é um show de estereótipos gays muito antigos. Piada velha de gay. Admiro a boa vontade dos rapazes mas não dá. Pra piorar o produto é feito pra essa roda de gay de festa, de parada, de camarote, da praia gay, do point gay, do grupo what's gay, etc.. 80% dos gays não estão no dito " meio gay". E quem tá, está saindo pq tá muito queimado

    ResponderExcluir
  6. Querido Tony, adoro seu blog, leio todo dia, mas essa é a primeira vez que comento. Na verdade é um depoimento. Trabalho numa sala em num órgão público do interior do interior do país; pelo menos eu acho que sou uma pessoa que procura entender bem as pessoas e suas atitudes (procuro ler tudo sobre tudo), bem, voltando ao trabalho, eu tenho como companheiros de trabalhos pessoas acima do estrato médio do país, são praticamente todos com ensino superior completo com a maioria inclusive tendo pós-graduação e com rendimentos superiores aos R$ 5.000,00 (isso mesmo!) e, como a única mulher da sala sou a única voz contrária a todos sobre à liberdade de opção sexual como outras bandeiras das minorias em geral. As vezes eu acho que eles não podem estar falando sério, pq chega a ser ridículo e ofensivo as opiniões dos meus colegas de trabalho. E nessa salada indigesta encontramos um colega de trabalho que todos sabemos que é gay e que mostra-se um preconceituoso da pior espécie! Eu já travei discussões horrorosas com ele sobre o direito dos homossexuais e ele, mostrando-se o pior que o Bolsonaro em seu posicionamento. O pior é que quando ele não está na sala, os colegas ficam comentando onde ele anda perambulando na cidade atrás de garotinhos. Eu sei que não é nada fácil se assumir nessa sociedade em que vivemos. Mas a pessoa em questão é concursada, solteira, mora sozinha e dona do seu nariz, e no entanto endossa o coro dos colegas de trabalho se mostrando tão pior quanto eles e ridicularizando os que defendem a liberdade do ser humano.

    P.S. O Bolsonaro é mito (não é piada) e o Jean Willis é um ridículo (seria Cômico se não fosse trágico).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrogado pela audiência, Lilian!

      Olha, eu sempre digo que sou contra arrancar alguém do armário. Os únicos que merecem tal coisa são os gays homofóbicos, como parece ser o caso desse seu colega. Por outro lado, pelo que você conta, ele parece ter desenvolvido essa homofobia como forma de defesa. Por viver numa cidade pequena, rodeado por héteros intolerantes, etc. etc. Sei que dá vontade de expor o cara, mas acho que ninguém ganha nada com isso. E ele pode perder tudo.

      Excluir
    2. Ninguém é obrigado a gostar de si mesmo.

      Excluir
    3. Oi Lília. Vc diz que trabalha num órgão público. Pelo seu relato parece ser um órgão político talvez ( uma câmara de vereadores) por exemplo.
      Esse é o relato sobre a política de carreira brasileira. O político sem longo histórico de real atividade que entendemos política, é um câncer no Brasil.
      Deveriam ser identificados e colocados sob fórum popular.

      Excluir
    4. Eu gravaria o pessoal detonando a enrustida e mandaria pra ela por e-mail anônimo. Pra deixar de ser ridícula.

      Excluir
  7. O povo que lê esse blog ta precisando rever os remédios que tomam, pois vejam:
    O Anonimo (1 de janeiro de 2016 14:55) que criticou o "põe na roda" por fazer "piada velha de gay" e depois fala em sair do "meio gay", Anjo esse blog é do meio gay, o app de pegação que está no seu smartfone também é do "meio gay", aliás a expressão "meio gay" é uma das mais velhas que um gay, principalmente as veteranas usam.
    E a lilian deve ter dupla personalidade durante todo o texto defendeu os gays, parecia uma simpatizante e no P.S. ataca o Jean Willis (único gay assumido na Câmara) e elogia Bolsonazi...
    Procurem o Psiquiatra.

    ResponderExcluir
  8. O vídeo já ganhou meu "joinha", ficou lindo. Já joguei para viralizar no whats

    ResponderExcluir
  9. Vídeo brega, militância panaca, bichas decorativas, comentários equivocados. Mimimi da geração pau no cu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E você mimimizando do mesmo jeito. Ui!

      Excluir
  10. Surpreende-me o quão de gente desinformada e preconceituosa vem acessando o blog. Por isso que LGBT no Brasil vai continuar por décadas e mais décadas sendo tratado sem nenhuma dignidade. Afinal de contas os próprios LGBT's tratam a si mesmo dessa maneira. Bem nojento isso! Eca!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gay tem q estar sujeito a crítica como qualquer outro grupo. É muita palhaça querendo tomar o posto de representante das causas gays. Eu sou gay e não sou nada disso q apresentam aí. Aliás, uns 90% dos gays pelo Brasil não são assim. A maioria vida normal de qualquer brasileiro, trabalha, pega ônibus, paga suas contas, ajuda em casa...tem muito malandro tentando ganhar vantagens financeiras e políticas sobre gays oferecendo porcaria como a piada batida da bicha. Não são pessoas desinformadas e preconceituosas, são na verdade gente q não tá mais afim de ser comparado com os gays de boate.

      Excluir
    2. João Paulo. Vc é um bom exemplo. Um político de carreira que agora quer virar "herói" dos gays e conseguir uns votos a mais esse ano, não eh amigo? Continuo batendo na tecla da quantidade de gente q está chegando pra ajudar a causa por puro interesse político e financeiro. Agora q somos aceitos, todo mundo quer tomar o seu pedaço do bolo. Existem associações gays trabalhando na causa a décadas. Esses são nossos heróis. Fora aos oportunistas.

      Excluir
  11. O põe na roda parece ser voltado pra quem vai em boate gay, sauna, assiste show de drag e frequenta as paradas,algo que a maioria dos gays não faz e muitos até abominam.
    Quem sabe deviam de voltar também para os gays discretos, que trabalham, curtem a vida e fazem mais pela causa gay do que as estereotipadas, sim porque muitos gays afetadas nunca conseguem o respeito no trabalho e na família que os gays assumidos porém discretos conseguem. A visibilidade com respeito vem quando a gente não vive no estereótipo (seja a gay afetada, a bicha de boate, ou a doida por drags).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o Põe Na Roda não te atende, simplesmente não assista. É tão difícil?

      Excluir
  12. Anônimo (2 de janeiro de 2016 15:42) O problema dos gays discretos é que eles são tão discretos que ninguém percebe que eles existem (de fato esses são a maioria) mas são os afetados, afeminados, trans, drags, que fazem mais barulho e tem mais visibilidade e por isso mesmo são os primeiros a levar porrada, depois que os bolzonazi enchem de porrada essas gays "exageradas" eles vão para cima dos gays "discretos", "branquinhos", "limpinhos", "de bem" e de "família".
    Então anjo, se atualiza e ajuda as mana na luta ou fica na sua casa caçando nos apps, bem "discreto" enquanto alguém apanha por você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tirou as palavras da minha boca. Todo gay tem uma dívida eterna de gratidnao para com as drags, os militantes, as bichas loucas e todos os que deram a cara para bater (literalmente) para que todos nós pudéssemos ter uma vida mais verdadeira.

      Quer ser discreto? Seja, nem todo mundo nasceu para ser star. Mas não desrespeite o trabalho - sim, TRABALHO - daqueles que lutaram e morreram pra você pode se assumir para dois colegas do trabalho sem medo de levar porrada nem perder o emprego.

      Excluir
    2. Sinto uma certa e enorme contradição quando um anônimo ataca alguém que se diz discreto.
      E acho que não devíamos também sair endeusando um gay por sua visibilidade e, em alguns rarissimos casos, militância.
      Clodovil era assumido e, mesmo que não fosse um militante como a esquerda espera, foi sempre o gay que a dona de casa respeitava.
      Um erro que a dita militância cai é qualificar que visibilidade a interessa.
      Fazendo assim, ela faz o que diz combater, a discriminação.
      Não acho que os videos dessa turma aí sejam ruins porque eles são fervidos e afeminados.
      Se por um lado são vaidosos, autoindulgentes, em busca de serem celebridades, como qualquer youtubber hj em dia, por outro sabem que desse jeito alcançam as pessoas com maior eficiência.
      Infelizmente, a mancha que deixam é que usam do subtexto e argumento do ativismo gay para tentarem se tornar a versão gay do porta dos fundos, humoristas e ricos.

      Excluir
    3. O trabalho dos gays ditos exagerados já foi feito e agradecemos por eles. Estão nos registros da história da causa Lgbts e serão reconhecidos por uma vida inteira. Agora que venham os proximos e novas estratégias.

      Excluir
    4. Muitos desses gays exagerados como drags e proprietários de clubs, sauna, aplicativo, etc...querem mesmo é a grana. Não tem militância e projetos sustentáveis pra reduzir o preconceito. Num passado muito distante houve sim, muito gay ativista dando show pela causa e não pela grana como Grandes artistas intelectuais etc...agora não passam de profissionais da noite com relação mínima direta com redução do preconceito. Todo mundo garantindo seu aqué

      Excluir
    5. Afeminados, trans e drags não lutam pela causa gay e por causas próprias delas Tony. Esse nicho é minoria entre os gays e querem empurrar seu estetiotipo goela abaixo.

      Graças aos gay discretos aos poucos hoje está se conseguindo casamentos religiosos em algumas igrejas protestantes tradicionais nos EUA. Os primeiros casos de briga judicial no Brasil por seguridade social foi feito por Gay discretos. São diretores de empresas e gerentes discretos que estão tentando tiram as trans da prostituição oferecendo empregos à elas (enquanto alguns militantes querem regulamentar a prostituição e deixá-las nessa vida miserável). São os discretos que conseguem ser ouvidos e negociar com homofóbicos, já que os militantes muitas vezes só causam briga e confusão.
      Um casal de gàs discretos imprime mais respeito à sociedade que um monte de afetados fazendo escândalo.
      Enquanto isso as militantes só querem ver sarados de de sunga na parada.
      Eu mesmo como gay discreto já consegui inclusive evitar que adolescentes gays fossem expulsos de casa por ajudar o pais deles a entender que ser gay é diferente de ser uma bichinha de esteriotipos. Também evitei que gay fossem vítima de homofobia no trabalho e quando dei aula ajudei a combater a discriminação na escola mais do que afetados de boate e parada.
      Você mesmo sabe disso, talvez até melhor que os outros, afinal quantos amigos seus discretos não fazem mais pela causa que muitos que se dizem militantes? (eu conheço vários).
      Vamos parar de dizer que devemos alguma coisa pra exteriotipadas que fazem mais mal a causa do que bem.

      Excluir
    6. Então anônimo, temos que parar de confundir gays discretos com gays afeminados, o Clodovil por exemplo era afeminado porém discreto, assim como o Ney Matogrosso por exemplo.

      Excluir
  13. Anônimo de 1 de janeiro de 2016 19:38, eu defendo e sou simpatizante da causa LGBT e de todas as causas das minorias. o P.S. é o posicionamento dos meus colegas de trabalho.

    ResponderExcluir
  14. O mio babbino caro
    Ser gay para muitos ainda é viver num poço de neuroses. Esse vídeo do Põe na Roda revela os tantos que se salvaram daquilo que a dita sociedade desejaria para nos outros rs.

    ResponderExcluir
  15. O ponto é que ninguém está atacando o gay "discreto", "de bem", "de família como você diz, "Anônimo" (2 de janeiro de 2016 20:20), pois para ser atacado primeiro tem que "colocar a cara no sol" e como já foi falado aqui, o discreto por ser discreto ninguém percebe que existe, imagino que para você o ideal de representação são aqueles gays das novelas da Globo que são discretos e formam casais lindos que parecem duas geladeiras ("Paraíso Tropical" com Carlos Casagrande e Sergio Abreu) ou gays que no final "viram" héteros (Walcir Carrasco com "Caras & Bocas") ou seja já existe visibilidade para os discretos, por incrível que pareça.
    Sobre Clodovil além de ser ultra reacionário era o clichê do gay costureiro-venenoso algo muito fácil de engolir pois era uma caricatura, um personagem pronto que no final das contas prestava um grande desserviço.
    Esse tipo de visibilidade que o canal "Põe na Roda" traz é importante como referencia para vários gays do Brasil que antes só tinham a TV aberta do Brasil para buscar alguma referência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu como gay discreto faço mais pela causa que eles, te garanto.
      Tenho o respeito da minha família, vários familiares e colegas de trabalho deixaram de ser homofóbicos graças a convivência e amizade comigo, já evitei que gays fossem expulsos de casa conversando com os pais deles, consegui que religiosos fizessem amizade com uma trans, entre muitas outras coisas.
      Em tudo que eu fiz as esteriotipadas mas atrapalharam do que ajudaram, já que eu sempre tive que mostrar que ser gay não era ser aquilo.
      Procure a sua volta e vai ver que há muito mais discretos trabalhando pela causa e derrubando o preconceito ao seu redor do que afetados querendo falar sobre drags e gogoboys da parada gay.

      Excluir
    2. Diga-me do que te gabas, e eu te direi do que careces.

      Excluir
  16. Algumas considerações:

    1) O Põe na Roda jamais se posicionou como porta-voz único de todos os LGBT do Brasil. É só um canal a mais no YouTube, como tantos outros. Quem não se sentir "representado" por ele tem muitas outras opções, ou então que faça seu próprio canal.

    2) É ridículo ficar fazendo concurso entre discretos e fechativos. Não faz sentido discutir quem é mais útil para a causa gay. Temos que ser mais unidos e reconehcer o valor uns dos outros. Cada um luta sua própria batalha dentro da guerra comum que enfrentamos todos. Essas divisões só ajudam nossos inimigos.

    3) Feliz ano novo, de novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuo batendo na tecla q muitos gays denigrem eles mesmos pra ganhar dinheiro.

      Excluir
    2. Você vive em cima do muro nessa briga entre discretos e bichas de boate, não pode ficar nem de um lado nem do outro já que tem amigos dos dois lados, mesmo querendo a paz na comunidade gay seria um ato de coragem assumir um lado.

      Excluir
    3. Mas Tony, muitos afetados parecem atrapalhar os discretos na luta por respeito.

      Excluir
    4. No apartheid norte americano, onde dois grupos de negros lutavam pelos direitos civis, um deles liderado por Malcom X outro por Marthin Luther King, o primeiro queria acentuar diferenças e o segundo era um pastor que pregava a inclusão e igualdade (aliás a viúva dele hoje é defensora do casamento gay nas igrejas evangélicas).

      Os dois chegaram a inspirar o famosos personagens dos quadrinhos dos X-Men, Magneto e Professor Xavier.

      Hoje os gays discretos são como Marthin Luther King e as afeminadas lutam como o Malcom X, (asssim como Malcom atacava os racistas e inclusive os provocava, as afetadas tb fazem isso com os homofóbicos).


      Historicamente nós vemos qual dos dois movimentos teve mais sucesso na luta pela igualdade!

      Excluir
  17. Como eles são fracos!

    ResponderExcluir
  18. No humor não vale a intenção, mas a graça. E eles não tem nenhuma. Entendo esse auê que vc faz em cima, pq são seus amigos. Feliz Ano Novo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas quem disse que é humor?

      Excluir
  19. Existem outros canais do youtube como: https://www.youtube.com/channel/UCy9MJrJW8MFTxLC5mv-x6Qw que dá dicas exatamente como esse "anônimo discreto" acredita que seja o correto, então porque em vez de criticar o canal põe na roda, não segue e divulga esse canal ou tantos outros que se acha na net.

    Vejo que quanto mais exposto (independente de onde), o tema homossexualidade pode ser tratado sem tantos medos, de forma natural pela sociedade.

    ResponderExcluir