sexta-feira, 20 de novembro de 2015

A RAINHA DA SOFRÊNCIA

Pela primeira vez, Adele nos encara de frente da capa de um de seus discos. Mas sua música não ficou mais confessional: ao contrário, são tantos os produtores e os co-autores que eu tenho cá comigo que ela agora só finge ser Adele. Aquela Adele desprezada, traumatizada, sem chance no amor, que seduziu o mundo inteiro há alguns anos, não existe mais. A verdadeira Adele se esconde atrás da máscara: é uma mulher realizada, feliz no amor, com um filho pequeno e quaquilionária. Só que, se ela começar a cantar sobre as vantagens de sua vida privilegiada, vai cair no mesmo erro de Madonna, que parou de vender quando passou a focar em sua própria fabulosidade. Adele precisa sofrer, ou dar a impressão de que está sofrendo muito. E isto "25" dá: apesar da cantora dizer que é um álbum de reconciliação. Nem todas as faixas são de dor-de-cotovelo, mas nenhuma é exatamente alegre. E nenhuma é tão boa quanto os hits de "21", nem mesmo "Hello" - cujo vídeo eu nem postei porque até os marcianos já viram. Se bem que daqui a alguns meses elas vão estar incrustradas nos nossos cérebros, porque a expectativa é que "25" venda zilhões e se torne a trilha sonora oficial do planeta Terra. Os empresários de Adele estão dando uma forcinha para que essa vendagem atinja a estrastofera: o álbum não está disponível no Spotify, no Apple Music nem em nenhum serviço de streaming. Beyoncé e Taylor Swift fizeram o mesmo ao lançar seus trabalhos maios recentes, e deu certo para elas. Mas Adele não contava com minha astúcia: sim, vou comprar o CD físico, mas já dei um jeito de ouvir "25". Ouça você também. Não tem nada de inovador, mas é incontornável.

14 comentários:

  1. adele vai vender um BEYONCÉ na primeira semana

    ResponderExcluir
  2. Alguém vende zilhões? Desconfio muito que superestimam esses números pra passar que são fodões e aí sim vender muito ingresso pra show.

    ResponderExcluir
  3. Acho que sou a única pessoa no planeta que não foi tocada por "21". Eu até achei Rolling in the Deep uma faixa interessante, mas nada além disso. As demais, que tocaram à exaustão nas novelas da Globo, não traziam nada de inovador (e talvez até por isso tenham feito um enorme sucesso).

    Contrariando minhas expectativas, gostei de Hello, que considero uma autêntica música pop (mais do que qualquer uma do 21). Sua introdução me parece que foi feita sob medida para aquele comercial de lançamento em que não aparecia o rosto de Adele. Ainda não ouvi o restante do disco, mas confesso que estou curioso.

    ResponderExcluir
  4. Hello tá na minha playlist do Spotify....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Hello" foi liberado nos serviços de streaming no mesmo dia em que saiu. O resto do disco, não. "25" está disponível na iTunes Store, por exemplo, mas não no Apple Music.

      Excluir
  5. E é uma cantora que tem uma cara normal, né? Não é como as outras que sobem no palco ou aparecem nos clipes com cara de cadela no cio ou cara de quem acabou de cheirar 50 quilos de cocaína.

    ResponderExcluir
  6. Enquanto isso, o Bowie acabou de lançar o clipe do single do álbum que sai no seu aniversário ano que vem. Blackstar tem mais de 10 minutos (!!!!) e não é para qualquer ouvido. É música do tempo que a gente tinha que esperar mais de 2 minutos pelo gancho.

    ResponderExcluir
  7. Comunista, prof da Ufrj, pregando assassinato.
    Comunista muito bem assalariado pelo Estado e pregando contra democracia.
    É essa a esquerda que assistimos gays defendendo.

    ResponderExcluir
  8. E essas cantoras pop, que mais parecem meninas de bordel de novelas ambientadas no nordeste, só funcionam enquanto são meninas. Depois o público troca por outra mais nova.

    ResponderExcluir
  9. Gostei do que ouvi do 25 até agora. Talvez ela esteja exaurindo sua própria fórmula como vc disse e tenha que se reinventar depois desse álbum, mas isso é assunto pra falar depois que saírem os números desse álbum. E depois tem sempre Las Vegas pras cantoras que se fossilizaram no tempo, não é mesmo? Que digam Celine, Britney, J Lo, etc.

    ResponderExcluir
  10. Aqui anonimamente posso confessar que não sinto nada por essa senhora. Muito pelo contrário, acho a voz irritante, melodias ruins, acho bem nível the voice. Mas não posso falar isso pras gays senão seria excluído socialmente eternamente.

    ResponderExcluir
  11. Pra quem quer saber quem é Jean Wyllys, sugiro esse video (e o post de quem publicou) em que ele decide que religião negros devem ter e que não devem ter.
    Não sei como alguém tem coragem de apoiar e defendê-lo.

    https://www.facebook.com/paulo.cruz.982/videos/1064890033550572/?pnref=story

    ResponderExcluir
  12. 'Hello' é um hit sertanejo em inglês.

    ResponderExcluir
  13. 2,5 milhões de vendas em uma semana. Essa mulher é um ET!

    ResponderExcluir