terça-feira, 4 de agosto de 2015

O SAL DO ESPÍRITO

Acabei de saber pelo "Jornal Nacional" que está em vigor no Espírito Santo uma lei absurda: a que proíbe os restaurantes de colocar saleiros e sachês de sal nas mesas. Quem quiser, tem que pedir para o garçom. E adorei as soluções encontradas pelos estabelecimentos, como varais e colares de sachês. Mas só isto não basta: os capixabas têm mais é que se revoltar, e defenestrar do poder os responsáveis por esta aberração. Porque a lei é uma intromissão inaceitável do estado na vida privada e trata o cidadão como criança. Consumir sal em excesso faz mal à saúde, mas não vicia nem prejudica quem está em volta. Fora que gente como eu, que tem pressão baixa, PRECISA comer mais sal.

43 comentários:

  1. Eles são muito burros. Mas eu como garçom andaria com aquelas caixinhas de sal na bandeja e deixaria uns saquinhos com o cliente que pedisse. Simples assim!

    Mas que são altamente paternalistas isso não é nenhuma novidade. É um país simplório, cheio de analfabetos funcionais, e burocracia soberba.

    Só que a notícia é velha por aqui! Já faz uns dois meses que ouvi da loucura.

    ResponderExcluir
  2. Também acho que é excesso de intromissão na vida privada, mas há uma razão muito clara para estas proibições de sal, açúcar, cigarro e tudo mais. Há um custo enorme para o sistema público de saúde. Você não recorreria ao serviço público se desenvolver diabetes ou coisa do gênero, mas a grande maioria da população, sim. E haja dinheiro para bancar tudo isso. Os países mais desenvolvidos do mundo são cheios de leis deste tipo, e é pouco provável que a nossa rica e civilizadíssma sociedade saiba se conter por conta própria.

    ResponderExcluir
  3. A lei vale pra cloreto de potássio também? (edição do meu comentário anterior).
    Porque sal significa um monte de coisas para a química. E o cloreto de potássio é o substituto mais indicado pra quem tem pressão alta. Mas não deixa de ser um... sal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura linda? Qualquer acéfala sabe que sal de cozinha é cloreto de sódio! Não vem querer pagar de cool e uber informada ate no post do sal, por favor! Nos poupe da sua pedancia, que nos agradecemos.

      Excluir
    2. Nossa, Dani, e meus sais de banho importados, será que também estão proibidos de ir à mesa nos restaurantes do ES? Faz me rir, bicha uó.

      Excluir
    3. Kcl também é vendido como "sal de cozinha", mas não causa tanto riscos. E aí, universi-otários químico-jurídicos?

      Excluir
    4. Não lindona, sal de cozinha é cloreto de sódio em todos os cantos desse planeta, disso tenho certeza! Só se for na sua cozinha uber conceitual e antenada que serve sal de potássio. Aproveita que falou nele, e Aplica 5 ampolas de KCl na sua veia, que o mundo respirara em paz!

      Excluir
    5. Até de sal de cozinha Daniel é expert? Nos campos de concentração onde sua família viveu eles serviam refeições com que sal, conta pra gente...

      Excluir
    6. E aquelas coisas polonesas, também fazem mal, Daniel?

      Excluir
    7. Viadas invejosas zoam até quando a pessoa faz um comentário construtivo.

      Excluir
    8. É por isso que o Brasil é a merda que é.

      Excluir
  4. Mas gente! Tentam fazer algo pela saude da populacao e vao la e dao de teimosos! Nem precisamos mais combater o terrorismo nem a ameaca evangelica. Vamos todos morrer de hipertensao antes!

    ResponderExcluir
  5. Eles estão fazendo isso para enrolar o tempo e não ter que se desgastarem com pautas mais complicadas e menos populistas. É o tipo de medida que serve pra desviar a atençao da população de problemas reais. Tb atrasam discussões muito importantes como a lei de fortunas que aumenta o imposto sobre heranças. A lei de heranças é importantíssima pois é uma medida real para a distribuição de renda. Mas a mídia não fala, o Cunha nada fala. Enquanto isso continuamos perdendo tempo com sal....verdade seja dita, nós queremos mudanças nesse país, mas não tantas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em parte. Acho que nosso legisladores dão importância a assuntos pouco relevantes e deixam de lado a reforma tributária (como seu exemplo) mais porque são maus legisladores mesmo, não têm senso do que é prioritário e o que não é. Acho que não é tanto de propósito, é ignorância mesmo. E também existe aquela idéia de que quanto mais leis melhor. Pois não precisamos de muitas leis, precisamos de leis boas (e relevantes).

      Excluir
    2. A lei do sal é estadual. Só se aplica ao Espírito Santo e foi aprovada pela Assembleia Legislativa de lá. Uma lei que regulamentasse a taxação sobre grandes fortunas teria que ser de âmbito federal. Não são os mesmos legisladores.

      Excluir
    3. É verdade. Mas é tb verdade que o congresso empurra a discussão de leis importantes mas não populares com outras questões mais superficiais e que ocupa distrai a mente da mídia e do povo.

      Excluir
  6. Falar de sal? Bora falar da piroka do Lenny Kravitz que resolveu sair às claras no meio de um show dele na Suécia.

    ResponderExcluir
  7. Espírito Santo é aquele estado que a gente sempre esquece que existe, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o sem sotaque!

      Que ninguém consegue imitar, porque todo mundo tem um sotaque próprio e nem fazer piada com nosso modo de falar não conseguem!

      Pois somos Cosmopolitas! Sem afetação de pobre ao falar do resto do país.

      Excluir
  8. Mas voltando ao assunto do post...

    CORRETÍSSIMA A DECISÃO.

    Nunca coloco sal na comida. Acho um péssimo hábito. Sal se coloca na hora de se cozinhar. Na mesa é absurdo, faz mal. SÓDIO ASSASSINO!

    ResponderExcluir
  9. Reduzindo o consumo de sal, a população vive melhor e o governo não tem que gastar tanto dinheiro com remedio para hipertensão e outras coisas
    Andar de Bike Rosa by Barbie em Ciclovia pra postar é aceitável né? medida extrema, mas eu sou a favor das pessoas serem menos preguiçosas e irem cozinhar sua própria comida, gente preguiçosa é a escoria da humanidade
    alias tony, voce naquele video do poe na roda tá muito gordo, vamos emagrecer ai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquele vídeo tem um ano e meio e eu já emagreci desde então (um pouco).

      Excluir
  10. invejinha branca da sua pressão baixa

    ResponderExcluir
  11. Tony, sou medico e não vi nada de absurdo na lei, pelo contrario. As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no Brasil, e sua grande maioria é acompanhada ou se deve à hipertensão arterial. Acho que tirar o sal da mesa é uma intromissão aceitável frente ao benefício que essa medida pode causar. Quanto a voce ter pressão baixa e ter que comer sal, me desculpe, mas quem te fez essa orientação esta redondamente enganado. Sal em excesso sempre é prejudicial, podendo lesionar seus rins, entre outros malefícios. Basta que voce se mantenha bem hidratado e coma de 3 em 3 horas. Simples assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tambem sou medico e ia dizer exatamente a mesma coisa! Que cardiologista foi esse que disse que voce PRECISA comer mais sal so porque tem pressão baixa? Tome cuidado com isso ai, Tony.

      Excluir
    2. Não sou médico, mas concordo inteiramente. Aliás, as renomadas culinárias da França e Itália, entre outros, simplesmente cagam para o sal e dão sabor a seus pratos com ervas simples e baratas. Um brasileiro que conheci na França estava desesperado com a comida insonsa de lá e dizia que a mulher dele ia chegar trazendo tempero brasileiro. Eu perguntei se ela ia trazer na bagagem cebola, tomate e alho, pois o problema na verdade era o pouco sal.

      Excluir
  12. A ANVISA fiscaliza e monitora a diminuição de sódio em alimentos industrializados, e ninguém nunca reclamou. Lei maravilhosa, deveria ser federal aqui e nos EUA.

    ResponderExcluir
  13. A patrulha da chatisse volta a atacar. Tudo tem que ser saudável e todos devemos ser magros. O prazer da mesa, da cozinha e da macarronada em família está sendo substituido pelo prazer de levantar pneu de caminhão, de fazer exercícios de coerção estilo militar, etc...Eu adoro comer bem. Eu adoro comer "a la française" com muitos cremes e molhos. Nem sempre comer bem e comer com sabor significa comer saudável ou comer ética. O politicamente correto já baniu o fois gras. Vejo um futuro onde estaremos comendo ração ou marmitas de frango com batata doce. Olhe o anônimo acima. Para ele, ir ao restaurante é sinônimo de preguiça de cozinhar...cozinhar saudável...claro...O futuro mostra-se literalmente "sem sal".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ***chatiSSe***
      quer ser gorda tudo bem
      so não seja burra ne amor

      Excluir
  14. Oi Tony! Eu moro no Mexico e aqui na Cidade do Mexico essa lei estupida já existe há 2 anos. Sal faz mal, mas a ulcera q a qtade insane de pimenta e condimentos que eles comem sem parar n faz! rsrs

    Anyway, tenho a msma opiniao que vc - é o governo entrando na sua vida e te dizendo como vc tem q viver ela. Um absurdo!

    ResponderExcluir
  15. A conta da saúde pública(e a privada também) cai 100% sobre os nosso bolsos, Tony.
    Então, se você pensar numa população como um todo, faz todo sentido limitar agentes que prejudicam a saúde (sal, açúcar, gordura, poluição no ar) e ao mesmo tempo incentivar práticas saudáveis (como redução de impostos pra aparelhos esportivos, bicicletas, e alimentos naturais).
    Isso em nada constrange o seu direito de temperar a sua comida ao seu gosto, seja num restaurante ou na sua casa.
    Só te estimula a pensar melhor antes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bravo, Bruno!

      Excluir
    2. Mais uma prova. Nunca fomos tão caretas. Mundo chatíssimo. As pessoas nao ententem que essas pequenas ações como proibir o sal, abrem margem para muitas outras açoes extremistas. A mesma cultura que enche seu saco por causa do sal é a mesma que tentou proibir o Zeca Camargo de emitir uma opnião. Na cabeça da massa, isso tudo entra no mesmo saco pq são ignorantes demais pra dicernir o que unem essas medidas e as tb separam por serem coisas distintas. Jumentos...

      Excluir
    3. Bravo Bruno!? Até parece que estamos na Suécia.

      O dinheiro que sobra vai pro bolso dos governantes/tecnocratas.

      Ilusão que vai reduzir despesas.

      Aqui em Vitória eles montam "academia para idosos" com tudo de ferro. A maresia estraga tudo em 6 meses. Ou seja, são burros, incompetentes e não estão preocupados nem um pouco em economia e eficiência.

      FAIL!

      Excluir
    4. Tipo essa daqui:

      http://download.rj.gov.br/imagens/18/53/25/1853259.jpg

      Tudo lindo maravilhoso!!!

      PORQUE É NOVO.

      Seis meses tá dando tétano na população!

      Vão ser burros assim lá no inferno. E é nacional já que a foto acima é da Paraíba outro estado marítimo.

      Excluir
  16. Vejo algumas pessoas aqui louvando a lei e penso: nem os ideólogos contratualistas mais tresloucados dos séculos XVII e XVIII acreditariam ser um dia possível a efusiva celebração por parte daqueles que teriam suas liberdades mais sutis violadas pelo Estado.

    Ou será que não percebem que esse é apenas outro passo de um 'proibitismo' imensamente voraz? A lista inclui ainda gordura animal, carne, glúten, açúcar
    refinado, cafeína, álcool, tabaco, pastel de feira e que mais puderem imaginar.

    Se bem que, sabem como é, depois que entra a cabecinha...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E se pensar bem, o título do post do Tony desvela exatamente o significado esotérico da história. Exotérico = consumo exterior/massas. Esotérico = consumo interior/"elite".

      Quando quiseram diminuir o Sal do Espírito Santo do mapa estavam impondo realmente uma coisa (esotérica), enquanto as massas entendem como sendo outra (exotérica).

      Bem bolado a viadagem das sem noção! Nossa! O Sal do Espírito Santo foi diminuído por lei humana!!!!! Nós da maçonaria somos todos poderosos! E mandamos no rebanho "gado marcado, povo feliz"!!!!

      Excluir
    2. Concordo com o The Fool. Tem que liberar tudo. Libera o sal no restaurante. Libera o cigarro em espaço aberto, espaço fechado, repartição pública, hospital, escola. Libera a maconha medicinal, recreativa, gourmet. Libera a cocaína, o crack e a heroína. Abaixo o estado, esse Leviatã gordo e preguiçoso que só presta para tomar nossos impostos e enrolar seus tentáculos em tudo, diminuindo nossa liberdade. Hospital, só privado, obedecendo as leis do livre mercado. Escola, só privada também. E acaba com a polícia também. Esse papo de repressão ao crime é coisa de comunista que adora estado. A vida é pros fortes. Não sabe se defender, a culpa não é minha!

      Excluir
    3. Ah, esses tolinhos que só enxergam o mundo pelo sistema binário... ou preto ou branco, sem 50 tons no meio... Tadinhos.

      Excluir
    4. Nuance e sutileza é coisa de esquerdopata!

      Excluir
    5. Não, é coisa de gente sensata e experiente.

      Excluir
  17. Anônimo 20:10,

    O Estado pode ser um meio eficaz para regular relações sociais complexas e garantir a paz. Entretanto, torna-se uma experiência pavorosa quando se afasta, por exemplo, dos princípios republicanos. Limites claros entre público e privado, bem como a garantia das liberdades negativas, a independência do sujeito e a ausência de arbitrariedade na composição das leis são condições 'sine qua non' para evitar que um governo aprisione seus respectivos cidadãos.

    O intervencionismo em alto grau nas escolhas privadas é normalmente alicerçado em teorias coletivistas que não respeitam o indivíduo fora de uma classe, de um contexto social, ou da ideologia vigente. Regimes totalitaristas, do nazismo ao stalinismo, passando pelas teocracias islâmicas, possuíram e possuem esse viés.

    Proibir o consumo de sal em nome do "saudável" é, em essência, da mesma natureza da proibição de relações homossexuais em nome da "saúde pública" como já ocorreu na Nigéria.

    O resultado não pode ser bom quando a liberdade de escolha deixa de existir.

    ResponderExcluir
  18. Galera, o sal não foi proibido... Vocês estão enlouquecendo e dizendo que o estado foi intervencionista, mas ele simplesmente limitou o consumo de um item prejudicial a saúde, colocou uma barreira para dificultar o ato automático de jogar sal sobre a comida. Você segue com o direito de pedir sal ao seu garçom, e morrer de hipertensão...
    Infinitamente mais absurda é a lei Capixaba que PROIBE supermercados de abrirem aos domingos.

    ResponderExcluir