quinta-feira, 29 de outubro de 2015

PITECANTROPOS MODERNOS

Não sei o que é mais assustador: se os abusos sexuais na infância que muitas mulheres andam relatando na internet de uns dias para cá, ou as reações escrotinhas de alguns panacas. Tudo começou quando um imbecil (anônimo, evidentemente) manifestou no Twitter seu interesse por uma concorrente do "Master Chef Junior" de apenas nove anos. O escândalo fez com que o instituto Think Olga encorajasse a mulherada a contar quando foram abordadas sexualmente pela primeira vez, e as respostas são estarrecedoras. Juro que, como homem, eu nem desconfiava que a idade média do primeiro assédio era 9,7 anos - ou seja, com meninas impúberes. A prática é tão disseminada que parece universal. Pelo jeito, nenhuma brasileira escapou de ser molestada quando ainda sequer tinha consciência do que estava acontecendo. E aí vem o lado (mais) negro da história: vários homens (o Roger do Ultraje a Rigor entre eles) acharam que seria engraçadíssimo avacalhar com o movimento, sem se dar conta de que estão passando atestado de pitecantropos. Que tempos curiosos são esses, em que as redes sociais levantaram a tampa da latrina que é a cabeça desses caras. O mundo é ainda pior do que se pensava.

38 comentários:

  1. Foi a primeira coisa que eu pensei: um monte de velho babão se excitando com os relatos. Uma versão Lolita do contos do UOL fornecida em primeira pessoa.

    Lembrei de uma professora de redação que eu tive na 8ª série qie contou que levou uma coça do pai aos 9 anos porque saiu pra brincar na rua só de camisola e como ela ficava em casa. Pra ela, não tinha nenhuma maldade naquilo. Pro pai, ela estava se expondo. Deve ter sido aí que ela aprendeu o que tinha que deixar de ser criança pra virar mulher.

    ResponderExcluir
  2. Lamentável simplesmente. E não foi só pedofilia e misoginia nesse caso do MasterChef. Teve homofobia contra um garoto (o Hythalo) que o povo achou que ele tinha trejeitos. Tá difícil acreditar na humanidade.

    ResponderExcluir
  3. Nossa eu deio tanto esse roger por varios otros motivos, misericordia jesus tira esse odio q eu sinto dessa criatura dos infernos de dentro do meu coracao pai eterno, que cara nojento asqueroso repugnante, odio alem de ser um idiota a musica dele tb é uma merda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caso precise de mais um motivo: ele saiu na G Magazine séculos atrás. Pauzinho minúsculo.

      Excluir
  4. Acho que vc não sacou o grande valor do que está acontecendo. O mundo não é pior, essas coisas são daquelas que sabemos que existem, mas não falamos a respeito e fingimos que está tudo bem. A internet 2,0, que inventou a interação, está conseguindo trazer à luz. É preciso que essas coisas venham à tona para que sejam combatidas, pois só assim se derruba a clássica negação que cercam as atitudes mais desumanas.

    Vivemos num mundo idealizado em que nós nem ninguém que conhecemos é capaz de fazer algo errado, sempre é alguém que não conhecemos e que passamos a odiar com todas as forças. Esse tipo de questão nos faz lembrar que, sim, são as pessoas em volta de nós que fazem coisas assim.

    E mais do que apontar os covardes que praticam e os que apoiam, mais até do que puni-los, envergonhá-los publicamente ajuda a tentar criar uma nova mentalidade entre os jovens, mostrando que o respeito ao outro pode ser uma grande conquista da democracia.

    ResponderExcluir
  5. Essa é a direita brasileira. Enquanto os americanos e ingleses se baseiam em princípios, que muitas vezes são reconhecidos, em tese, pela esquerda (igualdade, por exemplo), aqui na Banânia ser de direita é negar a existência de racismo, de homofobia, de machismo.

    Infelizmente, até mesmo entre comentaristas gays do blog isso ficou nítido. Gays criados no play e na sauna, suponho eu, porque mesmo sendo "discreto" (odeio esse termo) já sofri com discriminação por aí. Enfim...

    Roger é o bom exemplo dessa direita acéfala.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa pra quem tem so 26 anos vc parece um velho falando. Receba como elogio ta? C é de humanas ne?

      Excluir
    2. Discordo um pouco nisso de querer sempre politizar essas posições, no sentido de encontrar viés se direita ou de esquerda num discurso. Acho que simplifica e reduz demais um debate maior. Coloca um unico inimigo, o cara de direita. Nesse sentido, o PT e alguns partidos como Psol vem pisando na bola ao tentar criar esse estigma e generalização. Infelizmente, acaba convencendo até mesmo jovens esclarecidos que se tornam mais magoados e raivosos do que debatedores dos grandes temas de interesse do país. E, sim, é aa cultura vitimismo.

      Excluir
  6. quanto mais eu conheço o cerumano, mais eu gosto do meu cachorro
    Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Cerumano""? O que é isso?

      Excluir
    2. É zueira, meu. Cade o senso de humor (triste ter que explicar isso a alguém lokkkko para corrigir). Essas normalistas não se emendam.

      Excluir
  7. É, tem q criminalizar a missoginia

    ResponderExcluir
  8. criminalização misoginia homofobia, é o ego frágil dos homens...

    ResponderExcluir
  9. Uma curiosidade. Difícil ouvir relatos assim, mas na minha família tem dois casos de abuso sexual praticado por mulheres em meninos (com idade entre 6 e 8 anos). Uma das vítimas sou eu, outro um primo. Por coincidência ou não ambos somos gays.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc está insinuando que é viado porque foi abusado? E os viados que são viados mas não foram abusados? E os que foram abusados mas não são viados? Pois então, melhor parar com esse discurso de "coincidência ou não somos gays".

      Excluir
    2. Defina coincidências, então continuaremos a a conversa.

      Excluir
    3. Ele nao insinuou nada. Todos defendendo as mulheres abusadas mas vem um homem gay dizer que foi abusado e tacam pedra nele pq ele insinuou que é gay por ter sido abusado (o que aliás ele não insinuou, só está relatando). Eu não tenho tesão por meninos de 9 ou 10 anos, mas tem uns de 15 pra cima que me excitam sim, sou pedófilo será? Já li várias coisas dizendo que não sou, pq me excito por jovens pós-puberes e que sou efebofilo, mas a mídia diria que sou pedófilo e vcs acham que sou pedofilo?

      Excluir
    4. Anon 18:15, se vc acha o que escreveram acima "tacar pedra" então vc tem pele de seda, convenhamos. E sobre vc ser pedófilo, claramente pelo que vc fala vc tem auto-controle para não pegar os menininhos de 15, então vc não é pedófilo. Não têm problema achar um garoto novinho bonito. O que não se deve é contar aos quatro ventos que ele é gostosinho e constrangê-lo. Basicamente, não seja um Roger.

      Excluir
    5. Pela lei, não é, se houver consentimento, como em qualquer relação com adultos.

      Excluir
  10. O mio babbino caro
    Como dizia o sábio Professor; Racistas, Homofóbicos, Machistas etc, façamos esses gatos mostrar suas unhas.

    ResponderExcluir
  11. Mas sabe que o próprio Masterchef Junior me ajuda a restaurar a esperança na humanidade? As crianças do programa são articuladas, ajudam umas às outras, são educadas com os adultos... são uma graça! claro que ali todos foram super selecionados e, principalmente, tiveram acesso a educação de qualidade. Nem de perto a grande maioria das crianças brasileiras atualmente estão tendo uma boa educação. Mesmo assim, quem sabe se essa geração não produzirá adultos melhores de caráter do que os que a gente vê hoje?

    ResponderExcluir
  12. Pedofilia é um transtorno psiquiátrico em que um adulto ou adolescente mais velho sente uma atração sexual primária ou exclusiva por crianças pré-púberes, geralmente abaixo dos 11 anos de idade.Tal como um diagnóstico médico, critérios específicos para o transtorno classificam a pré-puberdade até os 13 anos. Uma pessoa que é diagnosticada com pedofilia deve ter ao menos 16 anos de idade, mas adolescentes devem ser ser pelo menos cinco anos mais velhos que a criança pré-púbere para que a atração possa ser diagnosticada como pedofilia.
    Fora essas regras a Pedofilia não é caracterizada. Quem gosta de adolescentes tem Efebofilia.

    ResponderExcluir
  13. Sabem por que v6 se chocam? Por que v6 caíram naquela conversa dos estudiosos ateus de que estamos evoluindo para um mundo feliz de desenho animado, mas qualquer com sabedoria percebe que a cada geração estamos mais sem amor, um mundo mais decadente, e decadência moral se expandindo rapidamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc deve ser uma pessoa tão divertida

      Excluir
    2. Enxergo o mundo e as pessoas como são. Não fico sentado esperando um mundo mágico.

      Excluir
    3. Eu me choco porque não sou conservador. O seu discurso é. Pelo seu discurso, melhor não lutar por novos direitos...deixa como está.

      Excluir
  14. Que tédio o mimimi bichice todo por causa do Roger. Todos meus amigos e eu perdemos virgindade com empregadas domésticas, não necessariamente as nossas, mas dos vizinhos e etc.
    Eu tinha 14 anos e uma que trabalhava no apartamento em frente pela janela me chamou para ir lá comer ela, eu fui e pronto, ninguém ficou traumatizado, não teve elite do mal X trabalhador oprimido, não teve nada além de tesão de adolescente que comeria qualquer mulher que desse mole.
    Qualquer drama em torno disso seria apenas vitimização que alguns adoram estimular porque vivem às custas do drama alheio, nem que seja inventado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se no seu caso não teve, em muitos outros teve abuso.

      Acorda, cara. Pensa em quantas mulheres são encoxadas no metrô.

      Assim como não houve 100% de abusos, tb no houve 100% de relações consensuais.

      Vitimização é palavra de quem não sofre preconceito e é incapaz de se colocar no lugar de outra pessoa.

      Na boa, não fode.

      Excluir
  15. Anônimo 9:42,

    Arrasou, miga! ;-)

    Meu relato:

    Eu fui assediado quando tinha 10 anos.

    Quem foi?

    Um rapazinho que trabalhava em um mercado perto de casa.

    Como foi?

    Foi óóótimo!

    :-)

    PS: essa generalização, típica de gente que quer falar em nome dos outros, não passará! Abaixo a vitimização!!! \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí a saída é generalizar e falar que não tem racismo, abuso sexual, etc?

      Como você contribui para a diminuição da violência afirmando que as pessoas estão exagerando?

      Não estou falando de mim, mas aí que está: compaixão é se colocar no lugar do outro. Tem gente que não consegue.

      The Fool: bicha empresária paulistana, com mais de 45, branca e que nunca levou lampadada na rua. Sim ou com certeza?

      Excluir
    2. Polícia Ideológica30 de outubro de 2015 16:29

      BINGO!

      Tenho uma lista aqui de frases que espero o De Fu escrever num futuro próximo. Chamo a lista de "Pérolas Defoolianas"

      Já dei um check no item "relativizar abuso sexual".

      Agora estou a espera da confirmação próxima dessas três:

      -Alegar que o aquecimento global é mentira e não passa de um boato orquestrado pelos marxistas para impedir o avanço das economias ocidentais e abrir alas para o domínio chinês sobre o mundo.

      -Dizer que os refugiados sírios que fugiram para a Europa para salvar a própria vida fazem parte de um plano maligno do Islã para facilitar futuros ataques terroristas e destruir o velho continente por dentro.

      -Dizer que o racismo é justificável em certos casos (esse acho muito improvável, mas o De Fu sempre surpreende! Por isso mantenho na lista)

      Um beijo, De Fu! Seus comentários são engraçadíssimos depois que passa o choque de se pensar que alguém possa ter tão pouca empatia.

      Excluir

    3. Anônimo 15:40,

      Por favor, destaque o trecho no qual falei que não existe racismo, ou abuso sexual! O seu problema é querer ler o que não está escrito.

      Racismo, abuso, ou mesmo homofobia existem, mas só são verificáveis caso a caso. Não há homofobia "contra os gays", mas homofobia contra o gay - específico - que foi vítima, por exemplo, de uma lampadada.

      Eu, particularmente, nunca fui vítima de nada. Inclusive, sou muito grato ao mocinho (de 16, ou 17 anos, à época) que me convidou para conhecer o depósito do mercado. Na ocasião, eu o acompanhei radiante até um vão entre dois fardos de arroz Tio João. Como eu já disse, foi ótimo! ¬¬

      Esse discurso torto que quer tratar machismo, homofobia e racismo no coletivo é mero resultado da degeneração do pensamento. O intuito é generalizar o pontual e impor um mesmo discurso enviesado a todos.

      Sabe por que insistem tanto nisso? Porque quando tentam quantificar o número de vítimas chegam, como no caso da homofobia, a pouco mais de trezentos. Isso incluindo até os casos de mortes passionais e disputas torpes. O objetivo é desviar o foco de um país que, governado pela esquerda, mata quase sessenta mil todos os anos. Sem contar os quase cinquenta mil de "desaparecidos". Não fica difícil supor que boa parte é também assassinada, mas tem seu cadáver ocultado. Nem na maioria das áreas de conflito do Oriente Médio há tanto sangue, Mon Amour.

      * * *

      A militância tenta desviar o assunto inflando números, sim! A razão é simples: não assumem que sua ideologia - há pelo menos traze anos no poder - mata como nunca antes neste país.

      * * *

      Violência é algo que se combate no intransitivo e de posse da totalidade do quadro, amiguinho!

      Excluir
    4. Qual é a sua proposta, The Fool? Que tudo fique como está, sem poder sair de mãos dadas na rua, e tal? Just curious, thanks.

      Excluir
  16. Seu Puliça,

    Sua matriz ideológica só é capaz de argumentar na chave da falácia do espantalho, colocando palavras no teclado do outro para tentar incluí-lo em um de seus chavões mentais.

    O problema é que esse truque tem funcionado cada vez menos. Todos os dias, vocês perdem a olhos vistos a simpatia dos jovens, das mulheres, dos trabalhadores, dos pobres, dos ricos e de quem mais pare por um momento sequer para perceber que um mais um dá dois.

    Enfim, não faço questão de estabelecer qualquer empatia com os tipos da sua trupe. A bem da verdade, neste caso, quanto mais antipático melhor. Quem concorda comigo está aí nas ruas, nas escolas, nas boates e onde mais você possa imaginar.

    O discurso generalizador e desconexo de vocês não irá até a página cinco. Confio que a razão prevalecerá.

    Um beijo nesse seu coturno de polícia vermelha!
    TF
    :-)

    ResponderExcluir
  17. Policia Ideológica30 de outubro de 2015 18:46

    Esperando o dia que o De Fu vai dizer que, nos moldes da argumentação dele acima, não existiu escravidão no Brasil, apenas instâncias de trabalho forçado de pessoas que por acaso foram trazidas a força da África. Dessa forma, a escravidão não foi um modo de produção do Brasil colonia, e dizer que ela existiu é delirio de comunista. Apenas se pode ver cada caso de trabalho forçado independentemente

    ResponderExcluir
  18. O que eu AMO é que nosso comentarista revoltado, co-estrela do blog do alto dos seus 26 aninhos, se sente praticamente o Obama, minoria, vitima de preconceito, liberal de centro direita na economia, liberal de centro esquerda nas causas sociais, super viajado, trilíngue, formação lacrável que deixa azinimiga arrasada, vida linda, come e bebe do bom e do melhor, defensor dos oprimidos, mora bem, conforto top, amigos lindos, cartão sem limite, transita em Copa e em Copenhagem com a mesma desenvoltura, e diz que também transitaria assim em Bangu se por lá um dia precisasse muito ir. Pensando bem, está mais pra Jean Wyllys wannabe. Mas como tem cara de rico, é identificado com a galera do PSDB, nem na Lapa consegue se disfarçar de new pobre. Que vida difícil, amiga. Segura aqui, tamo junto nessa, te vejo do freeshop, beijo.

    ResponderExcluir