segunda-feira, 2 de novembro de 2015

SULTAN ERDOGAN

Em 2013, pouco antes dos brasileiros fazerem o mesmo, os turcos foram às ruas protestar contra o governo. Quer dizer, "os turcos", não: agora está claro que foi só uma parcela da população. Porque o principal alvo das manifestações, o ex-primeiro-ministro e atual presidente Recep Tayip Erdogan, acaba de ganhar de lavada uma eleição que lhe dará ainda mais poderes. E isto depois de ter conseguido apenas 40% num pleito em junho, o que fez com que seu partido perdesse a maioria absoluta no parlamento. Erdogan foi maquiavélico: recusou-se a formar um governo de coalizão - o que, no parlamentarismo, leva à convocação de novas eleições. E aí foi chuchar os curdos com vara curta, para reavivar o medo que muitos turcos sentem dessa perseguida minoria étnica. A tática deu certo, e a Turquia - que fora dos grandes centros ainda é um país pobre e atrasado - mostrou que quer um chefão autoritário, que manda prender e manda soltar. Em outras palavras, um sultão. Erdogan já tirou do ar dois canais de TV na semana passada, construiu um palácio suntuoso para si mesmo e promete aprontar muito mais. É para desanimar qualquer um: tanto lá como cá, as manifestações de 2013 só serviram para consolidar quem já estava no poder.

4 comentários:

  1. Por que turcos e curdos se odeiam tanto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque os turcos não deixam os curdos serem independentes (eles formam 18% da população da Turquia).

      O Curdistão é o maior país inexistente do mundo. Seu território está dividido entre Irã, Iraque, Síria e Turquia (e agora boa parte dele está sob o Estado Islâmico). Os curdos são parentes dos persas, têm língua própria e professam o islamismo sunita. E querem ser independentes, coisa que nenhum de seus quatro dominadores concorda.

      Excluir
    2. E, no entanto, são os que estão conseguindo conter o avanço do EI em algumas partes, vide aquele documentário que a Globonews fez mostrando aqueles malucos que visitam lugares perigosos e foram até o curdistão no Iraque, muito bom por sinal o doc. Louco que estão combatendo o EI sem ajuda de ninguém.

      Excluir
    3. Aliás, vendo o doc aprendi sobre os yazidis, que o EI trucidou pode onde passou.

      Excluir