quarta-feira, 9 de setembro de 2015

A POLÍCIA DOS COSTUMES

Olha, tô pra ver classe mais desunida que a bicharada brasileira. Impressionante nossa capacidade para a auto-sabotagem. Quem precisa da bancada evangélica quando existem agentes da jihad infiltrados entre nós? Como o sujeito que foi à festa dos onze anos da The Week, em São Paulo, no sábado passado. Ao invés de bailar ao som de Offer Nissim ou simplesmente paquerar, o cara se deu ao trabalho de sair gravando casais se pegando dentro dos banheiros ou mesmo na pista de dança. Depois, é claro, compartilhou as imagens por WhatsApp, e elas imediatamente viralizaram. Isso é o mais triste: nos fazemos de chocados, "ó, meus sais", e fazemos questão de expor à execração pública quem não anda na linha. Sim, porque somos quase todos uns santos. Piores que a polícia religiosa da Arábia Saudita, aquela que zela pelos bons costumes com espadas na mão. E já vou avisando: não adianta me mandar comentários com links para esses vídeos, porque eu não vou publicar. Ainda não me filiei ao Estado Islâmico.

93 comentários:

  1. A pessoa que gravou pode ser invejosa por nao estar no bem bom, mas eu não julgo quem estava, mas agradeço quem gravou pq vou bate uma vendo sacanagem rs. Nossa o povo é hipócrita mesmo, vídeos amadores gays e heteros nos comentários é só julgamento, mas afinal o que pessoas de "bem" fazem nesses sites?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho um tesao alucinante por videos caseiros

      Excluir
    2. exatamente; quem gravou só pode ser feia e recalcada, dessas que ficam a noite toda penando e não pegam ninguém.

      Excluir
  2. Será que foi a De Fu quem filmou? Com certeza esses casais não se dão o respeito se pegando em banheiros de boate e pista de dança, e ela como juíza e ombudsman mor deste país, os julgou e condenou a serem execrados em praça publica.

    ResponderExcluir
  3. Olha, eu acho até bom isso, porque gera um efeito pedagógico. As pessoas estão perdendo a noção do ridículo. Já vi um cara chupando outro em plena pista de dança e não sou obrigado a ver isso, concordam? Quem sabe assim esses caras não aprendem a ser mais discretos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. realmente não é obrigado a ver coisa nenhuma; basta fechar os olhos, olhar em outra direção ou simplesmente viver a sua vida. E não, eu não faria sexo na pista de dança, mas também não vou morrer porque um casal passou dos limites.

      Excluir
    2. Curiosamente, cá deste lado do atlântico as grandes discotecas e bares de crusing e de sexo já mudaram o ambiente de cabines fechadas para grande espaços abertos com bancos corridos ou plataformas (ha um que tem um ringue de boxe - era um antigo ginasio de bairro) onde todos se vêm, os que conseguem engtar e os que não conseguem

      Excluir
  4. chocado? fiquei é c inveja rsrs

    ResponderExcluir
  5. Não me importo com a sacanagem e pegação seja lá onde for. O ponto aqui é outro. A The Week sempre usou a diferenciação como estratégia para atração de clientes. Primeiro era o cartão black que classificava clientes como VIP ou não. Posso dizer que 95% dos VIPs eram apenas pessoas comuns, trabalhadores, brancos e de gosto duvidoso (estereótipo gay dos anos 90). Muitos gays iludidos pela magia do q não podem ter, batem cartão no clube por anos pra conseguir o seu passe black.
    O vídeo que hoje circula na rede é resultado do estímulo a inveja que clube proporciona. O autor do vídeo está mostrando que o que ele não pode ter seria "sujo" e usa a rede como forma de descaso pelo q não tem. Como faz alguns anos o cartão black virou perdeu o glamour e virou até mesmo um mico na rodinha de conversa das bonitas, a casa partiu para os meninos AA, a mesma estratégia de diferenciação usando os ex-blacks que hoje não poem os pés na The Week ou raramente a frequentam.
    Durante o feriado, enquanto uma turma de cafonas deixavam-se gravar no clube, uma outra turma jeca AA participava de uma festinha privada promovida pelo site do proprietário da casa. Se vc não foi convidado, saiba que vc é um gay diferenciado. Vc não faz parte do novo "camarote". O ponto é q em SP, todo mundo é menino AA e em breve uma legião deles, de qualquer origem (como alguns hoje) , será vista pela cidade usando as mesmas marcas, o mesmo cabelo, a mesma tatuagem. Todos vendo-se e revendo-se ininterruptamente sem enjoar...
    Tony, não acho que gays brasileiros sejam desunidos. Esse universo de clube representa menos de 1% dos gays do Brasil. Os verdadeiros gays formadores de opnião, realmente ricos, grandes empresários, executivos, grandes artistas e intelectuais não se encontram nesse pequeno "meio de clube e site gay" pq é claro que essa estratégia e comportamento éultrapassado e decadente. Não condiz mais com um mundo que tende a democratização e ostentação da inteligência. É preciso uma crítica que vá além da acusação de "recalque" e analise o contexto social desse vídeo. Já é a milésima vez que vídeos do clube viram polêmica na rede. Como gay, eu gostaria de não ter a minha sexualidade constantemente associada a drogas, overdose, sexo explícito, superficialidades, comédia e piada. Em tempos conservadorismo para tratar assuntos muito importantes para gays, os empresários que prestam serviço a esse pequeno público gay sem importância mas que causa sempre muito alarde e barulho, poderiam contribuir mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Post imbecil e fora de propósito.

      Você não sabe se a pessoa filmada no banheiro e exposta era black ou vip. E, ainda que fosse, isso não tornaria merecedora do esculacho que está sofrendo. O problema tem a ver com a perversidade de alguém que filma e devassa a intimidade do outro e a expõe como humilhação o ato sexual, que é algo natural a todo mundo. Não há nisso essa tua baboseira de "contexto social do vídeo" - o que há é um problema moral (individual) de quem filmou e de quem o passa pra frente por whatsapp.

      Agora, já que tocou no assunto da The Week, amigão, lamento: tu é um puta dum cara invejoso e recalcado, que se sente excluído por não pertencer ao universo dos amigos dos donos da casa, para folgar dos convescotes VIP que eles proporcionam aos outros. Tua inveja está em cada entrelinha de teu texto, escorrendo feito porra em porta de banheiro de escola de adolescente.

      A The Week é uma empresa. Um negócio privado. Portanto, vende um serviço. Nessa venda, se utiliza de meios lícitos de publicidade e merchandising, como qualquer outra empresa. Essa publicidade é direcionado a um público consumidor e empresas tem todo o direito de direcionar qual o seu público alvo e ofertar-lhe as vantagens que bem quiser.

      A The Week não é uma repartição pública, para ter o dever de tratar a todos com igualdade - isonomia só existe dentro de um contexto público, não nos de negócios privados. Nesse ponto, ela tem a mesma dinâmica de um clube, que pode ter sócios de categorias diferenciadas - no caso, consumidores diferenciados. O que ela faz é absolutamente lícito e sua crítica é apenas um exercício de frustração.

      E para piorar, tu é bem ruim de lógica, pois mistura alhos com bugalhos: a discussão é sobre moralismo no meio gay (um meio que tem tudo para NÃO ser moralista, mas sim tolerante) e você lança uma discussão sobre "ai, a The Week faz festas VIP, dá cartão black, meu Deus, onde já se viu isso, ela estimula o consumismo entre os gays, esses anjinhos de natureza socialista e solidária".

      Vai se foder.

      Excluir
    2. Não vou me foder não caro anônimo.
      A pessoa filmada no banheiro é merecedora de ter sua imagem protegida pela casa seja lá qual tenha sido o seu ato.
      O proprietário tem todo direito legal de discriminar os clientes em pobres e ricos ou importantes ou não. Se eu acho isso certo? Não! E não sou socialista...
      Claro que existe um contexto social quando tratamos de um fenômeno de bulling virtual dentro de um grupo de minoria, não? Se ocorre sexo explicito constantemente na casa inclusive dentro de uma area com mato e arbustos para tal prática, de quem é a responsabilidade de proteger a imagem deste cliente? Do Whats App não é....
      O clube, como qualquer empresa moderna, tem responsabilidade social, estou errado? Dentro de um contexto de diferenciar seu publico, o q esse clube faz pela sua comunidade se o q vemos sao exemplos de exclusão?
      Infelizmente, o senhor, para justificar o seu comportamento de vipinho AA "camaroteiro", me acusa de invejoso. Habituou-se nesse pais a chamar de recalcado qualquer pessoa q critica um comportamento patético de uma meia dúzia de palhaços que prejudicam toda uma comunidade. Esses caras estereotipados fazendo cagada toda semana só atrasa a vida de 99% de gays que não participam desse show velho e ridículo.
      Não preciso das migalhas que o proprietarios da casa te oferecem...até pq nunca vi champagne sendo oferecido para vcs blacks...que vip é vc meu querido? Onde eu sou vip me oferecem bebida e viagem bancados.
      Evolui cara. Tente elevar teu passe vip pra um outro nível que não seja o de black classe média tentando tirar onda com bixa pobre. Tire onda com ricos e gente importante de verdade....

      Excluir
    3. Isso é verdade. Tirar onda com bixa pobre é fácil. Quero ver tirar onda de vip com ricos de verdade. Esses cartões e gays AA são uma mentira. E a quantidade de telefones roubados...praticamente todos os meus amigos já foram assaltados dentro do clube.

      Excluir
  6. Eu sou cartão black mas não fui convidado pra festinha privada do site AA. Que clube é esse que agora tá discriminando a seu próprio público VIP? Quem é VIP no clube tb tem que ser VIP do site. Acho bom chegar logo o meu cartão universo AA. Faz sentido, não?

    ResponderExcluir
  7. Eu li no twitter muitos, mas muitos gays falando horrores dos videos, dizendo que os caras não se dão ao respeito (?), e logo depois diziam que já tinham trepado nos banheiros da TW e outros locais públicos.
    Pior do que a hipocrisia, é viver nesse constante espírito de odiar uns aos outros, odiando na verdade o espelho.

    ResponderExcluir
  8. Quem é flagrado filmando ou fotografando balada aqui é expulso na hora e é blacklisted de tudo que é balada por um ano, no mínimo.

    ResponderExcluir
  9. Ué não temos uma assim aqui nos comentários entre nós? Uma Fool que fica cagando regras que, diz, deveriam ser condições para que possamos ser tratadas com o mesmo respeito e dignidade que os héteros?

    ResponderExcluir
  10. Esse grupo não representa a população gay. A grande maioria não quer a imagem associada com esse clube. Eu concordo que gays importantes não passam nem na porta da TW. É o mesmo que achar que o Harry Louis representa o homossexual brasileiro. A tendência é de marcas dissociarem a imagem do público gay, não por preconceito, mas pq o gay está integrado ao público geral. Ninguém quer ser visto mais como "o gay".

    ResponderExcluir
  11. No meu tempo de The Week as mais ousadas dedavam o outro no fundo da pista ou no máximo colocavam pegavam no pau por dentro da calça. Agora elas fazem sexo no meio da pista? Estou chocado e preciso voltar urgentemente a frequentar esse lugar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, no seu tempo a TW tinha dark room. Para de ser falsa moralista.

      Excluir
  12. Reparem que problemas ligados a imagem dos gays vem sempre ou da bancada evangélica ou da The Week. Não acredito que as críticas ao clube sejam causadas por inveja. Realmente uma minoria que frequenta o clube provoca muita polêmica e confusão. Esse clube e site AA deveriam ter a imagem desconectada dos gays pq o que vejo ali não tem nada haver com gays que vejo no dia dia.

    ResponderExcluir
  13. Nunca vi VIP e gente AA frequentar local onde as pessoas fazem sexo na pista de dança. Tb não sabia que vendedor de loja era parte de publico de festinha privada AA. Esse colunismo gay de cidade de interior de SP é muito velho. Vou devolver meu black.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca viu VIP e gente AA fazendo sexo na pista de dança porque nem tinha nascido na época do Studio 54 de Nova York, o clube mais badalado de todos os tempos...

      Excluir
    2. Nos anos 70. Hoje em dia sexo apenas na The Week. Nunca vi vídeo de clube nenhum rodando na rede. Da The Week já perdi as contas.

      Excluir
  14. TW ZzZzZz...

    AA ZzZzZz...

    ResponderExcluir
  15. Peraí - a discussão proposta pelo Tony não tem nada a ver com a The Week. A discussão é outra:
    Gays filmando gays para avacalhá-los em público, por causa de um sexo que, ainda que em local inadequado, foi feito entre quatro paredes (não me refiro ao caso da pista, mas o do FDP que subiu numa privada, para filmar as transas dos outros que estavam na cabine ao lado).
    A sexualidade homossexual é rejeitada por boa parte da população; gays sofrem uma discriminação que tem a ver com a sexualidade. Só por isso, devem ser menos rígidos e moralistas no julgamento do exercício do sexo dos outros. Mas, ao invés, são escrotos e fazem juízo moral digno das Senhoras de Santana, esculacham as pessoas filmadas e jogam sobre elas a culpa do que aconteceu. Mas o problema não é ter transado em local impróprio, o problema é alguém filmar e avacalhar a vida de outra pessoa por prazer sádico. E o problema é também esse bando de viado posar de moralista, apontando o dedo e ainda querer misturar à discussão a questão do que a The Week faz ou deixa de fazer em sua atividade empresarial. Bando de ridículos.
    Tony, teu blog é dez, mas o nível de parte de seus leitores é bem perto de zero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Você entendeu exatamente o que eu quis dizer.

      O post é sobre o BULLYING que os gays fazem sobre si mesmos. O fato de ter acontecido na TW é detalhe: poderia ter sido em qualquer outro luhar.

      Excluir
    2. Impossivel nao associar com o clube pq essa situação de vídeos e fotos mostrando o que acontece no clube é muito frequente. Nenhum outro clube no Brasil seja hetero ou gay tem o mesmo volume de ocorrencias.
      Nem Tomorrowland nem Rock in Rio batem a The Week.

      Excluir
    3. No Studio 54 era no mezanino, em um espaço com meia luz que não era claro, mas tb não era dark room, e não na pista de dança.

      Excluir
  16. O foda é que esses vídeos viralizam e os heteros ficam achando que "balada gay" é sexo explícito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, pelos vários vídeos que rodam constantemente, a balada eh de sexo explicito sim. Resta saber se vc curte ou não.

      Excluir
    2. Dane- se o que os heteros pensam! Esses fdp nao pagam nossas contas!

      Excluir
  17. Recebi um desses vídeos, com foto do Instagram do cara. Ou seja, não só mandam o vídeo, mandam com nome, endereço, RG e CPF. Já houve caso de gente que se matou em situação parecida. E qual a reação do povo nesses comentários? Um diz que isso dá tesão, outro que vai bater punheta, outro que ficou com inveja, outro que isso é pedagógico. Bando de gente escrota.

    ResponderExcluir
  18. O público dentro do clube não representa o que está fora. Aquilo ali é o que restou do movimento gay dos anos 70. A bixarada está espalhada por ai, arrasando no que fazem, sem serem vistas. Nessa altura do campeonato, com o mundo virando de cabeça pra baixo, essa turma de camarote, vip, site exclusivo, cartão, video, etc...estão ultrapassados.

    ResponderExcluir
  19. Nada mais cafona do que pinkmoney. Meu dinheiro não é gay. Gay aqui sou eu.

    ResponderExcluir
  20. Devolvendo o meu black urgente...

    ResponderExcluir
  21. Pelo que estou lendo aqui nos comentários, temos jihad também dispostos a defender a The Week com unhas e dentes e até com a própria vida! Se estivessem com uma espada em punho, cortariam a cabeça desse hereges que vem aqui falar mal de seu templo e de seu deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o medo de perder o costume de ficar toda semana agindo da mesma forma, com a mesma atitude e mesmo comportamento? Muita gente precisa da ilusão de que são VIP e importante toda semana. Na segunda-feira elas caem na realidade do ônibus, contas, moradia ruim e falta de perspectivas dentro de uma vida rasa e vazia.

      Excluir
    2. Melhor comentário! E as vezes a realidade ruim nem precisa ser pobre (digo financeiramente), as vezes pode ser alguém abastado, mas que tem a sua vida rasa e vazia e isso tem muito haver com o que nós acreditamos.

      Excluir
  22. Como é o esquema desse cartão novo Universo AA? Vão substituir o black?
    O clube só tem favelado. Com o povo transando na pista agora ficou impossível de frequentar. No dia da Papa Party só tinha as fãs cafonas daquele gogo dancer que acha que é celebridade. Horrível. O povo agora tá correndo atras de qualquer lixo que jogam num palco.

    ResponderExcluir
  23. Ninguém vai falar do relativo fiasco de A Regra do Jogp, tanto de audiência quanto da trama fraca?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me conta! Estou out completamente da TV brasileira, e confesso que fiquei tentado a assistir essa novela, pela promessa de ser a nova Avenida Brasil. Quer dizer que está sendo um fiasco?

      Excluir
    2. N ta nao Mona! Corre pra assistir, q ta Bapho! rs
      Atores, um mais Foda q o outro. Cassia Kiss / Nero/ o Lindo Pigossi/ Barbara Paz/ Suzana Pires...e tds os outros. "Parece" Serie. Eu assisti hj um pouco da novela da Record (pela primeira vez) e n gostei...gosto ne?...q nem C*...


      Vgn

      Excluir
  24. É muita falsiane junta. As bonitas que vão nas festinhas promovidas pelo Universo AA, não são as mesmas que vão na The Week. A debandada foi geral. O trabalho deles agora é ficar puxando o saco do povo que abandonou a boate com festinha privé e tentando esconder a baixaria que as sujas deixam no clube toda semana. Vários clientes que sempre prestigiaram a casa por anos foram totalmente esquecidos nesse novo upgrade que fizeram das novas bonitas. Decadencia total.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkk. O trabalho do promotor do clube é o mais ingrato que uma pessoa possa ter na terra. Tem que bajular as bonitas falsianes, carregar as drogadas pra enfermaria sem fazer muito alarde, agradar todos os "queridos", abafar os vídeos escandalosos, fingir que é melhor amigo de todo mundo, cumprimentar todos os BFFs, ouvir reclamação de mil pessoas com um sorriso na cara e fingir que a sua sugestão é a melhor do mundo.

      Excluir
    2. Anônimo das 18:05 kkkkkkkk ri do seu comentário, mas depois lembrei que ela tá ryca, então tudo bem passar por tudo isso né? Trabalhar das 08h às 18h aguentando diretor mala, turma chata e clientes insuportáveis é bem pior e paga mais ou menos só. kkkkkkkkkk

      Excluir
    3. Ta ryca nada. Classe media alta no máximo. Ela não faz uma viagem internacional de férias. Aquele clube tem milhões de sócios. Pra cada evento entra um sócio diferente.

      Excluir
    4. Ai amiga, para que tá feio. Não precisa ser bom de matemática para ver o quanto de dinheiro entra ali por noite. Muita grana. Se fossem 10 sócios, estariam todos ricos. Faz a conta.

      Excluir
    5. 50% não paga entrada. Consumo baixo no bar por conta da água batizada. Custos altíssimos e abre 4 dias no mês. Dividindo o q sobra entre os vários sócios...

      Excluir
  25. Acho que transar na pista de um clube de sexo é normal. Mas não acho normal transar na pista de um clube noturno. Se fosse, passaríamos a andar sobre fluidos corporais e camisinhas.
    Esse rapaz que sofreu bulling deveria processar o clube porque a responsabilidade é deles. Já vazaram vídeos de pessoas transando e tendo overdose em várias festas passadas da The Week.
    Concordo que o problema não são os gays. Mas sim os clientes do clube.
    Acho errado confundir gays com The Week. O público gay não é aquelas pessoas que vc vê no clube...

    ResponderExcluir
  26. 01 ABSURDO é voce dizer que existe um video BAPHO de pegacao na the week semana passada (eu estava la) e nao ter a pachorra de passar a porra de um link do xvideos.com pra eu conferir se realmente nao apareco ao menos fazendo figuracao em agum momento (nao me lembro de mta coisa q aconteceu essa noite). Alguem aqui q tenha um link poderia me passar? Odeio procurar as coisas na internet e nao achar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dexa de ser preguiçosa beesha! Quer pornô amador então arregaça as mangas dessa camiseta polo mete Google nisso!

      Excluir
    2. Nao consegui achar miga :c

      Excluir
  27. Já foram vários escandalos e nada acontece. No final quem paga é a comunidade gay sempre confundida com essas pragas de clube que só pensam em encher o bolso de dinheiro.

    ResponderExcluir
  28. Esse tipo de coisa - ou BULLYING como o blogueiro (ai, que palavra mais antiga) quer colocar - é o mesmo tipo de hipocrisia que ocorre em relação a Parada Gay de SP. As bibas metidas a rycas dizem que não frequentam, porque é coisa de gente diferenciada, povão da periferia que anda de metrô, só gente feia, pobre e com cara de salão de bairro da Zona Leste... Mas acha suuuuper chic e hyper (outra palavra antiga, god) andar de metrô em London, NYC e participar de alguma Gay Pride entre Berlin e Madrid. Um povinho muito fútil, cheio de gente invejosa, que vive de puxar o tapete dos outros e fazer esse tipo de escrotice que é gravar a trepada dos outros em banheirões e dark room, quando deveria fazer o mesmo e se jogar na pegação, porque no fundo é tudo que essa bicha escrota quer. O mundo tá cada vez mais hipócrita, careta e cheia de gentinha. Concordo com o blogueiro, tb acho uma classe muito desunida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na parada gay não tem gente transando na rua.

      Excluir
    2. HAHAHAHAH. As meninas AA não são como as blacks. Elas tem aquele ar cool com jeito de patricinha antenada ao contrario das blacks que são a velharia trash com tatuagem tribal ou japonesa e corpo bombado e raspado. No final, todas tem em comum a falta de dinheiro e acham que são formadores de opnião.

      Excluir
    3. Gente, que definição maravilhosa! Concordo plenamente, Anônimo 20:10.

      Excluir
  29. Colocaram uma foto minha nesse site Universo AA, mas pelo jeito vou ter que começar a correr da câmera deles...

    ResponderExcluir
  30. Aposto que o Tony viu o vídeo e ainda por cima ficou excitado!

    ResponderExcluir
  31. Até hoje não não comentou nada da separação da Joelma e o Chimbinha, você tá evitando esse assunto de propósito só porque ela é homofobica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque meu interesse neste assunto tende ao negativo.

      Excluir
  32. O mio babbino caro
    Mundinho de mel e fel.
    "Ae sujo,
    De bolinho,
    Complô,
    Pode até, ser que tem,
    Sei lá,
    Qualquer lugar,
    Varios tem celular,
    Não dá, pra acreditar,
    Que aconteça,
    Na hora do choque,
    Que um de nós,
    Troque uma cabeça,
    Por incrivel que pareça,
    Pode ser,
    Ó, meu,
    O dia de amanhã,
    Quem sabe é deus,
    Eu não sei,
    Não vi,
    Não sou,
    Morro cadeado,
    Firmão,
    Deixa eu ir,
    Quem não é visto,
    Não é lembrado"
    Nesse universo todo de brilhos e bolhas...

    ResponderExcluir
  33. Que falta uma praia faz em São Paulo...

    Pra esse povo parar de achar shopping e boate "programaço".

    Chic é não pagar...junto com todo o resto. Criou cercadinho, há algo de errado.

    ResponderExcluir
  34. Quem nao goza gostoso, não atrapalha! kkkkkk

    ResponderExcluir
  35. O clube provoca a inveja e o ódio entre os frequentadores. Dai o excuido lança um vídeo vingança na rede. Todos ficam chocados com a atitude. O proprietário do clube pede "mais amor por favor" mas esquece que foi ele quem incentivou o opressor. Quem se ferrou? O bom cliente que estava gozando gostoso no banheiro que provavelente não é vip e paga a sua entrada e consumação. Que mundo é esse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso que eu digo que é uma palhaçada dar dinheiro pra esse tipo de clube. Vc paga mais para ter um tratamento pior. As pessoas vão atras das bonitas mas elas só entram no clube se for de graça pq não tem grana. O dinheiro delas vai todo na academia top e nas marmitas de batata doce.

      Excluir
  36. Tony, vc viu a coragem do governador do DF ao vetar o medonho "Estatuto da Família" aprovado pela Câmara Legislativa local? Cada vez mais me surpreendo (positivamente) com o Rollemberg. Ele também vetou o projeto que proibia o Uber. Interessante como ele peita ostensivamente os reacionários inúteis e imundos da CLDF, mesmo sendo alvo de retaliações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi: que legal! Enfim uma boa notícia.

      A Câmara de Vereadores de SP já aprovou uma lei proibindo o Uber. Vamos ver se o Haddad vai ter peito de vetar.

      Excluir
    2. Haddad não vetou nem o Plano de Educação limado de qualquer menção a gênero e aceitação de diferentes orientações sexuais, imagina se ele vai ter peito de vetar a lei que proibe o Uber. Haddad tem embalagem bacana, mas é tão vendido quanto 90% do PT.

      Excluir
  37. Os meninos AA viram black e as black viram menino AA. Depende do evento. Na festa privada as meninas AA se fazem de santa. Na boate elas rancam a roupa e voltam a ser as velhas blacks. No feriado os clientes pagaram 150 reais pra nao conseguirem andar. O perfil da Desalmada Tchytchya voltou. Segundo ela nao houveram obitos como das outras vezes mas 30 pessoas foram atendidas na enfermaria. Só elogia a casa no face as blacks morrendo de medo de perderem o cartão. Quanta pobreza gente.

    ResponderExcluir
  38. Um exemplo de como a "classe gay" funciona:

    "Thammy Miranda garante que não se filiou a nenhum partido. Muito menos ao PP, do deputado Jair Bolsonaro. Mas houve, sim, uma proposta financeira (isso mesmo) do partido. Eles propuseram a ele um salário mensal de agora até o fim do mandato (caso eleito) para ele entrar na política. Thammy recusou por um simples motivo: terá contrato com uma emissora de televisão no ano que vem. Provavelmente para fazer alguma novela. Vale lembrar que essa prática de partidos políticos contratarem personalidades têm sido muito comum. O maior exemplo chama-se Tiririca. Celebridades costumam ter muitos votos e, assim, levar consigo outros políticos da legenda."

    Ou SEJE, se estivesse sem contrato, iria para o partido do Bolsonaro de bouas, ganhando salário para puxar voto de legenda e ajudar a eleger a família e amiguinhos de um dos nossos maiores inimigos. Sem falar dos amigos do Maluf e dos denunciados na Lava Jato.

    Tá de parabéns.

    ResponderExcluir
  39. Esse é o problema. As pessoas querem ser cegas e ignorantes. Quem pede tolerancia para a comunidade gay são os maiores repressores da mesma. As consequencias são situaçoes banais, como uma foda de banheiro, virarem polemicas desastrosas para a imagem de toda classe. Mercenários se utilizam dos anseios e desejos dos gays pra encherem o bolso de dinheiro. Depois quando o tiro sai pela culatra, empresários viram pobres vítimas do odio da internet. Patético.

    ResponderExcluir
  40. Não sei porque, mas acho que só gays vão se interessar em ver os vídeos de dois gays se pegando no banheiro da boate. Helloooo né gente. Discussão besta.

    ResponderExcluir
  41. Sobre os vídeos, não vi, mas quero ver. Sobre "meninos AA" (RYSAS): seria um ótimo nome para site de garoto de programa. Já essa tentativa de colunismo social parece tão gay do interior querendo ser "in" na capital. Muito jeca. Desculpa quem curte, mas que é, é. Erika Palomino e Joice Paschovith que sempre fizeram essa coisa de "auto promoção da nossa turminha" estão super datadas, imagine uma versão gay disso. Melhorem. Estamos em 2015.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrsrsrs. Melhor comentário ever. Estão chamando as gays de 40 anos de Menino AA.

      Excluir
  42. Tem dezenas e dezenas de vídeos de pegação gay em banheiro de shoppings. Adoro, mas não vejo ninguém escrevendo teses a cada vídeo desse que é publicado, criticando as pessoas que se escondem para filmar o povo se pegando e depois joga na web. O que é mais grave? Pegação em espaço público ou numa boate gay? A discussão partiu para o local onde aconteceu, ao invés dos fatos em si, porque o objetivo de quem posta e comenta sobre isso é defender a The Week, criticando quem filmou ou quem critica a situação. Ou criticar a boate, por outros motivos que não sejam a pegação, que acontecem em boates gays desde 1970. Simples assim. Gays em volta do próprio umbigo. Como sempre.

    ResponderExcluir
  43. Menino AA, Menino Anus Ativo.
    Só se for...

    ResponderExcluir
  44. Eu poderia começar dando graças a Deus que na minha época não existiam câmeras para qualquer um dar os 15 minutos de fama que todos vão sentir, até o próximo escândalo estourar. Quem não quiser ficar famoso pelo boquete que não o faça em público. Fiquei louquinho pra experimentar ser mamado por aquele cara. Só que num local mais discreto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fechado dentro de uma cabine não é "em público".

      Todo mundo tem o direito à imagem. A sua cessão só ocorre em casos específicos, mediante autorização. Logo, tá tudo errado.

      Excluir
  45. O site FFW fez uma matéria sobre esse grupo e site AA e olhem os comentários que surgiram. De cair pra trás.

    http://ffw.com.br/noticias/comportamento/universo-aa-empresario-andre-almada-e-jornalista-antonio-trigo-comandam-site-de-lifestyle-gay/

    ResponderExcluir
  46. Quanto assunto interessante levantados nesses comentários. Tony, sugiro um post que ligue todos esses assuntos num texto só. Interessante demais.

    ResponderExcluir
  47. Queria saber se esta celeuma toda foi criada por causa da morte de um jovem por overdose. Procede isso produção?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teve morte? Mais uma? Não fiquei sabendo. Não, esta celeuma é por causa dos vídeos gravados na TW na semana passada, que mostram gente transnado na pista e dentro dos banheiros. Depois esses vídeos circularam por Whatsapp, expondo algumas pessoas (consta que um dos rapazes até perdeu o emprego). A discussão é sobre privacidade e auto-homofobia, mas muita gente está desviando do assunto para reclamar da boate.

      Excluir
    2. No carnaval em Floripa houveram um bom numero de óbitos.

      Excluir
    3. "Haver" no sentido de existir não tem plural. Então é "houve".

      Excluir
  48. Quantos comentários infelizes nessa publicação... Sou super a favor do "faça o que bem quiser", mas saiba que isso implica em riscos... Quem fez sexo em público (mesmo esse público sendo gay) sabia do risco que corria ou ao menos deveria saber. O cara que filmou agiu de forma errada?! Talvez sim, mas ele só filmou porque havia conteúdo para filmar. Quanto a postura classista vista por aqui, acho de uma tamanha imbecilidade. Nós, gays, que sofremos preconceitos diariamente, deveriamos defender outras coisas. As vezes pela posição social que ocupamos esse preconceito fica mascarado, mas ele existe e é triste ver pessoas em nosso meio com esse pensamento classista. Sou gay, sei dos privilégios que tenho e não os reforço para me senti melhor perante a socieade.

    ResponderExcluir